Um em cada três idosos no Brasil tem alguma limitação funcional

Dessa fatia da terceira idade com limitações funcionais, 6,5 milhões de idosos recebem ajuda de familiares para realizar atividades cotidianas, mas 360 mil não contam com apoio dos parentes. Números são da Fundação Oswaldo Cruz e foram apresentados em encontro da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e governo para debater desafios do envelhecimento da população.

Em 2009, OPAS criou o Plano de Ação sobre a Saúde dos Idosos e Envelhecimento Ativo e Saudável. Projeto define como prioritária a formação de profissionais com habilidades específicas, voltadas para o cuidado de idosos. Foto: Robervaldo Rocha / Câmara Municipal de Manaus

A expectativa de vida no mundo tem aumentado significativamente desde 2000, mas as desigualdades persistem entre os países. Foto: Robervaldo Rocha / Câmara Municipal de Manaus

Um em cada três idosos brasileiros apresenta alguma limitação funcional. Desse grupo, 80% — cerca de 6,5 milhões de indivíduos — recebem ajuda de familiares para realizar alguma atividade do cotidiano, como fazer compras ou se vestir, mas 360 mil não podem contar com o apoio dos parentes.

Os números são da pesquisadora e professora Maria Fernanda Costa, da Fundação Oswaldo Cruz de Minas Gerais, e foram apresentados em encontro realizado pela Organização Pan-Americanada da Saúde (OPAS) e pelo Ministério da Saúde brasileiro na segunda-feira (3).

Organizado para marcar o Dia Internacional das Pessoas Idosas, celebrado internacionalmente em 1º de outubro, o evento discutiu os desafios trazidos pelo envelhecimento da população no Brasil e no restante do planeta.

O número de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos vai mais que dobrar no mundo até 2050, passando das atuais 900 milhões para cerca de 2 bilhões.

Para enfrentar os problemas de saúde dos idosos nas Américas, o representante adjunto da OPAS, Luis Codina, acredita aposta num trabalho que integre diferentes áreas do atendimento.

“Precisamos diminuir as inequidades na saúde para essa população na América Latina e no Caribe. O idoso precisa ter acesso a estruturas e espaços que o permitam ter mais autonomia. Há municípios com experiências bem sucedidas e importantes de serem reproduzidas”, afirmou o especialista.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou em 2015 o Plano de Ação Mundial sobre Envelhecimento e Saúde.

O documento inclui cinco objetivos estratégicos que buscam promover a capacidade funcional durante toda a vida por meio da adoção de medidas de envelhecimento saudável; a criação de ambientes adaptados aos idosos; a adaptação dos sistemas de saúde para as necessidades desse público; estímulos ao desenvolvimento de redes sustentáveis e equitativas de atenção a longo prazo, bem como melhorias nos processos de investigação.


Comente

comentários