UNESCO defende criminalização da homofobia em seminário no Senado Federal

O seminário foi realizado a fim de debater um novo texto para substituir o Projeto de Lei da Câmara 122/06, que torna crime a homofobia.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) defendeu a celebração da diferença, em seminário realizado nesta terça-feira (15/05) pelo Senado Federal, visando discutir a criminalização da homofobia no Brasil e problematizar o papel do Estado e das Instituições na construção de uma sociedade de respeito à diversidade.

“É pela educação que deve começar a mudança que o Brasil precisa. Queremos celebrar um país sem diferenças, que respeite a diversidade e criminalize a homofobia. A UNESCO é parceira nesta causa”, afirmou a coordenadora de Ciências Humanas e Sociais da UNESCO, Marlova Jovchelovitch Noleto.

O seminário foi realizado por iniciativa da Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa do Senado Federal a fim de debater um novo texto para substituir o Projeto de Lei da Câmara 122/06, que torna crime a homofobia.

A relatora na Comissão, senadora Marta Suplicy, elogiou a “coragem” do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, cujo vídeo em defesa dos direitos da comunidade LGBT foi exibido na abertura do evento. A senadora apontou as dificuldades de aprovação do projeto no Legislativo e ressaltou a necessidade de convencimento dos parlamentares que são contra os direitos da população LGBT para que haja a mudança na legislação.