UNESCO condena assassinato de cinegrafista colombiano e pede investigação

Diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova. Foto: UNESCO / D. Bijeljac

A chefe da agência das Nações Unidas encarregada de defender a liberdade de imprensa pediu nesta quarta-feira (5) uma investigação sobre a morte do jornalista colombiano em Buenaventura, cidade para onde havia fugido no início deste ano depois de receber ameaças de morte.

“Condeno o assassinato de Yonni Steven Caicedo”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, disse em comunicado à imprensa.

“Os criminosos não devem ser autorizados a usar a violência para deter os jornalistas em seu trabalho e privar a sociedade de notícias e informações”, acrescentou Bokova.

De acordo com a Fundação para a Liberdade de Imprensa (FLIP), homens não identificados assassinaram Caicedo no dia 19 de fevereiro.

O homem de 21 anos trabalhava como operador de câmera nas estações de televisão locais “Noticias TV” e “Más Noticias”.

Seu nome será incluído este ano na página web da UNESCO dedicada a jornalistas mortos no cumprimento do dever.