União Internacional de Telecomunicações quer estimular gestão mais inteligente da água

Plataformas baseadas em tecnologias de informação e comunicação (TIC) serão parte integrante da agenda de desenvolvimento pós-2015, afirmou a agência da ONU.

Participantes em uma oficina da União Internacional de Telecomunicações (UIT) realizada na Bacia do Rio Nilo concordaram em realizar uma chamada à ação com a agência para cobrar mobilização de seus membros globais para permitir a gestão “inteligente” da água.

A integração ‘inteligente’ de tecnologia da informação e comunicação (TIC) em redes de água adiciona capacidades de comunicação, monitoramento, análise e controle, aumentando a eficiência e confiabilidade no fornecimento de água, melhorando a gestão para os setores cruciais como a agricultura e a saúde, além de reduzir o consumo de água e os resíduos.

A oficina foi realizada na cidade de Luxor nos últimos dias 14 e 15 abril e foi organizada pelo Ministério das Comunicações e Tecnologia da Informação do Egito. O evento foi o primeiro do tipo e reflete o crescente interesse pelo tema.

O Secretário-Geral da UIT, Hamadoun Touré, ressaltou a importância do abastecimento suficiente de água de boa qualidade, uma das metas presentes nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) — a de reduzir pela metade o número de pessoas sem acesso seguro a água até 2015.

“Uma das muitas maneiras em que as TIC serão centrais para a agenda de desenvolvimento pós-2015 é através do apoio a uma maior agilidade e eficiência nas estruturas de gestão da água”, afirmou Touré.

O crescimento econômico, as mudanças climáticas e o aumento populacional estão afetando a disponibilidade de recursos hídricos. Segundo estimativas da ONU, 85% da população global vive na metade ‘seca’ do planeta, 783 milhões de pessoas não têm acesso a água potável, quase 2,5 bilhões não têm acesso a saneamento adequado e entre 6 a 8 milhões de pessoas morrem anualmente a partir das consequências das catástrofes e doenças relacionadas com a água.