UNESCO condena destruição de sítios arqueológicos e culturais na cidade antiga de Bosra, na Síria

Bosra é considerada “Herança Mundial” e abriga ruínas romanas, muçulmanas e bizantinas. Cidade foi capital de província do Império Romano. Conflitos no local provocaram danos a diferentes estruturas.

Imagem da cidade antiga de Bosra, na Síria. Foto: UNESCO / Véronique Dauge

Imagem da cidade antiga de Bosra, na Síria. Foto: UNESCO / Véronique Dauge

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) condenou, nesta quinta-feira (24), a destruição de partes da cidade antiga de Bosra, na Síria. O local é considerado uma “Herança Mundial” pela agência da ONU e abriga ruínas romanas, muçulmanas e bizantinas. Danos foram provocados por conflitos na terça-feira (22). A UNESCO também alertou a respeito do risco de tráfico de bens culturais oriundos da região.

“As destruições ocorridas em Bosra representam uma nova escalada no horror da guerra e devem ser suspensas de uma ver por todas, para permitir que as partes envolvidas consolidem o acordo alcançado no terreno para preservar a herança insubstituível de Bosra”, afirmou a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova.

Um dos edifícios afetados pelos confrontos em Bosra é um teatro romano que data do século II e que se destacava por seu estado de conservação. Por conta dos confrontos, que provocaram danos severos a cidadela de Ayyubid e a um pátio adjacente ao prédio, o teatro está ameaçado. Segundo a chefe da UNESCO, o local “incorpora a rica diversidade da identidade do povo da Síria”. Entre 481 e 1251, o teatro fez parte de uma cidadela que guardava a estrada para Damasco. Bosra era a capital da província romana da Arábia e um importante ponto de parada para as peregrinações rumo a Meca.

A dirigente também apelou aos profissionais que trabalham no mercado mundial de arte para que combatam o tráfico de artefatos culturais oriundos da cidade. Bosra passou a integrar a Lista de Heranças Mundiais da UNESCO em 1980. “Os principais monumentos sobreviventes (da cidade) refletem o proeminente valor universal do local”, disse.