Venezuelanos em Roraima começam a receber doações arrecadadas no Rio de Janeiro

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Abrigo em Boa Vista, onde estão migrantes e solicitantes de refúgio não indígenas, já recebeu os alimentos não perecíveis. Apenas este ano, estima-se que cerca de 20 mil venezuelanos já tenham solicitado refúgio no Brasil. Entre esses, aproximadamente 14 mil registraram sua solicitação em Roraima.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) tem trabalhado em parceria com outras agências da ONU, governo estadual e federal de Roraima e instituições da sociedade civil para oferecer assistência humanitária aos venezuelanos em situação de vulnerabilidade.

O abrigo localizado em Boa Vista, onde se encontram cerca de 500 venezuelanos, migrantes e solicitantes de refugio não indígenas, foi a primeira unidade a receber parte dos donativos encaminhados pelo estado do Rio de Janeiro.

O Governo do Estado, por meio de ação articulada entre a Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social) e a Defesa Civil, já entregou cerca de 200 quilos de alimentos não perecíveis, que integram as duas toneladas arrecadadas por meio de uma ação realizada pela Secretaria de Direitos Humanos do Rio de Janeiro, em parceria com a comunidade venezuelana daquele Estado e a empresa aérea Azul. A ação também contou com o apoio dos Mórmons que vivem em Boa Vista.

A logística e distribuição dos alimentos contou ainda com o apoio do ACNUR, a Agência da ONU para Refugiados, e a Igreja dos Mórmons.

O assistente de Proteção do ACNUR Rafael Levy destacou que a logística foi resultado de uma ação articulada entre o governo estadual e várias entidades. “Agora vamos atuar também na distribuição para que aqueles que estiverem em situação prioritária possam receber esses alimentos”, destacou.

Foram arrecadadas duas toneladas de donativos, entre alimentos não perecíveis, produtos de higiene pessoal, roupas e medicamentos. Os alimentos chegaram em quatro lotes a Roraima, por via aérea, entre os dias 10 e 14 de novembro, sendo armazenados na Rede Cidadania Melhor Idade e entregues oficialmente ao Governo do Estado na manhã desta sexta-feira (17).

“Agora será realizada a triagem dos donativos e distribuídos aos dois abrigos de Boa Vista e de Pacaraima de acordo com a necessidade de cada um. Hoje foram entregues alimentos ao abrigo do Tancredo Neves, que é a unidade mais vulnerável e necessita dessas doações”, explica a secretária-adjunta da Setrabes, Edilania Mangueira.

Os três abrigos de Roraima, dois em Boa Vista e um Pacaraima, hoje acolhem mais de mil pessoas, a maioria delas solicitantes de refúgio venezuelanos. Apenas este ano, estima-se que cerca de 20 mil venezuelanos já tenham solicitado refúgio no Brasil. Entre esses, aproximadamente 14 mil registraram sua solicitação em Roraima.

Um dos maiores desafios na resposta a esse fluxo tem sido a integração dessas pessoas. O ACNUR tem trabalhado em parceria com outras agências da ONU, governo estadual e federal de Roraima e instituições da sociedade civil para oferecer assistência humanitária aos venezuelanos em situação de vulnerabilidade.

Acompanhe o tema clicando aqui.


Mais notícias de:

Comente

comentários