Ucrânia: UNESCO condena assassinato de jornalista russo

“Os jornalistas que cobrem os eventos na Ucrânia devem poder realizar sua missão de fornecer informações sem temer por suas vidas”, afirma chefe da UNESCO.

Homenagem ao cinegrafista da TV Bandeirantes, Santiago Andrade. Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão

Homenagem ao cinegrafista da TV Bandeirantes, Santiago Andrade. Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, condenou nesta terça-feira (01) o assassinato do jornalista da televisão russa, Anatoli Klian.

O repórter, que estava a serviço do Perviy Kanal, foi morto a tiros na noite de 30 de junho, quando filmava com sua equipe perto de uma base militar ucraniana na região de Donetsk. Ele é o sexto jornalista assassinado na Ucrânia desde janeiro de 2014.

“Peço às autoridades para fazer todo o possível para encontrar os autores deste crime e levá-los à justiça”, disse Bokova. “Os jornalistas que cobrem os eventos atuais na Ucrânia devem poder realizar sua missão de fornecer informações e estimular o debate sem temer por suas vidas.”