UNESCO e EBC lançam publicação sobre indicadores de qualidade nas emissoras públicas

Obra integra Série de Debates. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura avalia que a radiodifusão de serviço público é componente vital de um sistema midiático efetivamente plural, livre e independente.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) lançaram esta semana a publicação “Indicadores de qualidade nas emissoras públicas: uma avaliação contemporânea”, de autoria de Eugênio Bucci, Marco Chiaretti e Ana Maria Fiorini.

A obra faz parte da Série Debates da UNESCO no Brasil e analisa mais de uma centena de indicadores sobre o trabalho desempenhado pelas emissoras públicas de radiodifusão. O texto está inserido em um conjunto de iniciativas coordenadas pela Representação da UNESCO no Brasil para oferecer à sociedade elementos concretos para uma discussão cada vez mais ampla e plural sobre os pilares de um sistema midiático desenvolvido.

Para a UNESCO, a radiodifusão de serviço público é um componente vital de um sistema midiático efetivamente plural, livre e independente. Um aparato robusto de radiodifusão pública, em linha com as melhores práticas internacionais, constitui-se em elemento complementar aos atores privados e comunitários que configuram os ecossistemas midiáticos, o que é da mais alta relevância para a democracia.