UNFPA realiza oficinas de saúde sexual e reprodutiva com refugiados e migrantes em Roraima

No mês de novembro, Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil promoveu encontros com pessoas refugiadas e migrantes venezuelanas vivendo na cidade de Pacaraima (RR), município fronteiriço entre os dois países.

Em parceria com a Associação Voluntários para o Serviço Internacional – Brasil (AVSI Brasil) e a equipe médica do Exército Brasileiro atuando na Operação Acolhida, o UNFPA realizou formação com jovens sobre saúde sexual e reprodutiva, especificamente sobre a prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs); a gravidez não intencional; e o uso dos métodos contraceptivos.

Jovens recebem orientações sobre saúde sexual e reprodutiva de oficiais do UNFPA em Pacaraima, Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Jovens recebem orientações sobre saúde sexual e reprodutiva de oficiais do UNFPA em Pacaraima, Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), em parceria com a Associação Voluntários para o Serviço Internacional – Brasil (AVSI Brasil) e a equipe médica do Exército Brasileiro atuando na Operação Acolhida, em Roraima, realizaram em novembro uma formação com jovens migrantes e refugiados venezuelanos vivendo na fronteira entre os dois países.

O objetivo do encontro foi aproximar os jovens recém-chegados ao Brasil que se encontram no abrigo de passagem da Operação Acolhida em Pacaraima aos temas da saúde sexual e reprodutiva, especificamente sobre a prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs); a gravidez não intencional; e o uso dos métodos contraceptivos.

“É muito importante tirar dúvidas em momentos de encontros como este, porque sempre vamos ter informações novas que nos ajudam a melhorar as nossas relações e a prevenir situações difíceis, que as mulheres não querem para elas e nós também não queremos”, comentou Pedro Rivero, jovem participante da atividade.

Pacaraima é o município brasileiro que faz fronteira com a Venezuela, e por onde atualmente é recebido o fluxo migratório proveniente do país vizinho.

A população jovem migrante compõe uma parcela importante deste fluxo. O UNFPA atua, neste contexto, fornecendo as informações necessárias para garantir que esses jovens possam planejar adequadamente sua vida sexual e reprodutiva e que possam ter serviços de saúde de qualidade dentro do Brasil.

Conversa sobre aleitamento materno com mulheres indígenas venezuelanas

Mulheres conversam sobre importância do aleitamento materno no abrigo indígena Janokoida, em Pacaraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Mulheres conversam sobre importância do aleitamento materno no abrigo indígena Janokoida, em Pacaraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

No dia oito de novembro, 40 mulheres gestantes e lactantes pertencentes à comunidade indígena Warao se reuniram para falar sobre a importância do aleitamento materno.

Encontro foi realizado nos espaços do abrigo indígena Janokoida, em Pacaraima. A atividade foi coordenada pelo UNFPA e a Fraternidade Internacional, responsáveis pela gestão deste abrigo da Operação Acolhida em Pacaraima.

As mulheres participantes, muitas atravessando a primeira gravidez e a maioria lactante, trocaram sobre suas dúvidas, dificuldades e experiências na hora de amamentar.

A assistente de campo do UNFPA em Roraima, Sofia Chavez, destacou a importância do vínculo entre mãe e bebê que se constrói por meio da prática do aleitamento.

“Foi uma grande experiência na qual levamos informações e recebemos outras, compartilhamos conhecimentos e ressaltamos a importância do aleitamento”, afirmou.

No final do encontro também foram entregues Kits Dignidade para as participantes.

O Fundo de População da ONU trabalha na aproximação com mulheres indígenas em contexto migratório, garantindo o acesso a informações e serviços sobre saúde sexual e reprodutiva no estado de Roraima.