Wanessa Camargo é fotografada por Bob Wolfenson em apoio a exposição sobre prevenção do HIV

Provocar debates educativos para derrubar as barreiras do preconceito e da discriminação sobre temas relacionados à saúde sexual, promover informações e métodos de prevenção e estimular a adesão ao tratamento do HIV (vírus da imunodeficiência humana) e de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

Estes são os principais objetivos da exposição de arte contemporânea O.X.E.S (termo que remete à palavra sexo de trás para frente), idealizada pela ativista e artista plástica Adriana Bertini.

A cantora Wanessa Camargo, Embaixadora de Boa Vontade do UNAIDS no Brasil, foi clicada pelas lentes do fotógrafo Bob Wolfenson para integrar a série de fotografias O.X.E.S Friends, que faz parte do acervo da exposição.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Provocar debates educativos para derrubar as barreiras do preconceito e da discriminação sobre temas relacionados à saúde sexual, promover informações e métodos de prevenção e estimular a adesão ao tratamento do HIV (vírus da imunodeficiência humana) e de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

Estes são os principais objetivos da exposição de arte contemporânea O.X.E.S (termo que remete à palavra sexo de trás para frente), idealizada pela ativista e artista plástica Adriana Bertini.

A cantora Wanessa Camargo, Embaixadora de Boa Vontade do UNAIDS no Brasil, foi clicada pelas lentes do fotógrafo Bob Wolfenson para integrar a série de fotografias O.X.E.S Friends, que faz parte do acervo da exposição.

Wanessa representará personalidades brasileiras engajadas na resposta à epidemia de HIV ao lado nomes internacionais, como Michael Gottlieb, físico e médico imunologista que descobriu o HIV em 1981, Tim Brown, norte-americano considerado a primeira pessoa curada do HIV/AIDS.

Outros participantes incluem o comediante norte-americano Jason Stuart, a ativista e atriz norte-americana Sheryl Lee Ralph, os ativistas norte-americanos Kelly Gluckman e Thomas Davis, entre outros. A série internacional foi feita em parceria com o jornalista e fotógrafo norte-americano Sean Black, que registrou filantropos e celebridades engajados com o tema, usando uma peça de arte ícone da artista plástica Adriana Bertini, a Bow Tie.

Wanessa foi nomeada Embaixadora do UNAIDS em dezembro de 2015 e, desde então, tem dedicado seu tempo e influência nas mídias a participar de campanhas e iniciativas que busquem sensibilizar seus fãs e o público em geral sobre a importância da prevenção do HIV, do tratamento do vírus e da zero discriminação.

“Acredito que a arte encurta os caminhos de comunicação e é capaz de atingir diretamente o coração e a alma das pessoas”, disse Wanessa. “Ela chega com mais rapidez, leveza e sensibilidade às pessoas e é um instrumento fundamental para tratar de temas muitas vezes considerados complexos e difíceis no nosso cotidiano.”

Ao longo da exposição, que tem apoio do UNAIDS, Instituto Cultural Barong, Fundo Posithivo e Impulse São Paulo, estão previstos encontros abertos ao público com a presença de artistas, médicos, jornalistas e educadores, que discutirão o tema com a intenção de compartilhar informações e promover a interação dos participantes. Com entrada franca, a mostra ocorre de 17 de abril a 29 de junho, no espaço opHicina, em São Paulo.

“A O.X.E.S traz uma mensagem forte e positiva de que há inúmeras formas de falarmos de sexualidade e prevenção do HIV, e de que a arte é um campo potente para desconstruirmos mitos, tabus e preconceitos em relação a esses temas”, declarou o diretor interino do UNAIDS no Brasil, Cleiton Euzébio de Lima. “É inspirador ver grandes artistas brasileiros como Wanessa Camargo, Adriana Bertini e Bob Wolfenson dedicando seu tempo e trabalhando juntos em prol da resposta à epidemia e da zero discriminação.”

“A arte tem papel fundamental no desenvolvimento humano e promove mudanças de comportamento. Mais do que uma exposição de arte, queremos que O.X.E.S se torne uma ferramenta contemporânea para que instituições educacionais, corporativas e sociais promovam de forma artística e didática, a importância da arte para a discussão de um tema, que ainda é preconceito: o SEXO”, declarou Adriana Bertini.

A artista já realizou exposições em mais de 28 países, tornando seu manifesto artístico referência internacional em HIV e AIDS, com obras em acervos de museus (Fowler Museum UCLA, Museum of Sex NYC, Estados Unidos; World Museum of Cultures, Suécia; e Centraal Museum, Holanda), galerias de arte e órgãos governamentais.

O trabalho de Adriana chamou a atenção do norte-americano Timothy Ray Brown, que desembarca pela primeira vez no Brasil para uma conferência sobre o tema e para a abertura da O.X.E.S.

Conhecido como o “Paciente de Berlim”, Brown foi o primeiro caso do mundo de cura do HIV, depois de passar por dois transplantes de medula óssea, em 2007. Desde então, ele não apresenta traços do vírus, impressionando pesquisadores e oferecendo perspectivas promissoras sobre como a terapia genética pode levar à cura da doença.

“A arte como expressão sexual permite ao artista criar prazer para o contemplador, que interpreta a obra de maneira similar aos gestos, palavras e ações de seu parceiro”, disse Brown, reforçando que arte e sexo devem ser expressões de sentimentos livres.

A O.X.E.S: Artivismo em Exposição tem participação da artista visual e médica Fabiana Gabaskallás e curadoria da artista visual Lucrécia Couso, em parceria com o médico infectologista Rico Vasconcelos.

Serviço

O.X.E.S – Artivismo em Exposição
Data: 17 de abril a 29 de junho
Horário: das 10h às 18h, segunda a sexta; das 11h às 14h, aos sábados
Local: espaço opHicina
Endereço: Rua Teodoro Sampaio, 1.109 – Pinheiros – São Paulo – SP
Entrada Franca