UNAIDS e outros organismos da ONU unem-se contra exploração e abuso sexual

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Como parte da estratégia do secretário-geral da ONU para prevenir e responder à exploração e ao abuso sexual, líderes globais se uniram para emitir uma declaração nesta semana (2) reafirmando o compromisso pessoal de eliminar a exploração e o abuso sexual em todo o sistema das Nações Unidas.

Na declaração, os líderes reconhecem a responsabilidade única das Nações Unidas em estabelecer o padrão para prevenir, responder e erradicar a exploração e o abuso sexual dentro do Sistema ONU, abordar seu impacto de forma efetiva e humanitária e proteger e fortalecer sobreviventes.

Quarenta e oito chefes de Estado ou de governo do Círculo de Liderança do Secretário-Geral e 22 entidades das Nações Unidas, incluindo o UNAIDS, apoiaram a declaração.

Os líderes que assinaram a declaração são 48 chefes de Estado ou de governo do Círculo de Liderança do Secretário-Geral (saiba mais aqui, em inglês) e 22 entidades das Nações Unidas, incluindo o UNAIDS. Foto: ONU

Os líderes que assinaram a declaração são 48 chefes de Estado ou de governo do Círculo de Liderança do Secretário-Geral (saiba mais aqui, em inglês) e 22 entidades das Nações Unidas, incluindo o UNAIDS. Foto: ONU

Como parte da estratégia do secretário-geral da ONU para prevenir e responder à exploração e ao abuso sexual, líderes globais se uniram para emitir uma declaração nesta semana (2) reafirmando o compromisso pessoal de eliminar a exploração e o abuso sexual em todo o sistema das Nações Unidas.

Na declaração, os líderes reconhecem a responsabilidade única das Nações Unidas em estabelecer o padrão para prevenir, responder e erradicar a exploração e o abuso sexual dentro do Sistema ONU, abordar seu impacto de forma efetiva e humanitária e proteger e fortalecer sobreviventes.

Quarenta e oito chefes de Estado ou de governo do Círculo de Liderança do Secretário-Geral e 22 entidades das Nações Unidas, incluindo o UNAIDS, apoiaram a declaração.

O UNAIDS está firmemente comprometido com a tolerância zero para exploração sexual e abuso em qualquer lugar, e recentemente organizou um evento de alto nível com a União Africana durante a 73ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, para combater a violência sexual e de gênero em crises humanitárias.

No comunicado, os líderes reconhecem a responsabilidade compartilhada das Nações Unidas e seus Estados-membros de proteger sobreviventes e denunciantes e de tomar as medidas apropriadas contra os culpados.

Também expressam seu compromisso em trabalhar juntos para implementar a estratégia do secretário-geral das Nações Unidas, que define quatro áreas principais de ação: colocar as vítimas em primeiro lugar; acabar com a impunidade; engajar a sociedade civil e parceiros externos; e melhorar as comunicações estratégicas para educação e transparência.

Clique aqui para ler a declaração completa em inglês.


Mais notícias de:

Comente

comentários