UNAIDS elogia nomeação de ex-primeiro-ministro do Togo para presidência de fundo agrícola da ONU

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) elogiou a recente escolha do ex-primeiro-ministro do Togo, Gilbert Fossoun Houngbo, para a presidência do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). A agência da ONU expressou otimismo com as possibilidades de cooperação com Houngbo que, à frente do FIDA, liderará a capacitação de populações rurais para reduzir a pobreza e a fome, conquistas consideradas essenciais para uma resposta eficaz à epidemia de HIV/AIDS.

Gilbert Fossoun Houngbo, ex-primeiro-ministro do Togo, foi nomeado presidente do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). Foto: UNAIDS

Gilbert Fossoun Houngbo, ex-primeiro-ministro do Togo, foi nomeado presidente do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). Foto: UNAIDS

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) elogiou a recente escolha do ex-primeiro-ministro do Togo, Gilbert Fossoun Houngbo, para a presidência do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). A agência ressaltou que a luta contra a fome e a promoção de uma nutrição adequada — alguns dos objetivos do fundo agrícola — são fundamentais para as pessoas vivendo com HIV no mundo.

“No exercício de seus muitos postos de alto nível no governo e no sistema das Nações Unidas, Houngbo tem trabalhado para garantir que ninguém seja deixado para trás, dando apoio em áreas que vão desde a boa governança e a construção de paz até a erradicação da pobreza e a resposta ao HIV”, disse o comunicado do UNAIDS sobre o chefe do FIDA recém-nomeado.

O diretor-executivo do programa, Michel Sidibé, afirmou que a abordagem dinâmica e a experiência do ex-primeiro-ministro “serão fundamentais para fortalecer o vínculo entre alimentação, nutrição e boa saúde, algo particularmente importante para as pessoas que vivem com HIV”.

O UNAIDS expressou otimismo com as possibilidades de cooperação com Houngbo que, à frente do FIDA, liderará a capacitação de populações rurais para reduzir a pobreza e a fome, conquistas consideradas essenciais para uma resposta eficaz à epidemia de HIV/AIDS.