Rede Mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO ganha 20 novos sítios

A lista conta, no total, com 651 reservas, inclusive seis no Brasil: Cerrado, Pantanal, Caatinga, Amazônia Central, Mata Atlântica e Serra do Espinhaço.

Lago Isle, em Mianmar, primeira reserva de bioesfera do país incluído na lista. Foto: Wikicommons/Mosmas

Lago Isle, em Mianmar, primeira reserva de bioesfera do país incluído na lista. Foto: Wikicommons/Mosmas

O Conselho Internacional de Coordenação do Programa “O Homem e a Biosfera” da Organização da ONU para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) anunciou, nesta quarta-feira (10), a incorporação de 20 novos sítios à Rede Mundial de Reservas da Biosfera em 2015. Com essas adesões a rede atingiu o total de 651 sítios em 120 países, incluindo 15 transfronteiriços e seis reservas brasileiras – Cerrado, Pantanal, Caatinga, Amazônia Central, Mata Atlântica e Serra do Espinhaço.

A novidade este ano veio de Mianmar que entrou pela primeira vez na lista. Entre as 20 reservas selecionadas não há nenhuma brasileira, mas na região da América Latina destacam-se as reservas de biosfera da Patagônia Azul, na Argentina e Cacique Lempira, Señor de las Montañas, em Honduras.

Essas adições foram feitas pelo Conselho durante a reunião ocorrida em Paris, entre 8 e 12 de junho. Clique aqui para conhecer as novas reservas e aqui para conhecer a lista completa.

O Programa ‘O Homem e a Biosfera’ é um programa científico intergovernamental estabelecido pela UNESCO no início dos anos de 1970 com o objetivo de melhorar a interação entre pessoas e o ambiente natural em que vivem, em escala mundial. As reservas da biosfera são locais para aprendizagem sobre desenvolvimento sustentável, que visam a conciliar a conservação da biodiversidade com o uso sustentável de recursos naturais.