UNESCO declara Rio de Janeiro a 1ª capital mundial da arquitetura

O Rio de Janeiro (RJ) é oficialmente a Capital Mundial da Arquitetura para 2020, anunciou nesta sexta-feira (18) a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, durante cerimônia realizada na sede do organismo internacional, em Paris. Cidade vai sediar no próximo ano o Congresso Mundial da União Internacional dos Arquitetos (UIA).

Pão de Açúcar e Baía de Guanabara vistos do alto do Cristo Redentor. Foto: Flickr (CC)/sandeepachetan

Pão de Açúcar e Baía de Guanabara vistos do alto do Cristo Redentor. Foto: Flickr (CC)/sandeepachetan

O Rio de Janeiro (RJ) é oficialmente a Capital Mundial da Arquitetura para 2020, anunciou nesta sexta-feira (18) a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, durante cerimônia realizada na sede do organismo internacional, em Paris. Cidade vai sediar no próximo ano o Congresso Mundial da União Internacional dos Arquitetos (UIA).

A partir de agora, as cidades que sediarem o evento da UIA, promovido a cada três anos, serão também designadas pela UNESCO como Capitais Mundiais da Arquitetura. Com esse título, os municípios se responsabilizam em promover uma série de eventos relacionados às questões urbanas durante todo o ano em que se realizará o congresso.

O Rio de Janeiro foi selecionado em 2014 para sediar o Congresso Mundial da Arquitetura de 2020, concorrendo com Paris, na França, e Melbourne, na Austrália. A Prefeitura carioca e o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) fizeram uma proposta de programa para o evento e definiram um tema de interesse global — All the worlds. Just one world (“Todos os mundos. Apenas um mundo”, em tradução livre). O planejamento e a ideia foram apresentados à UIA.

“Nosso compromisso é o de transformar o ano de 2020 em um marco na história cultural da cidade. Além da visibilidade internacional, teremos a oportunidade de ampliar a relação de pertencimento dos moradores da nossa cidade com o seu patrimônio histórico e arquitetônico, difundindo e preservando esse acervo. O Rio de Janeiro possui uma arquitetura que reflete a riqueza de culturas que formam a sociedade brasileira, por ter sido porto e capital do Brasil por mais de dois séculos”, defende o prefeito Marcelo Crivella, que foi representado na cerimônia de hoje na capital francesa pela secretária municipal de Urbanismo, Verena Andreatta.

Eventos como esse colaboram para o cumprimento de duas importantes agendas de desenvolvimento das Nações Unidas: a principal delas, a Agenda 2030, sobretudo o seu Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de nº 11, que tem como foco as cidades e os assentamentos humanos, além da Nova Agenda Urbana.

A representante e diretora da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, ressalta que “a cultura e a arquitetura são fundamentais para a superação de desafios e soluções inovadoras para os espaços urbanos”.

A dirigente afirma ainda que “ter o Rio como a primeira Capital Mundial da Arquitetura é um fato a ser celebrado pelo país, uma vez que a cidade se tornará o palco de uma série de eventos em 2020, para tratar de temas importantes para o desenvolvimento, como cultura, planejamento urbano, mobilidade, obras públicas e a construção de cidades mais inclusivas”.

“Além desse título, a cidade ainda é reconhecida por abrigar dois sítios do Patrimônio Mundial Cultural – Rio de Janeiro, paisagens cariocas entre a montanha e o mar e Sítio Arqueológico Cais do Valongo”, completa Noleto.

O presidente do IAB, Nivaldo de Andrade, que esteve em Paris nesta sexta, lembra que é a primeira vez que o Brasil recebe o Congresso Mundial de Arquitetos. O especialista destaca que “o Rio é uma referência da arquitetura, sendo a terra de tantos arquitetos e paisagistas mundialmente conhecidos, como Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx, Lucio Costa, que ajudaram a construir a paisagem urbana do Rio”.

“A cidade é também uma referência de desafios contemporâneos para os arquitetos e de experiências positivas no campo do urbanismo, a exemplo dos programas de urbanização de favelas. Podemos dizer que o Rio sintetiza características encontradas em cidades não só do Brasil, mas de diversos países do mundo”, acrescenta Andrade.

Segundo o presidente do Comitê Executivo do 27º Congresso Mundial da UIA, Sérgio Magalhães, “arquitetos e urbanistas, acadêmicos, estudiosos e produtores de cultura de todo o mundo estarão reunidos no Rio de Janeiro em 2020 para chamar a atenção da sociedade e dos governos sobre questões urbanas de interesse global, a fim de construir uma agenda positiva para os próximos anos”.

“Conhecendo o valor e os desafios do espaço urbano, podemos alcançar respostas e soluções capazes de conduzir a um futuro mais justo”, aponta o representante da União Internacional.

Informações para a imprensa:
Ana Lúcia Guimaraes, a.guimaraes@unesco.org, (61)2106-3536 ou (61)99966-3287
Fabiana Pullen, f.sousa@unesco.org, (61)2106-3596 ou (61)99848-8971


Comente

comentários