UNICEF dá apoio a famílias de bebês com microcefalia em Campina Grande (PB)

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros anunciaram nova iniciativa para apoiar mulheres gestantes, famílias e cuidadores de crianças com síndrome congênita do zika, conhecida como microcefalia, em Campina Grande. A Paraíba é o terceiro estado do país com o maior número de casos confirmados (163 crianças) de microcefalia, tendo outros 198 sob investigação e um total de 902 notificados.

Bebês que nascem com microcefalia requerem atendimento específico e continuado. Foto: UNICEF/BRZ/Ueslei Marcelino

Bebês que nascem com microcefalia requerem atendimento específico e continuado. Foto: UNICEF/BRZ/Ueslei Marcelino

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros anunciaram nesta quinta-feira (15) nova iniciativa para apoiar mulheres gestantes, famílias e cuidadores de crianças com síndrome congênita do zika, conhecida como microcefalia, em Campina Grande, na Paraíba.

A Paraíba é o terceiro estado do país com o maior número de casos confirmados (163 crianças) de microcefalia, tendo outros 198 sob investigação e um total de 902 notificados. Foram registrados 26 óbitos, sendo 18 em consequência da microcefalia.

Campina Grande responde pelo atendimento em saúde de 67% dos casos confirmados no estado, sendo 104 crianças de outros municípios e 14 crianças residentes.

Com o objetivo de garantir o direito dessas crianças, o UNICEF criou o projeto Redes de Inclusão, coordenado com governos federal, estadual e municipal, assim como com organizações da sociedade civil, Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), ONU Mulheres e setor privado (Johnson & Johnson).

O projeto dará apoio a gestantes, famílias e cuidadores, desenvolvendo nova metodologia de capacitação para o estímulo do desenvolvimento das crianças em suas residências. A metodologia será desenvolvida por Ministério de Saúde, UNICEF e parceiro do serviço especializado em reabilitação, a Fundação Altino Ventura.

A iniciativa também prevê a capacitação de profissionais de saúde, educação e assistência social. O UNICEF, o Ministério da Saúde e a Opas/OMS também criarão uma metodologia de capacitação desses profissionais para o apoio psicossocial às gestantes, às famílias e aos cuidadores.

Outra frente de atuação é a atenção integrada e em rede: o projeto incidirá no fortalecimento das redes de atendimento. Serão criadas linhas de cuidado para atuação conjunta entre instituições e serviços municipais e estaduais das áreas de saúde, educação e proteção social.

Avanço do vírus zika

Até 3 de setembro, 9.289 casos foram notificados no Brasil, segundo definições do Protocolo de Vigilância do Ministério da Saúde. Desses, 1.888 confirmados para microcefalia e/ou alteração do Sistema Nervoso Central sugestivos de infecção congênita e 4.412 casos descartados. Continuam em investigação 2.989 (32,2%) do total de casos notificados.

 

Os primeiros anos de vida são decisivos para o desenvolvimento. No caso de crianças com microcefalia, o atendimento adequado e a estimulação oportuna favorecem o desenvolvimento neuropsicomotor e promovem melhora na qualidade de vida das crianças e de suas famílias.