UNESCO condena assassinato de diretor de rádio em Rondônia

Só esse ano, agência da ONU já contabiliza seis assassinatos de profissionais de mídia no país, um dos índices mais altos do mundo.

Diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova. Foto: UNESCO

Diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova. Foto: UNESCO

A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, denunciou nesta quinta-feira (24) o assassinato do diretor de rádio Cláudio Moleiro de Souza em Jaru, Rondônia, norte do Brasil, no último dia 12 de outubro. Bokova pediu uma investigação sobre o crime.

“Eu condeno o assassinato de Cláudio Moleiro de Souza”, disse a diretora-geral. “Eu confio que as autoridades não pouparão esforços para investigar este caso, que é essencial para a preservação da liberdade de imprensa e para a proteção do direito dos jornalistas de desempenhar as suas funções profissionais.”

Cláudio Moleiro de Souza, diretor da Rádio Meridional, foi baleado por um atirador que entrou na estação de rádio e também alvejou um dos colegas de Cláudio, o apresentador Alberto Duran Duran, que conseguiu sobreviver ao atentado.

Cláudio é o sexto profissional da mídia brasileira este ano cujo assassinato é registrado pela lista oficial da UNESCO.