UNICEF condena ataques a hospitais em Alepo, na Síria

Menino em frente a um edifício danificado durante combates em Alepo, na Síria. Foto: OCHA / Gemma Connell

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) condenou na terça-feira (26) os recentes ataques aéreos a quatro hospitais e um banco de sangue no leste da cidade de Alepo, na Síria.

Os quatro hospitais, que compõem metade das unidades de saúde da região, e um banco de sangue foram atingidos várias vezes entre 23 e 24 de julho, interrompendo os serviços de saúde necessários para salvar as vidas de até 300 mil pessoas.

Segundo relatos, um bebê de dois dias de idade morreu na incubadora do hospital al-Hakim devido a interrupções no fornecimento de oxigênio.

“Este hospital pediátrico apoiado pelo UNICEF, e o único na cidade, foi atingido duas vezes em menos de 12 horas”, observou a agência da ONU em comunicado.

“Instituições de saúde na Síria estão sendo atacadas com ferocidade alarmante”, acrescentou, citando estimativas de mais de quarenta ataques ocorridos este ano da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O UNICEF também relatou que cerca de 60% dos hospitais públicos no país foram fechados ou estão apenas parcialmente funcionando.

De acordo com a agência da ONU, atentados contra instalações de saúde são uma violação flagrante do direito internacional humanitário e constituem-se crimes de guerra.

“Instituições de saúde não devem nunca ser atacadas ou danificadas, e os profissionais de saúde devem ser autorizados a fornecer tratamento médicos e serviços para todas as pessoas necessitadas onde quer que elas estejam dentro da Síria.”