UNESCO oferece treinamento sobre liberdade de expressão para agentes de segurança na Tunísia

Projeto faz parte das iniciativas da agência da ONU para apoiar a transição democrática da Tunísia, desde a revolução de 11 de janeiro de 2011. Mais de mil oficiais já participaram de cursos.

Desde a Revolução de 11 de janeiro de 2011, na Tunísia, a UNESCO tem apoiado a reforma das instituições de segurança do país. Treinamento sobre liberdades de expressão e imprensa é uma das iniciativas nacionais da agência da ONU. Foto: Flickr/Chris Belsten (CC)

Desde a revolução de 11 de janeiro de 2011, na Tunísia, a UNESCO tem apoiado a reforma das instituições de segurança do país. Treinamento sobre liberdades de expressão e imprensa é uma das iniciativas nacionais da agência da ONU. Foto: Flickr/Chris Belsten (CC)

Na Tunísia, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) tem desenvolvido, junto às forças de segurança do país, um programa de treinamento sobre as liberdades de expressão e imprensa. Desde 2013, cerca de 1.125 membros das forças de segurança participaram de encontros de conscientização realizados pela agência da ONU. Mais de 260 agentes da lei receberam o treinamento completo e outros 90 jornalistas participaram de sessões conjuntas com oficiais.

A iniciativa da UNESCO busca instruir agentes de segurança acerca do papel e da função dos jornalistas nas sociedades democráticas, de modo a garantir a segurança dos profissionais de mídia e dos produtores de mídias sociais. O programa pretende estabelecer relações mais profissionais entre policiais, militares e indivíduos que trabalham em meios de comunicação.

O sucesso do programa levou à adoção do treinamento pela Guarda Nacional, que passou a incluir, no currículo de seus oficiais, um curso de 20 horas sobre liberdade de expressão. Também com resultado do projeto da UNESCO, o Ministério do Interior da Tunísia e a União Nacional de Jornalistas Tunisianos (SNTJ) estabeleceram um treinamento comum sobre a segurança dos jornalistas e sobre protocolos de comunicação entre agentes da lei e profissionais de mídia.

Organizações não governamentais (ONGs) envolvidas na defesa da liberdade de expressão afirmaram que o treinamento ajudou a diminuir tensões entre os dois grupos, além de melhorar o entendimento entre as partes. O projeto faz parte de um conjunto de iniciativas mais amplo da agência da ONU, que apoia a reforma das instituições de segurança e a transição democrática da Tunísia desde a revolução de 11 de janeiro de 2011.

Além da Tunísia, a UNESCO desenvolve o treinamento na Somália, na Costa do Marfim, no Sudão do Sul, no Iraque, na Tanzânia e em outros países.

A UNESCO desenvolveu um manual de treinamento que pode ser acessado aqui (em inglês).