UNIDO: parques industriais contribuem para países atingirem objetivos globais

Em muitos países em desenvolvimento, os parques industriais são vistos como ferramentas importantes para a industrialização inclusiva e sustentável e, portanto, fundamentais para o progresso nacional nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Eles podem ajudar os países a enfrentar o desafio do desenvolvimento inclusivo e sustentável através da colaboração aprimorada, e promover os objetivos globais por meio de novas parcerias.

A opinião é do representante da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) no Brasil, Alessandro Amadio. Em entrevista ao Centro de Informação da ONU para o Brasil (UNIC Rio), Amadio declarou que os parques industriais devem ser considerados ferramentas inestimáveis ​​para melhorar o desenvolvimento produtivo, promover o aprendizado tecnológico e a inovação, criar empregos e atrair investimentos, gerando vantagens comparativas e competitivas. Leia a entrevista completa.

Parque industrial em Altamira, no Pará. Foto: Wikimedia Commons/PuertoAltamira2012 (CC)

Em muitos países em desenvolvimento, os parques industriais são vistos como ferramentas importantes para a industrialização inclusiva e sustentável e, portanto, fundamentais para o progresso nacional nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Eles podem ajudar os países a enfrentar o desafio do desenvolvimento inclusivo e sustentável através da colaboração aprimorada, e promover os objetivos globais por meio de novas parcerias.

A opinião é do representante da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) no Brasil, Alessandro Amadio. Em entrevista ao Centro de Informação da ONU para o Brasil (UNIC Rio), Amadio declarou que os parques industriais devem ser considerados ferramentas inestimáveis ​​para melhorar o desenvolvimento produtivo, promover o aprendizado tecnológico e a inovação, criar empregos e atrair investimentos, gerando vantagens comparativas e competitivas.

Os parques industriais podem ajudar os países em desenvolvimento a superar as restrições que impedem o progresso da industrialização, como o acesso limitado a informações, tecnologia, finanças, infraestrutura e instituições fracas, bem como altos custos de produção e transação, defendeu.

O representante da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) para Brasil, Alessandro Amadio. Foto: UNIDO

O representante da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) para Brasil, Alessandro Amadio. Foto: UNIDO

“A UNIDO deve então deixar claro que os parques industriais têm um potencial único de contribuir eficientemente para o desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável (…) em toda a região latino-americana, levando à transformação econômica e que esse modelo deve ser replicado em todo o mundo”, declarou.

“Podemos citar também o caso específico dos Eco Parques Industriais, que trazem os seguintes benefícios para a economia local: criação de empregos diretos e indiretos; reduções na eliminação de resíduos, mitigação de risco, bem como níveis mais elevados de investimento estrangeiro direto. E devemos também ressaltar que os parques industriais estão totalmente alinhados com os princípios da economia circular e possibilitam a redução, reutilização e reciclagem eficientes dos resíduos.”

Segundo Amadio, parques industriais bem projetados e gerenciados desempenham um papel fundamental nos planos de desenvolvimento econômico de um país, com vistas a aumentar a produtividade e a competitividade do setor industrial.

Os parques industriais também podem fornecer um ambiente para que as empresas e a inovação prosperem e atraiam novos investimentos, afirmou. Em parques industriais bem operados, compradores, produtores e fornecedores operam no mesmo local, reduzindo custos de transação e estabelecendo novas formas de comportamento empreendedor, salientou.

“As empresas localizadas em parques industriais costumam usar os serviços de empresas locais, que oferecem possibilidades de criar ligações para trás e para frente, além de espalhar os benefícios econômicos para a comunidade em geral.”

Em 2018, a UNIDO estabeleceu uma Força Tarefa entre Departamentos para Parques Industriais, com o objetivo de consolidar e disseminar o conhecimento sobre o tema.

A Força-Tarefa, em consulta com parceiros, preparou as “Diretrizes Internacionais para Parques Industriais” para promover o desenvolvimento de parques industriais competitivos, inclusivos e sustentáveis ​​por meio de uma estrutura de referência abrangente.

As diretrizes fornecem recomendações passo a passo para as partes interessadas (governos, empresas, doadores e instituições financeiras) sobre como desenvolver e melhorar desempenho, sustentabilidade e inclusão de parques industriais.

Elas apoiam especificamente a tomada de decisões; eficiência e competitividade do parque industrial. Visam promover a produção sustentável e limpa, bem como o desenvolvimento de atividades econômicas inclusivas que capacitem pessoas e comunidades.

“O engajamento das partes interessadas e parcerias sólidas também são cruciais para a promoção de parques industriais. A UNIDO oferece então seus serviços para ajudar os implementadores locais a fazer o melhor uso das presentes diretrizes. Assim, o escopo desse engajamento pode ir da organização de fóruns internacionais e regionais, conferências e workshops técnicos à criação de plataformas de intercâmbio de conhecimento e aprendizado em parques industriais”, disse Amadio.

O Programa de Parceria para País (PCP, na sigla em inglês) da UNIDO é um modelo inovador da agência das Nações Unidas para acelerar o desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável nos Estados-membros. Alinhado com a agenda nacional de desenvolvimento e focado em setores com alto potencial de crescimento, o programa apoia um país na consecução de suas metas de desenvolvimento industrial.

Através do PCP, a UNIDO fornece serviços de consultoria aos governos em questões relacionadas ao setor, facilita a cooperação com o setor privado e instituições financeiras, fornece assistência técnica multidisciplinar e facilita a coordenação geral para aumentar a eficácia de projetos de cooperação técnica e medidas políticas.

Conferência em Lima

Em junho, a UNIDO promoveu em Lima, no Peru, uma Conferência Internacional sobre Parques Industriais, cujo objetivo foi apresentar os parques industriais como uma ferramenta importante para o desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável e fomentar o intercâmbio internacional sobre esse tema.

Mais 700 pessoas de mais de 30 países participaram e, entre elas, representantes de países de América Latina, África, Europa e Ásia. Assim, a conferência ofereceu uma plataforma global única para discussão e networking, lembrou Amadio.

“Fomos capazes de mobilizar os principais formuladores de políticas, o setor privado e os parceiros de cooperação para o desenvolvimento, a fim de aumentar o diálogo sobre a agenda de desenvolvimento dos parques industriais, e enfatizamos a integração entre as políticas governamentais e o setor privado”, disse.

“Espera-se que as discussões que tivemos durante aqueles dois dias contribuam para forjar mais parcerias futuras e promover os vínculos para desenvolver iniciativas conjuntas com alto impacto no desenvolvimento de parques industriais. Isso inclui a mobilização de recursos, e esperamos aumentar a colaboração entre os países para promover a sustentabilidade das indústrias locais no Peru e além.”

“Por meio desta conferência, nós da UNIDO também objetivamos facilitar a conscientização sobre o surgimento de novas oportunidades, para servir como uma plataforma forte que aumentará a visibilidade do PCP Peru, que é o modelo inovador da UNIDO para acelerar desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável. Permitiu destacar as principais considerações necessárias para garantir uma indústria competitiva de alta qualidade no Peru para melhorar o desenvolvimento socioeconômico do país e, esperançosamente, no futuro, do continente latino-americano”, concluiu.


Comente

comentários