UNESCO promove campanhas educativas através da mídia para combater o ebola em Serra Leoa e Libéria

O projeto tem como base as rádios comunitárias em Serra Leoa e na Libéria e promove, em colaboração com os ministérios da saúde, programas de conscientização e jornais interativos, apresentados em inglês e línguas locais.

Crianças leem um cartaz com informação sobre prevenção do ebola. Foto: UNICEF/Jallanzo

Crianças leem um cartaz com informação sobre prevenção do ebola. Foto: UNICEF/Jallanzo

Para que as comunidades entendam melhor a doença e consigam uma proteção mais eficaz, é essencial fornecer informações claras e precisas. Pensando neste objetivo, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) apoia os esforços dos governos de Serra Leoa e da Libéria destinados a prevenir a propagação da doença com informações sobre fatores de risco, métodos de prevenção e critérios para uma intervenção segura.

“Precisamos reforçar a prevenção para impedir a propagação da doença. O ponto de partida para isso é proporcionar à população de todos os distritos e municípios uma informação clara, acessível e confiável”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova. “Para parar o ebola é necessário que todas as mulheres e homens ajam de forma eficaz nas comunidades, e este projeto vai nos ajudar a alcançá-los e apoiá-los”.

O projeto terá como base as rádios comunitárias em Serra Leoa e na Libéria e promoverá, em colaboração com os ministérios da saúde, programas de conscientização e jornais interativos, apresentados em inglês e línguas locais.

Informação, educação e comunicação, através de folhetos, cartazes, banners e camisetas, serão distribuídos em centros comunitários, centros de juventude e escolas, em conjunto com guias para que as pessoas se envolvam em debates sobre prevenção e resposta ao vírus ebola.

A UNESCO também apoiará o recrutamento e a formação de “líderes de conscientização sobre o ebola” para ajudar a divulgar mensagens claras sobre a prevenção nas comunidades.

Aproveitando-se das parcerias existentes com as emissoras, anúncios de televisão de curta duração serão produzidos para informar os telespectadores sobre a higiene pessoal, os sinais e sintomas do ebola, métodos de prevenção e como lidar com possíveis indícios de forma segura. Farão parte desses anúncios pessoas influentes, idosos e embaixadores da saúde para incentivar comportamentos saudáveis ​​e ajudar a deter a propagação da doença.

“Acredito que esse projeto vai contribuir significativamente para o reforço da ação internacional e estão prontos para se expandir, até mesmo para outros países”, disse Irina Bokova.

O projeto é liderado pelo Escritório da UNESCO em Abuja, na Nigéria, que opera como sede regional multissetorial para a África Ocidental, incluindo Benin, Costa do Marfim, Gana, Guiné, Libéria, Nigéria, Serra Leoa e Togo. Para realizar o projeto, o Instituto irá trabalhar em estreita colaboração com as agências da ONU nos países e com a Missão das Nações Unidas em Resposta de Emergência para o Ebola (UNMEER).

Este trabalho é uma parceria com rádios comunitárias apoiadas pela UNESCO, como a rádio Bintumani, de Serra Leoa. O diretor dessa emissora, Steven Manasaray, resumiu a importância deste trabalho: “A estação tem ajudado muito a trazer calma à comunidade e dissipar os receios. Estamos na vanguarda da luta para educar as pessoas sobre como o vírus é contraído e quais sintomas são importantes. As pessoas vêm de aldeias próximas para nos dizer o quanto eles apreciam o trabalho que estamos fazendo, especialmente os programas sobre o ebola em línguas locais”.