UNFPA: População dos cinco países do BRICS é tema de seminário no Brasil

O evento reúne especialistas sobre população do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul e busca uma proposta de plano de trabalho conjunto para os países do grupo.

A índia é um dos países onde o crescimento populacional é mais acelerado no mundo. Foto: ONU/Kibae Park

A índia é um dos países onde o crescimento populacional é mais acelerado no mundo. Foto: ONU/Kibae Park

As populações dos países que compõem os BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – ganham destaque em dois encontros realizados em Brasília entre os dias 10 e 13 de fevereiro, promovidos pelo governo brasileiro com o apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). O grupo BRICS é formado pelos principais países de economia emergente do mundo. Juntos, são territórios onde vivem 2,9 bilhões de pessoas. Os semelhantes contextos econômicos e populacionais são identificados como uma oportunidade para o compartilhamento de experiências e cooperação.

Trata-se do 2º Seminário de Funcionários e Peritos em Questões Populacionais do BRICS e na 1ª Reunião de Ministros Responsáveis por Assuntos Populacionais do BRICS. Durante os quatro dias de seminários, as delegações terão a oportunidade de debater temas de relevância para o BRICS e para suas realidades nacionais, como mortalidade materna, Aids e doenças sexualmente transmissíveis; migração rural-urbana e urbanização; envelhecimento e transferências intergeracionais; desigualdades de gênero no mercado de trabalho e o papel das mulheres no cuidado de crianças pequenas e idosos dependentes.

O recém-nomeado diretor da Divisão Técnica do UNFPA, Benoit Kalasa, ressaltou que o Fundo está pronto para reforçar a cooperação entre as instituições nacionais dos países dos BRICS. “Esses países tem ambientes similares, enfrentam desafios comuns e buscam atingir objetivos comuns, e, mais importante ainda, estão bem posicionados para colaborar com outros países por meio de capacitação, desenvolvimento institucional e advocacy”, afirmou. Para Kalasa, “os benefícios e as potencialidades da experiência do BRICS são evidentes em muitas áreas, especialmente nos temas de população”.

Ainda no início do evento, durante a primeira sessão, ministros responsáveis por assuntos populacionais dos países do grupo levantaram questões de maior relevância. Rússia destacou esforços no aumento da fecundidade, China e Índia falaram sobre a preocupação com as taxas de natalidade e África do Sul, a necessidade de maiores esforços no controle da mortalidade materna, do HIV e de doenças sexualmente transmissíveis.

Reunião ministerial

Na quinta-feira (12), ministros brasileiros ligados a assuntos populacionais, como o do Desenvolvimento Social e o das Cidades e ao menos um ministro de cada um dos países participantes se reúnem na 1ª Reunião de Ministros Responsáveis por Assuntos Populacionais do BRICS.

A expectativa é que a partir dessa reunião seja apresentado um plano de trabalho conjunto, firmado entre os representantes do BRICS, voltado para os assuntos de população e desenvolvimento.