UNICEF ajuda São Luís a combater abandono e atraso escolares

No mês em que São Luís (MA) realiza a matrícula dos alunos da rede pública, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) reuniu-se com representantes de secretarias municipais para discutir estratégias de combate à evasão e ao atraso escolares. Em 2017, 4,6% dos alunos do ensino médio abandonaram colégios estatais na capital — o que corresponde a 1.817 estudantes.

Alunos da rede municipal de ensino em São Luís (MA). Foto: Agência São Luís/A. Baeta

Alunos da rede municipal de ensino em São Luís (MA). Foto: Agência São Luís/A. Baeta

No mês em que São Luís (MA) realiza a matrícula dos alunos da rede pública, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) reuniu-se com representantes de secretarias municipais para discutir estratégias de combate à evasão e ao atraso escolares. Em 2017, 4,6% dos alunos do ensino médio abandonaram colégios estatais na capital — o que corresponde a 1.817 estudantes.

O número consta no Censo Escolar 2017, que também documenta a exclusão no ensino fundamental. Nesse nível da educação formal, 1,7% dos alunos — 1.448 jovens — deixaram de frequentar escolas públicas em São Luís.

Dentro dos colégios, merecem atenção as crianças em situação de distorção idade-série — que, por causa disso, são consideradas em potencial risco de abandono. No ensino fundamental da rede pública, 20,9% dos alunos maranhenses tinham dois ou mais anos de atraso escolar em 2017, o equivalente a quase 17,8 mil estudantes. No ensino médio, a taxa de distorção era de 28,5% — 11.258 alunos.

A capital do Maranhão participa da Busca Ativa Escolar, uma iniciativa do UNICEF para articular gestores municipais e garantir que as crianças e os adolescentes fora da escola sejam identificados, as famílias sejam contatadas e a matrícula seja garantida.

O especialista em Educação do fundo da ONU, Ângelo Damas, reuniu-se nos dias 16, 17 e 18 de janeiro com assistentes sociais, educadores e gestores de saúde para melhorar seu conhecimento sobre como cada instituição pode integrar a Busca Ativa Escolar em São Luís, compartilhando soluções e experiências.

Com essa iniciativa, as Secretarias Municipais de Educação, da Criança e Assistência Social e da Saúde reconhecem que a inserção e o sucesso escolar são importantes não somente para o aprendizado, mas para a saúde física, mental e emocional dos jovens. O aprendizado também é central para a qualidade das relações sociais e o desenvolvimento integrado de crianças e adolescentes como cidadãos.

Sobre a Busca Ativa Escolar

A Busca Ativa Escolar é uma plataforma gratuita e uma tecnologia social que visa contribuir com os municípios e os estados para o enfrentamento da exclusão escolar. O projeto foi desenvolvido pelo UNICEF em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME), o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (CONGEMAS) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS).

A intenção é apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão. A Busca Ativa Escolar possibilita ao município mapear as principais causas da exclusão. Também permite reconhecer os territórios mais vulneráveis, colaborando para o planejamento de políticas públicas específicas.

O projeto faz parte do programa mais amplo do UNICEF para as cidades brasileiras — a Plataforma dos Centros Urbanos (PCU), implementada em dez capitais para promover os direitos das crianças e adolescentes. Participam da plataforma Belém, Fortaleza, Manaus, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís, São Paulo e Vitória.