UNICEF inclui cartilha sobre saúde menstrual em kits distribuídos às famílias em situação de vulnerabilidade

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) cria a cartilha “Menstruação na Pandemia e Outras Coisinhas” com informações sobre saúde menstrual, saúde mental e proteção contra a violência, que será distribuída para crianças, adolescentes e famílias em situação de vulnerabilidade.

Desde o início da pandemia, o UNICEF tem produzido impressos com informações seguras e baseadas em evidências científicas. Grande parte dos materiais é entregue junto com as doações de produtos de higiene e limpeza que estão sendo distribuídos em 10 capitais brasileiras. Há também distribuição em locais específicos, como unidades socioeducativas e abrigos para refugiados e migrantes venezuelanos.

Com foco em meninas, a cartilha tem como objetivo levar informação segura às adolescentes sobre saúde menstrual, saúde mental e proteção contra a violência, em meio à pandemia do novo coronavírus. Foto: UNICEF

Garantir o acesso a informações seguras é fundamental para se proteger contra o coronavírus e cuidar da saúde. Mas nem sempre crianças, adolescentes e famílias em situação de vulnerabilidade conseguem receber essas informações. Por isso, desde o começo da pandemia, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) tem produzido cartilhas, folhetos e cartazes, com informações seguras e baseadas em evidências científicas, que estão sendo distribuídos em capitais brasileiras. Entre esses materiais, foi incluída uma cartilha sobre saúde menstrual.

A cartilha “Menstruação na Pandemia e Outras Coisinhas” é voltada a meninas adolescentes e possui informações sobre como acompanhar e entender o ciclo menstrual, métodos anticoncepcionais e saúde sexual. O material inclui, também, informações sobre saúde mental, e orientações às meninas sobre o que fazer em situações de violência, incluindo canais de denúncia e os caminhos para acessá-los.

A cartilha faz parte de um conjunto de conteúdos impressos que têm sido produzidos e distribuídos pelo UNICEF a crianças, adolescentes e famílias em situação de vulnerabilidade. Grande parte dos materiais é entregue junto com as doações de produtos de higiene e limpeza que estão sendo distribuídos em 10 capitais brasileiras. Há, também, distribuição em locais específicos, como unidades socioeducativas e abrigos para refugiados e migrantes venezuelanos.

Folhetos sobre saúde e direitos

Entre os conteúdos distribuídos está, também, um folheto sobre como cuidar da saúde em tempos de COVID-19. Ilustrado pelos personagens da turminha do Bairro do Limoeiro, ele traz instruções sobre o que é a COVID-19, como se prevenir e como lidar com o isolamento social. Produzido pela Mauricio de Sousa Produções, com o apoio do UNICEF, o material foi traduzido para o espanhol e alcançou também refugiados e migrantes venezuelanos.

Além dele, foram produzidos e distribuídos folhetos com informações sobre o auxílio emergencial disponibilizado pelo Governo Federal.

Para unidades socioeducativas, o UNICEF preparou cartazes com informações sobre o coronavírus, os direitos garantidos a adolescentes e os canais de apoio psicossocial. Os cartazes foram afixados nas paredes das unidades.

Os folhetos foram impressos com apoio de Água de Manaus, Americanas, Bayer; Instituto Mitsui, Ministério Público do Trabalho (MPT), Supervia e Unilever. Além de Arteris, CGN, EDF Renewables, Gemini Energy, Omega Energia, Essencis e Termoverde, essas por meio de parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Resposta à COVID-19

A disseminação de informações faz parte da resposta do UNICEF à COVID-19, mas a estratégia não se limita a isso. Ao mesmo tempo em que busca responder às necessidades emergenciais de crianças, adolescentes e suas famílias, o UNICEF tem trabalhado em ações estruturais de longo prazo para minimizar os efeitos da pandemia na vida de meninas e meninos, e garantir direitos.

Entre as ações, destacam-se o fornecimento de itens de higiene e limpeza; o trabalho com governos nos níveis federal, estadual e municipal, empresas e sociedade civil para diminuir o impacto da crise nos serviços de saúde, educação, assistência social e proteção contra a violência de meninos e meninas; e o apoio à saúde mental de adolescentes e o monitoramento da situação e o impacto social da pandemia para produzir evidências em apoio a políticas e ações. Para saber mais sobre a resposta, confira as 10 ações do UNICEF para responder ao coronavírus no Brasil.