UNESCO premia em Paris iniciativas globais de combate ao analfabetismo

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

No Dia Internacional da Alfabetização, lembrado nesta sexta-feira (8), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) premia iniciativas globais de combate ao analfabetismo por meio das novas tecnologias. A entrega do prêmio ocorre na sede da agência da ONU em Paris, na França.

O Prêmio Internacional de Alfabetização da UNESCO deste ano premiará laureados de Canadá, Colômbia, Jordânia, Paquistão e África do Sul. Neste ano, o prêmio e a celebração terão como foco a Alfabetização no Mundo Digital.

A alfabetização em um mundo digital está no centro das celebrações do Dia Internacional da Alfabetização. Foto: UNFPA/Roar Bakke Sorensen (arquivo)

A alfabetização em um mundo digital está no centro das celebrações do Dia Internacional da Alfabetização. Foto: UNFPA/Roar Bakke Sorensen (arquivo)

No Dia Internacional da Alfabetização, lembrado nesta sexta-feira (8), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) premia iniciativas globais de combate ao analfabetismo por meio das novas tecnologias. A entrega do prêmio ocorre na sede da agência da ONU em Paris, na França.

O Prêmio Internacional de Alfabetização da UNESCO deste ano premiará laureados de Canadá, Colômbia, Jordânia, Paquistão e África do Sul. Neste ano, o prêmio e a celebração terão como foco a Alfabetização no Mundo Digital.

A cerimônia de entrega do prêmio será realizada como parte de uma celebração global da UNESCO para o dia e que acontece no contexto da Agenda Educação 2030, na qual a comunidade internacional se compromete a garantir educação inclusiva, equitativa e de qualidade e aprendizagem ao longo da vida para todos.

O evento deste ano reúne interessados e tomadores de decisão de diferentes partes do mundo para examinar como tecnologias digitais podem ajudar a diminuir a ausência da alfabetização e construir uma melhor compreensão das competências necessárias na sociedade contemporânea.

Atualmente, há mais de 750 milhões de pessoas analfabetas no mundo, das quais 63% são mulheres. Essa população inclui 102 milhões de pessoas jovens (de 15 a 24 anos), das quais 57% são mulheres, de acordo com o Instituto de Estatísticas da UNESCO.

“Tecnologias Digitais permeiam todas as esferas das nossas vidas, fundamentalmente moldando como vivemos, trabalhamos, aprendemos e socializamos”, afirmou a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, em sua mensagem para o dia.

Ela enfatizou a importância de repensar e desenvolver capacidades necessárias para fazer parte de um mundo digital. “Essas novas tecnologias estão abrindo amplas novas oportunidades para melhorar nossas vidas e criar conexão global, mas elas também marginalizam aqueles que carecem das competências essenciais, como a alfabetização, necessárias para utilizá-las”, disse.

Irina Bokova será a anfitriã da cerimônia dos Prêmios Internacionais de Alfabetização, na qual cada laureado apresentará seus programas e receberá uma medalha e o prêmio em dinheiro.

Um dos vencedores do Prêmio UNESCO Rei Sejong de Alfabetização, dedicado à educação e treinamento em alfabetização na língua materna, patrocinado pela Coreia do Sul, é o Centro para o Estudo de Aprendizagem e Performance da Concordia University (Canadá). A iniciativa venceu com um projeto de utilização de tecnologias de educação no desenvolvimento de competências essenciais de educação na África Sub-Saariana, desenvolvendo e distribuindo seu material internacional e gratuitamente.

A outra iniciativa vencedora foi We Love Reading (Jordânia), um programa com uma comunidade virtual que oferece treinamento de leitura em voz alta para pais, mobiliza voluntários para leitura em voz alta em espaços comunitários para crianças e fornece material apropriado para cada idade por meio de uma biblioteca digital.

Já o Prêmio UNESCO Confúcio para a Alfabetização, apoiado pela China, recompensa trabalhos que beneficiam populações rurais e juventude fora da escola, particularmente meninas e mulheres. Os vencedores do prêmio foram a iniciativa AdulTICoProgram da Secretaria de Tecnologias de Informação e Comunicação da cidade de Armênia (Colômbia), pelo ensino de competências digitais para adultos.

Outro vencedor foi The Citizens Foundation (Paquistão) pelo Programa Aagahi de Alfabetização para Mulheres e Meninas fora da Escola, que conduz a avaliação de necessidades educacionais digitais e fornece serviços de ensino para apoiar a educação de meninas e mulheres. O terceiro vencedor foi FunDza (África do Sul) por seu projeto de leitores e escritores para o desenvolvimento de uma cultura de prazer por leitura e escrita, por meio de uma plataforma online que oferece cursos de leitura e competições de escrita, bem como conecta leitores e escritores.

Como parte do Dia Internacional da Alfabetização, a iniciativa UNESCO-Pearson para a Alfabetização: Meios de Subsistência em um Mundo Digital, apresentará seu primeiro lote de estudos de caso sobre como soluções digitais inclusivas podem melhorar meios de subsistência.


Mais notícias de:

Comente

comentários