UNICEF estimula adolescentes a discutir ações a favor da redução das desigualdades no Brasil

Altos índices de homicídio de jovens, gravidez na adolescência e baixa qualidade da educação foram alguns dos temas abordados. Os participantes compartilharam experiências que já desenvolveram em seus municípios para melhorar a qualidade de vida.

Qualidade da educação no Brasil foi um dos temas mais debatidos pelos jovens na Plataforma dos Centros Urbanos (PCU). Foto: Agência Brasil/Wilson Dias.

Qualidade da educação no Brasil foi um dos temas mais debatidos pelos jovens na Plataforma dos Centros Urbanos (PCU). Foto: Agência Brasil/Wilson Dias.

A Plataforma dos Centros Urbanos (PCU), uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e seus parceiros, reuniu 70 adolescentes de oito capitais brasileiras em Brasília na última semana para discutir ações a favor da redução das desigualdades na garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes do país.

Dentre os temas mais debatidos, estiveram os altos índices de homicídio de jovens, a gravidez na adolescência e a baixa qualidade da educação. Os participantes vieram de Belém, Fortaleza, Maceió, Manaus, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís e São Paulo e compartilharam experiências que já desenvolveram em seus municípios para melhorar a vida da comunidade.

O objetivo destes jovens é elaborar propostas para influenciar políticas públicas com o apoio do governo, da sociedade e de organizações não governamentais. João Lucas da Costa, por exemplo, tem 15 anos e vem mobilizando 10 adolescentes para visitar escolas públicas para compreender a situação da educação da sua cidade, Belém (PA).

“Temos abertura para falar com os alunos dessas escolas porque eles nos veem como iguais. Por meio dessas consultas, nós identificamos algumas fragilidades do sistema educacional de Belém, como a falta de professores e problemas com a infraestrutura, e agora vamos propor melhorias para que os alunos gostem mais de frequentar a escola”, explica João Lucas.