UNICEF pede recursos para apoiar 200 mil crianças traumatizadas por conflito no leste da Ucrânia

Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) apelou por 31,2 milhões de dólares para dar assistência psicossocial a mais de 200 mil crianças traumatizadas pela violência em duas regiões afetadas pelo conflito no leste da Ucrânia.

Estudantes da primeira série no leste da Ucrânia participando de um treinamento de segurança. Foto: UNICEF/Zmey

Estudantes da primeira série no leste da Ucrânia participando de um treinamento de segurança. Foto: UNICEF/Zmey

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) apelou nesta sexta-feira (7) por 31,2 milhões de dólares para dar assistência psicossocial a mais de 200 mil crianças traumatizadas pela violência em duas regiões afetadas pelo conflito no leste da Ucrânia.

“O mundo se esqueceu dessa crise invisível no leste da Ucrânia, mas centenas de milhares de crianças estão pagando o preço mais alto, que pode durar toda a vida se não houver apoio adequado”, disse a representante do UNICEF no país, Giovanna Barberis, ressaltando a necessidade urgente do fundo para alcançar essas crianças traumatizadas e suas famílias.

De acordo com a agência da ONU, essas crianças vivem em Donetsk e Luhansk, a cerca de 15 quilômetros da “linha de contato” que divide separatistas e forças do governo, e sofrem de medo crônico devido ao bombardeio frequente, à luta imprevisível e ao perigo colocado por minas e explosivos não detonados.

O UNICEF informou também que elas se arriscam para obter educação. Segundo dados da ONU, sete escolas ficaram danificadas durante a mais recente escalada de violência ocorrida entre fevereiro e março. Além disso, mais 740 escolas foram destruídas desde que o conflito começou em 2014.

Pais, professores, diretores de escolas e psicólogos continuam relatando mudanças de comportamento surpreendentes em crianças de até três anos de idade. Os sintomas incluem ansiedade severa, pesadelos e comportamento agressivo, entre outros.

Trabalhadores sociais, psicólogos e professores especialmente treinados estão trabalhando 24 horas por dia. No entanto, à medida que o conflito avança, investimentos adicionais são necessários para atender suas necessidades.

“As crianças não devem viver com as cicatrizes emocionais de um conflito que não criaram. Um suporte adicional é necessário para que os jovens em Donetsk e Luhansk possam crescer e se tornar adultos saudáveis, reconstruindo suas comunidades”, acrescentou Barberis, pedindo às partes no conflito que renovem o cessar-fogo assinado em Minsk e acabem com essa “violência sem sentido”.