UNICEF condena ação terrorista que matou 30 pessoas em escola da Nigéria

Fundo das Nações Unidas para a Infância afirma que “não pode haver justificativa para ataque deliberado a crianças e àqueles que cuidam delas”.

Escola queimada pelo Boko Haram em Maiduguri, capital de Borno, Nigéria. Foto: IRIN/Aminu Abubaka

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) condenou o ataque a uma escola no estado de Yobe, Nordeste da Nigéria, que matou 29 alunos e um professor no sábado (6) e pediu que os responsáveis sejam levados à justiça. De acordo com a imprensa, o ato foi praticado pelo grupo Boko Haram.

“Ao mesmo tempo que enviamos nossas condolências às famílias das vítimas, afirmamos nos termos mais fortes que não pode haver justificativa para o ataque deliberado a crianças e àqueles que cuidam delas”, declarou o diretor regional do UNICEF para a África Central e Ocidental, Manuel Fontaine.

Unidades de ensino médio no estado de Yobe estão fechadas até o início do próximo ano acadêmico, em setembro, para permitir que as autoridades, assim como os líderes comunitários, busquem formas de garantir segurança para as escolas.

“O UNICEF pede que os responsáveis sejam levados à justiça e que as comunidades demandem que as escolas sejam locais seguros”, declarou o Fundo em comunicado.

Desde 16 de junho, 48 alunos e sete professores foram mortos em quatro ataques na região.