Violência liderada pelo ISIL na Líbia preocupa Escritório de Direitos Humanos da ONU

Militantes que reivindicam lealdade ao ISIL estariam atacando civis considerados de oposição ao grupo terrorista e destruindo suas casas.

Ruína da cidade de Sirte, destruída durante o conflito em 2011. Foto: Flickr/ECHO

Ruína da cidade de Sirte, destruída durante o conflito em 2011. Foto: Flickr/ECHO

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) manifestou nesta terça-feira (18) preocupação com a violência em Sirte, Líbia, envolvendo militantes que reivindicam lealdade ao Estado Islâmico no Iraque e o Levante (ISIL) que estariam atacando civis considerados de oposição ao grupo e destruindo suas casas.

“Parece que os combates eclodiram na cidade depois que um iman local, Khaled Ben Rajab al-Ferjani, conhecido por sua oposição declarada ao ISIL, foi morto a tiros em 10 de agosto. Ele teria sido morto ao resistir a um sequestro de combatentes do ISIL”, disse o porta-voz do ACNUDH, Rupert Colville.

Moradores locais disseram à Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (UNSMIL) que a maioria dos civis fugiu da área, que teria sido indiscriminadamente bombardeada por forças do ISIL na manhã de 13 de agosto. O número total de mortes ainda não é conhecido, mas as estimativas não confirmadas indicam entre quatro e 38 pessoas, e a captura de pelo menos 16 homens.