Venezuelanas participam de roda de conversa sobre saúde sexual e reprodutiva em Roraima

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) realizou na semana passada uma roda de conversa sobre saúde sexual e reprodutiva com 40 jovens do BV-8, alojamento temporário da Operação Acolhida que abriga pessoas venezuelanas refugiadas e migrantes que chegam a Pacaraima (RR).

O objetivo foi levar informação sobre métodos contraceptivos e a necessidade de prevenir Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e gestações precoces. A atividade foi feita em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e o Ministério da Cidadania.

Adolescentes ouviram palestra de especialista do UNFPA. Foto: UNFPA

Adolescentes ouviram palestra de especialista do UNFPA. Foto: UNFPA

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) realizou na semana passada uma roda de conversa sobre saúde sexual e reprodutiva com 40 jovens do BV-8, alojamento temporário da Operação Acolhida que abriga pessoas venezuelanas refugiadas e migrantes que chegam a Pacaraima (RR).

O objetivo foi levar informação sobre métodos contraceptivos e a necessidade de prevenir Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e gestações precoces. A atividade foi feita em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e o Ministério da Cidadania.

Segundo a mobilizadora comunitária do UNFPA em Pacaraima, Elizabeth Betancourt, foi feita uma apresentação com linguagem acessível, e camisinhas masculinas e femininas foram apresentadas às adolescentes.

“Essa ação foi pensada para conscientizar a população jovem sobre os riscos de se ter relações sexuais desprotegidas. Mostramos que sexo é uma responsabilidade, e falamos também sobre gravidez na adolescência”, explicou. “A mensagem foi muito bem recebida. Inclusive, surgiram várias dúvidas e aconteceu um debate bem legal sobre o assunto.”

Outra roda de conversa está sendo organizada com os pais das jovens. A atividade tem apoio da Operação Acolhida, iniciativa do governo federal e das Forças Armadas em resposta ao fluxo migratório de pessoas venezuelanas.

Promover ações de saúde sexual e reprodutiva é um dos eixos do trabalho do UNFPA em Roraima, que atua na região desde 2017 por meio de seu programa de assistência humanitária.