UNFPA e ACNUR realizam primeiro treinamento online sobre prevenção ao abuso e à exploração sexual

Em razão da pandemia de COVID 19, foi realizada na segunda-feira (13) a primeira sessão remota da Oficina Proteção Contra a Exploração, Abuso Sexual e Assédio, com mediação de oficiais da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

A oficina teve como objetivo sensibilizar os trabalhadores e trabalhadoras da assistência humanitária sobre como os atos de exploração e abuso sexual afetam indivíduos e comunidades inteiras e o que fazer a respeito por meio de mecanismos de denúncia.

Elayne Sartori, assistente de campo do Fundo de População da ONU, foi uma das mediadoras da sessão. Foto: UNFPA Brasil/Igo Martini

Elayne Sartori, assistente de campo do Fundo de População da ONU, foi uma das mediadoras da sessão. Foto: UNFPA Brasil/Igo Martini

Em razão da pandemia da COVID 19, foi realizada na segunda-feira (13) a primeira sessão remota da Oficina Proteção Contra a Exploração, Abuso Sexual e Assédio.

A atividade teve a participação de militares da área da saúde do 8º Contingente do Exército que atuará na Força Tarefa Humanitária da Operação Acolhida nas cidades de Boa Vista e Pacaraima (RR).

A oficina teve como objetivo sensibilizar os trabalhadores e trabalhadoras da assistência humanitária sobre como os atos de exploração e abuso sexual afetam indivíduos e comunidades inteiras e o que fazer a respeito por meio de mecanismos de denúncia.

O conhecimento adquirido apoiará os esforços para impedir, prevenir, proteger e combater a exploração e o abuso sexual.

As mediadoras foram Eloá Prado, associada de proteção da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), e Elayne Sartori, assistente de campo do Fundo de População da ONU (UNFPA).

Desde 2018, UNFPA e ACNUR lideram e apoiam os treinamentos do tipo em Roraima. Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Organização Internacional para as Migrações (OIM) e ONU Mulheres também apoiam e participam ativamente das oficinas.