UNICEF capacita 707 municípios para ações contra Aedes aegypti

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) capacitou presencialmente 2.383 mobilizadores municipais nos últimos dois meses para realizar ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, que transmite doenças como dengue, chikungunya e zika.

Existem 100 milhões de pessoas sem acesso a sistemas adequados de saneamento na América Latina e 70 milhões não têm água encanada, segundo dados da ONU. Foto: EBC

Existem 100 milhões de pessoas sem acesso a sistemas adequados de saneamento na América Latina e 70 milhões não têm água encanada, segundo dados da ONU. Foto: EBC

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) capacitou presencialmente 2.383 mobilizadores municipais nos últimos dois meses para realizar ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, que transmite doenças como dengue, chikungunya e zika.

A iniciativa foi incluída este ano na metodologia do Selo UNICEF Município Aprovado, após o crescente número de casos de microcefalia em recém-nascidos, com relação com o vírus zika.

Os mobilizadores que participaram dos treinamentos são articuladores do Selo UNICEF (um funcionário municipal indicado pelo prefeito), secretários de Educação e Saúde, membros dos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e adolescentes engajados politicamente em seus municípios por meio dos Núcleos de Cidadania dos Adolescentes (NUCAs). Entre os participantes, estiveram presentes 771 adolescentes.

Combater Aedes vale “ponto extra”

Agora, os municípios têm até 31 de julho para comprovar a realização de pelo menos quatro ações relacionadas ao combate ao mosquito Aedes aegypti e, com isso, garantir um “ponto extra” no Selo UNICEF Município Aprovado. As quatro ações são:

– Realizar campanhas nas rádios locais orientando a população a não deixar água parada;

– Garantir 100% das escolas municipais realizando ações de conscientização com alunos;

– Criar um Comitê Municipal específico para ações de combate ao mosquito;

– Realizar mutirões informativos nas ruas e bairros com ajuda dos NUCAs.

Os resultados esperados são a redução significativa dos focos de água parada nesses municípios, e, consequentemente, a redução do número de mosquitos e do risco de proliferação das doenças que ele transmite.

Metodologia

Esse foi o sétimo – e último – ciclo de capacitações do Selo UNICEF na atual edição (2013-2016), que entra agora em fase de avaliação das ações que foram realizadas nesses três primeiros anos. Conquista o Selo UNICEF o município que comprovar a realização de pelo menos 19 das 28 ações possíveis, todas ligadas à redução das desigualdades sociais que impactam a vida de crianças e adolescentes.

A nova ação não alterou as regras do Selo UNICEF: permanece a necessidade dos municípios de atingir 19 pontos, mas agora, em vez de 27 ações estratégicas, eles podem escolher entre 28. Todos os 1.134 municípios do Semiárido inscritos na atual edição do Selo UNICEF podem participar, mesmo aqueles que não estiveram nas capacitações.

O UNICEF disponibiliza em seu site informações sobre o combate ao Aedes, além de spots de rádio e dicas de prevenção que podem ser reproduzidas pelos municípios.

Selo UNICEF – O Selo UNICEF Município Aprovado é uma iniciativa para superar as desigualdades que afetam as crianças e os adolescentes que vivem no Semiárido e na Amazônia Legal Brasileira.