UNESCO e Banco Mundial defendem cultura e turismo como ferramentas para o desenvolvimento sustentável

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Banco Mundial e a UNESCO firmaram neste mês (13) uma nova parceria para promover o crescimento econômico sustentável através de políticas culturais e de desenvolvimento urbano. Acordo de cooperação prevê ações para os próximos seis anos, ao longo dos quais os dois organismos internacionais buscarão formas de usar a indústria criativa e do turismo para promover a prosperidade compartilhada.

Sameh Wahba, diretor de Prática Global de Resiliência Social, Urbana e Rural do Banco Mundial, e Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO. Foto: UNESCO

Sameh Wahba, diretor de Prática Global de Resiliência Social, Urbana e Rural do Banco Mundial, e Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO. Foto: UNESCO

O Banco Mundial e a UNESCO firmaram neste mês (13) uma nova parceria para promover o crescimento econômico sustentável através de políticas culturais e de desenvolvimento urbano. Acordo de cooperação prevê ações para os próximos seis anos, ao longo dos quais os dois organismos internacionais buscarão formas de usar a indústria criativa e do turismo para promover a prosperidade compartilhada.

“Esse compromisso renovado por uma parceria de longa data entre a UNESCO e o Banco Mundial traz para o primeiro plano da discussão global o papel crítico que a cultura desempenha em apoiar os países no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e da Nova Agenda Urbana”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, sobre o acordo.

Ao lembrar que o patrimônio cultural e o turismo responsável se tornaram motores econômicos fundamentais para a redução da pobreza e para a criação de empregos, especialmente para mulheres e jovens, Sameh Wahba, do Banco Mundial, enfatizou que “assuntos de cultura para o desenvolvimento urbano sustentável são essenciais para a construção de cidades e comunidades inclusivas, resilientes, produtivas e sustentáveis para todos”.

O organismo financeiro e a agência da ONU atuarão lado a lado na orientação de políticas comuns para abordar o patrimônio cultural e as indústrias criativas como recursos para responder a situações pós-desastre e pós-conflito. A renovação dessa colaboração entre as duas instituições acontece em um mundo onde 26 milhões de pessoas por ano são levadas à pobreza devido a catástrofes e guerras.

O acordo prevê ações estratégias nas áreas de Paisagens Urbanas Históricas e Regeneração Urbana, Indústrias Criativas e Culturais, Resiliência e Gerenciamento de Risco de Desastres. A UNESCO lembra que a assinatura da parceria coincide com o Ano Internacional para o Turismo Sustentável. Até 2030, o setor deve gerar 1,8 bilhão de dólares em receitas.

As indústrias criativas também são promissoras para a geração de renda e emprego. Receitas do segmento são estimadas em 2,25 bilhões de dólares. Atualmente, o setor cria 29,5 milhões de postos de trabalho em todo o mundo.

Baixe aqui o acordo (em inglês).


Mais notícias de:

Comente

comentários