UNESCO homenageia jornalista afegão morto após ataque a hotel em Cabul

Nove pessoas morreram em um ataque na semana passada ao Hotel Serena, entre as quais o experiente repórter da Agência France Presse, Sardar Ahmad.

Diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova. Foto: ONU/Amanda Voisard

Diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova. Foto: ONU/Amanda Voisard

A chefe da agência das Nações Unidas encarregada de defender a liberdade de imprensa prestou uma homenagem nesta segunda-feira (24) ao jornalista Sardar Ahmad, uma das várias pessoas mortas durante o ataque da semana passada ao Hotel Serena, na capital afegã, Cabul.

Ahmad, experiente repórter da Agência France Presse (AFP), morreu junto com sua esposa e dois de seus três filhos quando homens armados invadiram o hotel durante comemorações de Nowruz na quinta-feira (20). Nove pessoas no total perderam suas vidas.

“Estou profundamente triste com a notícia do ataque e minhas sinceras condolências vão para as famílias de todas as vítimas”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova.

“Esta não é apenas uma tragédia humana. Também é uma afronta à vontade do povo afegão de construir uma sociedade pacífica e aberta”, acrescentou.

Bokova afirmou que Ahmad foi um dos que contribui para este esforço, através de seu trabalho como jornalista, apoiando o livre fluxo de informações – essencial para as sociedades dinâmicas, sustentáveis e estáveis.

“Sua perda será muito sentida por todos os trabalhadores da mídia corajosos que lutam para este objetivo, muitas vezes com o risco de suas vidas. Exorto as autoridades afegãs a fazer o possível para levar os responsáveis por este crime à justiça.”