Bangladesh: UNICEF lança plano preventivo contra diarreia e cólera entre refugiados rohingya

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Segundo os dados mais recentes, desde 25 de agosto já são mais de meio milhão de refugiados fugindo de Mianmar só no principal local de chegada, em Cox’s Bazar, Bangladesh. Plano do UNICEF vai melhorar infraestrutura de água, saneamento e higiene nos assentamentos.

Segundo o UNICEF, 225 mil recém-chegados vivem em novos assentamentos espontâneos com infraestrutura de água, saneamento e higiene muito limitada devido à ausência de planejamento; 60% são crianças e 30% crianças menores de 5 anos. Foto: UNICEF/Brown

Segundo o UNICEF, 225 mil recém-chegados vivem em novos assentamentos espontâneos com infraestrutura de água, saneamento e higiene muito limitada devido à ausência de planejamento; 60% são crianças e 30% crianças menores de 5 anos. Foto: UNICEF/Brown

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) anunciou no início do mês (6) um plano de prevenção contra a diarreia aquosa aguda e o cólera entre refugiados rohingya que fugiram de Mianmar rumo a Bangladesh.

Segundo os dados mais recentes, desde 25 de agosto já são mais de meio milhão de refugiados fugindo de Mianmar só no principal local de chegada, em Cox’s Bazar, Bangladesh.

Segundo o UNICEF, 225 mil recém-chegados vivem em novos assentamentos espontâneos com infraestrutura de água, saneamento e higiene muito limitada devido à ausência de planejamento; 60% são crianças e 30% crianças menores de 5 anos.

Na última semana, alertou a agência da ONU, foram notificados 5.011 casos de diarreia. Desde 25 de agosto, foram construídos mais de 300 poços e 3 mil latrinas para melhorar essa infraestrutura tanto nos assentamentos improvisados existentes quanto nos novos assentamentos espontâneos.

A agência informou ainda que existem altos níveis de desnutrição grave entre os refugiados infantis, o que agrava os riscos associados a um surto de diarreia aquosa aguda e cólera.

“O que estamos vendo é que as pessoas estão exauridas e as crianças estão em maior risco de doenças. Existem riscos reais de surtos agudos de diarreia e cólera. Estamos muito preocupados e, portanto, estamos promovendo uma resposta urgente em todo o setor da saúde”, disse Maya Vandenant, chefe da Saúde do UNICEF Bangladesh.

“O planejamento dos campos de extensão está em grande parte ausente e não há infraestrutura em termos de garantir um bom saneamento e drenagem. Vemos que, depois das chuvas, a água escorre pelos campos em todos os lugares, incluindo os banheiros. Além disso, os campos agora estão sujeitos a altas densidades populacionais. Esses fatores aumentam o risco de surto e transmissão de doenças”, acrescentou Vandenant.

O UNICEF informou que o plano de resposta para prevenir surtos de doenças – incluindo a diarreia aquosa aguda e o cólera – foca em prevenção e no tratamento. “As crianças apanhadas na emergência estão em risco muito alto de diarreia. O UNICEF está trabalhando para ampliar os esforços neste tema [água, saneamento e higiene], mas a tarefa que temos à frente é imensa”, concluiu Vandenant.

Saiba como apoiar o trabalho do UNICEF em secure.unicef.org.br.


Mais notícias de:

Comente

comentários