UNESCO e parceiros lançam pesquisa para avaliar como a COVID-19 está afetando o setor cultural

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), a Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB), a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Promoção da Ciência e Cultura (OEI), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o MERCOSUL Cultural lançaram uma pesquisa para entender como a pandemia da COVID-19 está afetando os trabalhadores do setor cultural e criativo da América Latina e do Caribe.

O objetivo da pesquisa é utilizar a informação atualizada do setor para desenvolver políticas para fortalecer a criação, produção, distribuição e acesso a bens e serviços culturais neste novo contexto.

A pesquisa é dirigida tanto a artistas e trabalhadores do setor (funcionários ou autônomos) quanto a donos ou gerentes de empresas criativas e culturais.

Foto: UNESCO

As medidas de contenção ou as restrições de mobilidade adotadas por muitos países para conter a pandemia estão restringido drasticamente o acesso à cultura, fragilizando o ecossistema cultural como um todo, em particular, mediante ao fechamento dos sítios do Patrimônio Mundial e dos espaços culturais, o cancelamento ou o adiamento de atividades e eventos culturais, além da interrupção da produção cultural.

Essas medidas têm impactado fortemente o setor cultural – composto principalmente por micro, pequenas e médias empresas – e uma proporção relativamente alta de trabalhadores independentes e informais. A pesar de os países estarem criando medidas e instrumentos distintos em resposta ao impacto da pandemia nos respectivos setores da economia criativa, não existem, até o momento, estimativas precisas da magnitude do fenômeno em âmbito regional que permitam estruturar políticas públicas de longo prazo para apoiar a criação, a produção, a distribuição e o acesso a bens e serviços culturais.

É por essa razão que, com o apoio do Fundo de Emêrgencia da UNESCO para o Patrimônio*, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) se uniu a Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB), a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Promoção da Ciência e Cultura (OEI), ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e ao MERCOSUL Cultural para saber a opinião dos trabalhadores do setor para contar com informação atualizada que contribua com o desenvolvimento de políticas para fortalecer a criação, produção, distribuição e acesso a bens e serviços culturais neste novo contexto.

A pesquisa é dirigida tanto a artistas e trabalhadores do setor (funcionários ou autônomos) quanto a donos ou gerentes de empresas criativas e culturais.

A enquete é composta por 3 partes, iniciando com o registro de informações gerais sobre o trabalhador ou sobre a empresa; seguido pelas perguntas sobre o impacto da crise nas atividades criativas e culturais; e uma terceira parte que finaliza com perguntas sobre as políticas públicas em vigor ou as que seriam necessárias para sair da crise. Completar a pesquisa não leva mais do que 15 minutos.

A pesquisa é completamente anônima e a opinião de cada participante será parte do diagnóstico geral do setor. Isso significa que nenhuma informação pessoal será divulgada.

As organizações organizadoras desta pesquisa se comprometem a compartilhar os resultados obtidos ao final da pesquisa, bem como manter os termos de confidencialidade da informação coletada.

É possível acessar a pesquisa nos seguintes links:

* O projeto é financiado pelo Fundo de Emergência da UNESCO para o Patrimônio, graças à contribuição de doadores: Fundo de Desenvolvimento do Catar, Reino da Noruega, Governo do Canadá, ANA Holdings INC., Principado de Mônaco, o Reino dos Países Baixos, a República da Estônia, o Grão-Ducado de Luxemburgo, a República Eslovaca, o Principado de Andorra e a República da Sérvia.