UNESCO condena assassinato de jornalista em Honduras e pede investigação detalhada sobre o caso

“As autoridades devem investigar esse crime, estabelecer os seus motivos e trazer os seus responsáveis à justiça”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, ressaltando a importância da liberdade de imprensa para a sociedade hondurenha. 

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, condenou nesta terça-feira (23) o assassinato do jornalista Reynaldo Paz Mayes na cidade de Comayagua, em Honduras, que ocorreu na última semana, pedindo uma investigação detalhada sobre o caso. 

“As autoridades devem investigar esse crime, estabelecer os seus motivos e trazer os seus responsáveis à justiça. Isso é importante para todos os membros da sociedade hondurenha que, como as pessoas de todos os lugares, requerem uma comunicação social livre, pluralista e independente para tomar decisões bem informadas”, disse Bokova. 

Paz Meyes – fundador de um pequeno canal local de televisão e anfitrião de um programa de notícias – foi morto a tiros enquanto se exercitava em um complexo de esportes ao ar livre, no dia 15 de dezembro. Segundo relatos, ele já estaria recebendo ameaças de morte anônimas por um longo período de tempo.