Uruguai deve investigar militares acusados de abuso sexual no Haiti, afirmam Nações Unidas

ONU impôs política de tolerância zero contra abuso e exploração sexual cometidos por soldados em missões de paz. Todos que se envolverem com tais práticas serão punidos.

O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, determinou uma investigação completa e minuciosa sobre as acusações de abuso sexual envolvendo militares uruguaios que servem na Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (MINUSTAH).

“De acordo com os procedimentos acordados entre a ONU e os países que contrubuem com tropas, agora é responsabilidade do Uruguai conduzir a investigação com total apoio da Organização”, informou o Porta-Voz Eduardo del Buey nesta quarta-feira (07/09), em Nova York. Medidas disciplinares e judiciais devem ser tomadas se as denúncias forem comprovadas.

A ONU impôs uma política de tolerância zero contra abuso e exploração sexual cometidos por soldados que integram missões de paz. Isso significa que todos os boinas azuis que se envolvam com tais práticas serão punidos.