UNICEF apoia projetos criados por jovens em situação de vulnerabilidade no Rio

Após o processo de mobilização e inscrição em novembro do ano passado, 100 jovens de diferentes regiões da capital fluminense foram selecionados para a jornada de criação do projeto Chama na Solução Rio de Janeiro, na qual refletiram sobre os problemas que enfrentam e pensaram juntos em soluções.

O projeto é realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceira com o Centro de Promoção da Saúde (CEDAPS), e busca envolver jovens mais vulneráveis na criação de soluções para os problemas que os afetam, especialmente em relação à inserção no mundo do trabalho.

O projeto Chama na Solução Rio de Janeiro reúne jovens de favelas e periferias da cidade do Rio de Janeiro para a criação de ações que reduzam a distância entre os jovens mais vulneráveis e as oportunidades de renda e trabalho. Foto: UNICEF

O projeto Chama na Solução Rio de Janeiro reúne jovens de favelas e periferias da cidade do Rio de Janeiro para a criação de ações que reduzam a distância entre os jovens mais vulneráveis e as oportunidades de renda e trabalho. Foto: UNICEF

Após o processo de mobilização e inscrição em novembro do ano passado, 100 jovens de diferentes regiões da capital fluminense foram selecionados para a jornada de criação do projeto Chama na Solução Rio de Janeiro, na qual refletiram sobre os problemas que enfrentam e pensaram juntos em soluções.

O projeto é realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceira com o Centro de Promoção da Saúde (CEDAPS), e busca envolver jovens mais vulneráveis na criação de soluções para os problemas que os afetam, especialmente em relação à inserção no mundo do trabalho.

Ao final dessa jornada de criação, cinco soluções foram adiante para a terceira etapa do Chama na Solução: a apresentação das propostas para potenciais mentores e um aprimoramento dessas ideias.

Essa etapa teve início no fim de janeiro, com uma tarde em que os jovens puderam expor suas ideias, sendo assessorados para que estas se tornem ações em prol do desenvolvimento juvenil. Após esse momento de ajustes, os cinco projetos receberão um financiamento para que sejam colocados em prática.

“O retorno dos mentores foi essencial. Receber atenção de pessoas que trabalham em instituições renomadas, dando feedback e somando na intenção de transformar nossos projetos em realidade, foi uma experiência maravilhosa”, afirma Cassiane, uma das participantes do Chama na Solução.

As propostas selecionadas:

Conecta Jovem/Conexão Juventude: Atuando na zona oeste, o projeto pretende unir jovens e voluntários para auxiliar com diferentes demandas que estão relacionadas ao ingresso no mercado de trabalho formal. Buscando promover o desenvolvimento de diferentes habilidades, sociais e acadêmicas, e também a troca entre pares.

Jovens Podem: Planeja a produção e publicação de uma cartilha sobre temas importantes para empregabilidade, atuando em massa nas mídias sociais e disseminando informações sobre o mundo do trabalho.

Pontes para a Mudança: Criação de um aplicativo para elaboração de um plano de vida gamificado (utilizando recursos de jogos) de jovens, capazes de elencar, registrar e organizar seus objetivos com relação ao mundo do trabalho. Além da divulgação de oportunidades de qualificação e desenvolvimento que estejam próximas ao jovem.

Empresa Poética/Coletivo Juventudes (Chama na Solução Local): Busca dar novo significado para os processos seletivos para jovens e humanizá-los, oferecendo formação que auxilie na identificação e expressão de qualidades e habilidades sociais, não apenas acadêmicas.
De dentro para fora: Auxilia o jovem no desenvolvimento de habilidades sociais e pessoais para o aprimoramento profissional. Atuando na zona sul e no centro do Rio de Janeiro.

Sobre o Chama na Solução Rio de Janeiro

O projeto Chama na Solução Rio de Janeiro — uma iniciativa do UNICEF, em parceria técnica com o Centro de Promoção da Saúde (CEDAPS) — reúne jovens de favelas e periferias da cidade do Rio de Janeiro para a criação de ações que reduzam a distância entre os jovens mais vulneráveis e as oportunidades de renda e trabalho.

Em sintonia com a iniciativa global do UNICEF Geração que Transforma, o novo projeto teve início em novembro de 2019 e será desenvolvido por seis meses.