Workshop no Rio discute métricas para avaliar impacto dos negócios na biodiversidade

O Rio de Janeiro sediará, nos dias 29, 30 e 31 de outubro, workshop sobre negócios e biodiversidade, cujo objetivo é impulsionar a troca de experiências entre empresas interessadas em reformular seus modelos de negócios para práticas mais sustentáveis.

Durante os três dias, especialistas do mundo inteiro vão discutir temas como medição, monitoramento e divulgação de impactos e a dependência das empresas em relação à biodiversidade. Com a reunião de diferentes setores e metodologias, a intenção é formar uma visão comum em torno de métricas e boas práticas de preservação.

O evento é uma iniciativa do iniciativa do Centro Mundial de Monitoramento da Conservação do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA-WCMC).

Castanha é produto florestal importante para comunidades que vivem na região amazônica. Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

Castanha é produto florestal importante para comunidades que vivem na região amazônica. Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

O Rio de Janeiro sediará, nos dias 29, 30 e 31 de outubro, workshop sobre negócios e biodiversidade, cujo objetivo é impulsionar a troca de experiências entre empresas interessadas em reformular seus modelos de negócios para práticas mais sustentáveis.

A Fundação Grupo Boticário, por exemplo, tem apoiado iniciativas para desenvolver e fortalecer estratégias de conservação da natureza vinculadas aos negócios. A analista de projetos ambientais da fundação, Anke Manuela Salzmann, lembra que a sociedade está cada vez mais atenta às origens dos produtos que consome.

“Diante deste cenário, aliar o desenvolvimento econômico e social a estratégias de conservação torna-se essencial”, explica. As métricas são uma ferramenta que possibilita às empresas e indústrias acompanharem os impactos negativos de suas operações, diz.

Às vésperas de 2020, quando chega ao fim a vigência das Metas de Aichi da Convenção sobre Diversidade Biológica da ONU, o ponto focal do Centro Mundial de Monitoramento da Conservação (WCMC, na sigla em inglês) no Brasil, Matheus Couto, ressalta a importância de as empresas pensarem sobre o futuro. “Se espera mais ambição em relação à proteção da biodiversidade e que haja uma postura mais arrojada do setor privado”, defende.

É nesse sentido que, durante os três dias de evento, especialistas do mundo inteiro vão discutir temas como a medição, o monitoramento e a divulgação de impactos e dependência das empresas em relação à biodiversidade. Com a reunião de diferentes setores e metodologias, o objetivo é formar uma visão comum em torno de métricas e boas práticas de preservação.

No dia 29, a programação será aberta ao público e as inscrições podem ser feitas pelo link http://bit.ly/2o7aeEP. As discussões serão centradas nas metodologias corporativas de medição da biodiversidade e serão protagonizadas por nomes como Frineia Rezende, do grupo Votorantim, Bráulio Ferreira de Souza Dias, da Universidade de Brasília e que já ocupou o cargo de Secretário-Executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica da ONU, Karen Barbosa, do LIFE Institute, e Joshua Berger, da CDC Biodiversité.

No mesmo dia ocorrerá o lançamento de um documento firmado por mais de dez empresas associadas ao Compromisso Empresarial Brasileiro para a Biodiversidade, junto à iniciativa do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS). O documento define nove metas para serem cumpridas até 2030 com foco em prevenção, mitigação, compensação e geração e compartilhamento de informações.

Segundo o assessor técnico do CEBDS, Henrique Luz, as empresas vêm buscando entregar um impacto líquido positivo ao longo do ciclo de vida dos seus empreendimentos e a definição de métricas para biodiversidade é um elemento-chave para isso. Nesse sentido, ele lembra a falta de consenso sobre os padrões a serem adotados e diz acreditar que o workshop “permitirá às empresas avaliarem de forma mais estruturada as diferentes opções disponíveis em função dos diferentes objetivos de mensuração da biodiversidade”.

O workshop “Alinhando Medidas de Biodiversidade para Negócios” é uma iniciativa do Centro Mundial de Monitoramento da Conservação do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA-WCMC), e tem apoio financeiro da Fundação Grupo Boticário. A iniciativa também tem a colaboração da Plataforma Europeia Business@Biodiversity e de mais de 20 instituições envolvidas no desenvolvimento ou em testes de abordagens emergentes de medição da biodiversidade.

Serviço

No dia 29 o workshop, aberto ao público, é voltado para negócios e discutirá as metodologias corporativas de medição da biodiversidade. Os interessados devem se inscrever pelo link: http://bit.ly/2o7aeEP.

Horário: 9h00 – 17h30
Local: Lab de Cocriação, Casa Firjan, 211, Rua Guilhermina Guinle Botafogo, RJ. CEP 22260-001.