UNIC Rio anuncia vencedores do 1º Concurso de Vídeo da ONU Nelson Mandela

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) anunciou os vencedores do 1º Concurso de Vídeo da ONU Nelson Mandela, que selecionou melhores trabalhos com o tema “A luta contra a pobreza é uma questão de justiça. Não é um gesto de caridade”. As três produções audiovisuais escolhidas serão exibidas no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) no Rio de Janeiro, em 21 de setembro, Dia Internacional da Paz.

Foto: Fundação Nelson Mandela; Arte: UNIC Rio

Foto: Fundação Nelson Mandela; Arte: UNIC Rio

O Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) anunciou nesta segunda-feira (04) os vencedores do 1º Concurso de Vídeo da ONU Nelson Mandela, que teve como tema “A luta contra a pobreza é uma questão de justiça. Não é um gesto de caridade”.

As três produções audiovisuais selecionadas – Afronte Negra, Tecendo a Liberdade e Onde a Música Transforma – serão exibidas no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) no Rio de Janeiro, em 21 de setembro, Dia Internacional da Paz.

Os filmes foram avaliados segundo seis critérios – roteiro, interpretação (no caso das obras de ficção), qualidade estética, originalidade, diversidade e relação com o tema. Participaram do juri Manoel de Almeida, Patricia Machado, Rita Brandão, Sérgio Rizzo e Werner Schünemann. Para saber mais sobre os jurados, clique aqui.

Conheça os vencedores

Afronte Negra

Direção: Carina Aparecida dos Santos

Sinopse: A partir de uma linguagem poética, o vídeo traz reflexões sobre o histórico de injustiças e o horizonte de resistência que demarcam as vidas das mulheres negras. Carina Aparecida dos Santos é realizadora audiovisual do Sinpro (Sindicato dos Professores de Minas Gerais). Ela buscou valorizar a participação das mulheres negras do próprio sindicato, propondo uma reflexão em torno das funções historicamente demarcadas a essa população, como reflexo direto da escravidão. “Foi uma forma de valorizar a presença e força dessas mulheres, porque acredito que a luta contra o racismo e pela construção do empoderamento feminino é uma luta diária”, conta a diretora.

Tecendo a Liberdade

Direção: Luíza Matravolgyi Damião

Sinopse: Longe das grandes metrópoles brasileiras, detentas no Centro de Reeducação Feminino de Ananindeua, no Pará, criaram a primeira cooperativa exclusivamente formada e administrada por presas, a COOSTAFE. A cooperativa gera renda para as presas que, de dentro do cárcere, ajudam a sustentar suas famílias e dá oportunidade de trabalho após a saída da prisão. A paulistana Luíza Matravolgyi Damião busca trazer para o debate o encarceramento em massa sob o ponto de vista de gênero. “O que acontece com uma mulher que passa anos presa, em geral esquecida por seu marido, e ao sair se depara com um abandono ainda maior? Que ao sair, se depara com uma sociedade que não lhe oferecer uma oportunidade? A probabilidade dessa mulher perpetuar o ciclo vicioso da pobreza é enorme”, explica.

Onde a Música Transforma

Direção: Pedro Gadiani Ferrarini

Sinopse: O filme retrata a trajetória do Instituto Baccarelli, ONG localizada na comunidade Heliópolis, na Zona Sul de São Paulo, que tem por missão oferecer formação musical e artística, proporcionando desenvolvimento pessoal e criando a oportunidade de profissionalização, com foco em crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social. O projeto foi a inspiração de Pedro Gardiani Ferrarini para produzir um dos filmes vencedores do concurso. “Nossa motivação foi a paixão da equipe profissional que trabalha no Instituto, que cumpre o papel de formar não apenas artistas, mas, também jovens capazes de seguir seus sonhos e mudar a realidade de suas famílias”, afirma o diretor.


Mais notícias de:

Comente

comentários