UNICEF distribui kits para estimular desenvolvimento de crianças com síndrome congênita do zika

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em Campina Grande, na Paraíba, mães e famílias de bebês com a síndrome congênita do vírus zika e outras deficiências recebem a partir desta quinta-feira (17) kits para a estimulação das crianças. Iniciativa é parte do projeto Redes de Inclusão, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros. Programa atende 118 famílias do estado.

Estudos estabeleceram relação entre microcefalia e zika. Foto: EBC

Estudos estabeleceram relação entre microcefalia e zika. Foto: EBC

Em Campina Grande, na Paraíba, mães e famílias de bebês com a síndrome congênita do vírus zika e outras deficiências recebem a partir desta quinta-feira (17) kits para a estimulação das crianças. Iniciativa é parte do projeto Redes de Inclusão, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros.

Ao receberem os materiais, familiares participam de uma formação para aprender a utilizar cada objeto. A maioria dos bebês já participa do programa da agência da ONU há alguns meses e é atendida periodicamente no Hospital D. Pedro I, o principal da cidade. Com os kits, o Redes de Inclusão espera que as famílias consigam complementar o tratamento em casa.

Atualmente, o projeto já beneficia 118 famílias, que vêm de diferentes partes da Paraíba para ter atendimento em Campina Grande. Cada kit distribuído nesta semana é composto por dez itens que podem favorecer o desenvolvimento das crianças:

  1. Tapete – estimulação do desenvolvimento motor, visual e tátil;
  2. Rolo – auxílio para a posição de sentar e fortalecimento da musculatura das pernas, tronco e braços;
  3. Placas com listras e ‘mamãe-sacode’ – estimulação do desenvolvimento motor e da visão;
  4. Lanternas, bolas e copos coloridos – estimulação do desenvolvimento da visão;
  5. Esponja/escova – estimulação do desenvolvimento da percepção de texturas diferentes no rosto;
  6. Chocalho – estimulação do desenvolvimento motor, da audição e da visão;
  7. Colher – estimulação do desenvolvimento adequado da língua da criança;
  8. Pulseira – estimulação do desenvolvimento motor, auditivo e visual;
  9. Móbile – estimulação do desenvolvimento motor, auditivo e visual; e
  10. Sacola para transportar o material.

Os eventos para a entrega dos materiais marcam também a instalação do Comitê Intersetorial do Redes de Inclusão em Campina Grande e a colocação da pedra fundamental do Centro de Pesquisa e Atendimento a mulheres gestantes, famílias e cuidadores de crianças com SCZv e outras deficiências.

Sobre o Redes de Inclusão

O Redes de Inclusão é um projeto do UNICEF — em parceria com órgãos governamentais das esferas federal, estadual e municipal, agências da ONU e a Johnson & Johnson — que busca respostas mais efetivas para os desafios enfrentados por mulheres gestantes e famílias de crianças afetadas pelo vírus zika.

A iniciativa atua em três frentes distintas: grávidas, familiares e cuidadores; profissionais de saúde, educação e proteção social; e atenção integral e integrada, e atuação em rede. O objetivo é oferecer uma assistência humanizada às populações mais atingidas pela epidemia.


Mais notícias de:

Comente

comentários