Violência aumenta e força fuga de milhares de sírios para o Líbano em poucos dias

Refugiados sírios aguardam registro em Arsal. Foto: ACNUR/M. Hofer

A agência da ONU para refugiados e parceiros humanitários estão trabalhando em estreita colaboração com o Governo libanês para ajudar a nação a lidar com mais de 6 mil sírios que chegaram ao país nos últimos dias por causa do aumento da violência na cidade de Qarah e redondezas.

A maioria dos refugiados recém-chegados está agora em Arsal, cidade no nordeste do país com 60 mil habitantes, incluindo 20 mil sírios previamente cadastrados.

“A agência e seus parceiros têm planos de contingência em vigor para estes movimentos bruscos e o crescente número de pessoas que ainda devem atravessar a fronteira”, esclareceu o porta-voz do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR), Adrian Edwards, nesta terça-feira (19).

Nos últimos três dias, mais de mil famílias sírias já se registraram em Arsal e ganharam ajuda de emergência, incluindo cestas básicas, cobertores, colchões, kits de cozinha e de higiene.

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) já distribuiu cestas básicas com alimentos para um mês para 3.555 pessoas, informou a porta-voz da agência, Elisabeth Byrs.

O PMA também está se preparando para um aumento na quantidade de refugiados sírios em Arsal ampliando o estoque de contingência. Cerca de 3,4 mil cestas de comida estão prontas para serem distribuídas com suprimentos suficientes para 17 mil pessoas por um mês.

Enquanto isso, abrigar um número cada vez maior de refugiados continua sendo um desafio para o ACNUR. Os recém-chegados foram direcionados para quatro centros temporários montados em salões públicos e mesquitas.

Estima-se que 4,25 milhões de sírios estejam deslocados dentro de seu próprio país, enquanto mais de 2 milhões já procuraram refúgio em países vizinhos desde o levante contra o presidente Bashar Al-Assad, em março de 2011.