Um terço dos alimentos produzidos no mundo são desperdiçados, diz ONU

Segundo agência ambiental da ONU, a quantidade de alimentos desperdiçados seria o suficiente para alimentar todo o planeta.

Foto: FAO

Foto: FAO

Fermentar pássaros, colocar batatas no calor e no ar gelado por cinco dias e espremer a carne em selas de cavalo são alguns dos métodos tradicionais utilizados por culturas em todo o mundo para conservar os alimentos, destacou o Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA) na terça-feira (21).

“Reduzir o desperdício e a perda de alimentos é um desafio econômico, ético e ambiental que conduz para alguns dos maiores desafios de hoje, da fome e da nutrição à mudança climática, o desmatamento e a degradação do solo”, disse o diretor executivo do PNUMA, Achim Steiner.

“Uma das formas que todos podem contribuir para estes desafios é olhar como as culturas que evitam o desperdício colocam esse valor em cada bocado de comida e considerar como adaptar a sua rotina para fazer o mesmo que eles”, acrescentou.

De acordo com o PNUMA, a cada ano cerca de um terço de todos os alimentos produzidos — o equivalente a 1,3 bilhão de toneladas, no valor de cerca 1 trilhão de dólares — acaba apodrecendo nas lixeiras dos consumidores e varejistas, ou estragam devido à falta de transporte e colheita.

O PNUMA enfatizou que o alimento não consumido desperdiça tanto a energia posta em seu cultivo quanto o combustível gasto no transporte do produto, acrescentando que esta quantidade significativa de resíduos tem implicações morais graves em um mundo onde quase 900 milhões de pessoas passam fome todos os dias.

A agência pediu às pessoas que enviem exemplos de formas tradicionais de preservação de alimentos como parte de sua campanha “Pense. Coma. Poupe. Reduza o desperdício de alimentos” e para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente em 5 de junho.

“Em regiões industrializadas, quase metade do total de alimentos desperdiçados, cerca de 300 milhões de toneladas por ano, o são porque os produtores, varejistas e consumidores descartam alimentos que ainda estão aptos para consumo. Isso representa mais do que a produção líquida de alimentos da África Subsaariana e o suficiente para alimentar todo o mundo”, disse o PNUMA em um comunicado à imprensa.

Segundo a agência, embora os métodos tradicionais de conservação de alimentos possam não ser adaptáveis a todas as regiões e culturas, eles ressaltam como é possível mudar a maneira de comprar, armazenar e consumir alimentos.

O Dia Mundial do Meio Ambiente tem como objetivo ser o maior e mais celebrado dia de ação global para a preservação ambiental. O tema deste ano apoia a campanha contra o desperdício de alimentos do PNUMA.