UNODC e Ministérios Públicos ibero-americanos discutem corrupção

Seminário “Corrupção: Necessidade de Eficiência na Punição” acontece em Brasília com a participação de 21 países.

O tema “Corrupção: Necessidade de Eficiência na Punição” foi debatido durante o Seminário Ibero-americano sobre Novas Formas de Criminalidade, nesta segunda-feira (05/12) em Brasília. O seminário reúne membros dos 21 países que integram a Associação Ibero-Americana de Ministérios Públicos (AIAMP).

Na abertura do encontro, o Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, destacou a importância da cooperação jurídica internacional no combate aos crimes transnacionais e falou sobre o combate à corrupção. Lembrou que no dia 9 de dezembro é comemorado o Dia Internacional de Combate à Corrupção e que os desafios se ampliam na medida em que os criminosos encontram novas práticas.

“Nossas instituições persecutórias devem centrar esforços no combate a este tipo de crime e devem estar alinhadas com os marcos regulatórios internacionais para intensificar a cooperação jurídica mútua,” afirmou Gurgel.

O Representante para o Brasil do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Bo Mathiasen, defendeu a importância de combater a corrupção. “Esse é um assunto que não divide o mundo entre norte e sul, leste ou oeste, porque é um problema de todos”, disse.

De acordo com o Banco Mundial, o impacto da corrupção é algo em torno de US$ 1 trilhão, com custo entre US$ 20 a 40 bilhões nos países em desenvolvimento. “A impunidade impede o desenvolvimento, ameaça a segurança, enfraquece os estados e pode colocar em risco a democracia”, declarou Mathiesen.

Clique aqui para mais informações.