UNAIDS e canal de TV promovem adoção de crianças vivendo com HIV em novela

Na trama da novela ‘Totalmente Demais’, da Rede Globo, a personagem Carolina, vivida por Juliana Paes, luta para conseguir adotar Gabriel, menino que vive com HIV. O rapaz é interpretado por Ícaro Zulo. Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) ajudou autores na elaboração da história.

Personagens da novela 'Totalmente Demais' trazem para a TV discussão sobre a adoção de crianças que vivem com HIV. Foto: Gshow / Rede Globo

Personagens da novela ‘Totalmente Demais’ trazem para a TV discussão sobre a adoção de crianças que vivem com HIV. Foto: Gshow / Rede Globo

Como o apoio do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), a novela “Totalmente Demais” – da Rede Globo – vai promover a adoção de crianças vivendo com HIV através da história dos personagens Carolina, vivida por Juliana Paes, e Gabriel, interpretado por Ícaro Zulu.

Na trama, Carolina luta para conseguir adotar Gabriel mesmo sabendo que o menino vive com HIV. A agência da ONU trabalhou em conjunto com os autores para construir a história dos personagens.

“Totalmente Demais” é atualmente uma das novelas de maior audiência da grade do canal de TV – com quem o UNAIDS já colaborou anteriormente através da inciativa Viver Melhor, da área de Responsabilidade Social da Globo.

As cenas da novela ‘Totalmente Demais’ mostram
o carinho e o afeto que uma mãe adotiva
pode dar a uma criança – vivendo com HIV ou não.
Essas crianças não precisam de rótulos,
elas precisam de amor.

Carolina (Juliana Paes) luta para adotar Gabriel (Ícaro Zulu) em 'Totalmente Demais'. Foto: Gshow

Carolina (Juliana Paes) luta para adotar Gabriel (Ícaro Zulu) em ‘Totalmente Demais’. Foto: Gshow

“As tramas de novelas são muito atrativas para o público em geral e podem passar mensagens importantes de forma muito mais forte e direta do que nossos relatórios e documentos”, explica a diretora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga-Orillard.

“As cenas da novela ‘Totalmente Demais’ mostram o carinho e o afeto que uma mãe adotiva pode dar a uma criança – vivendo com HIV ou não. Essas crianças não precisam de rótulos, elas precisam de amor.”

Em abril, por meio da parceria com a área de Responsabilidade Social da Globo, o Programa da ONU apoiou a emissora na realização da série original do Gshow — a plataforma online do canal televisivo — “Eu Só Quero Amar”.

A preparação para a produção durou cinco meses, durante os quais o UNAIDS deu suporte aos autores para que eles conseguissem desenvolver de forma elaborada temas relacionados ao HIV, como prevenção, tratamento e testagem, profilaxia pós-exposição (PEP), convívio familiar e na escola, bullying,  leis e direitos de pessoas vivendo com HIV e, principalmente, histórias de amor entre casais sorodiferentes.