Um civil morre e nove ficam feridos, incluindo funcionário da ONU, em confronto na RD Congo

Confronto entre Exército e grupo armado aconteceu perto da base das Nações Unidas em Kitchanga. Situação ainda é tensa e ONU abriga cerca de 400 pessoas.

Mulheres em Kitchanga, no leste da República Democrática do Congo, lavam roupas em uma fonte de água que também é usada para beber e cozinhar. Foto: OCHA-Goma/Imane CherifConfronto pesado entre as Forças Armadas da República Democrática do Congo (RDC) e o grupo armado Aliança dos Patriotas para um Congo Livre e Soberano resultou na morte de pelo menos um civil perto da base da ONU em Kitchanga, Kivu do Norte, na quarta-feira (27). Nove pessoas ficaram feridas, incluindo um funcionário da Missão de Estabilização da ONU na RDC (MONUSCO), que foi atingido no braço e permanece estável.

A MONUSCO está abrigando cerca de 400 pessoas por causa do clima de tensão que permanece após o confronto. A medida está de acordo com o mandato da Missão que inclui a proteção de civis, defesa dos direitos humanos e apoio à ajuda humanitária.

Quase um milhão de pessoas foram deslocadas em Kivu do Norte pelos confrontos entre o Exército e combatentes do grupo rebelde M23, e nas últimas semanas, mais de 300 mil pessoas foram deslocadas por conflitos adicionais na província de Katanga, no sudeste do país.

Para apoiar os “capacetes azuis” da MONUSCO na proteção de civis, o Conselho de Segurança da ONU estuda o envio de uma brigada militar para imposição da paz.