Tribunal para o Líbano recebe a primeira acusação

O Tribunal Especial para o Líbano (STL, na sigla em inglês), estabelecido a pedido do Governo e apoiado pelas Nações Unidas, recebeu nesta segunda-feira (17/01) a primeira acusação, enviada pelo Promotor, Daniel Bellemare, ao Juiz do Pré-Tribunal Daniel Fransen. O Tribunal foi criado para julgar os suspeitos dos assassinatos do ex-primeiro-ministro, Rafiq Hariri, e de outras 22 pessoas, em 2005.

O Tribunal Especial para o Líbano (STL, na sigla em inglês), estabelecido a pedido do Governo e apoiado pelas Nações Unidas, recebeu nesta segunda-feira (17/01) a primeira acusação, enviada pelo Promotor, Daniel Bellemare, ao Juiz do Pré-Tribunal Daniel Fransen. O Tribunal foi criado para julgar os suspeitos dos assassinatos do ex-primeiro-ministro, Rafiq Hariri, e de outras 22 pessoas, em 2005.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, reiterou seu apoio ao Tribunal e pediu que os partidos não interfiram em seu trabalho, permitindo que as atividades sejam realizadas de acordo com os princípios e normas legais aplicadas em todos os tribunais internacionais supervisionados pelas Nações Unidas. “O processo judicial independente não deve estar relacionado a nenhuma discussão política”, disse Ban, salientando que o Tribunal Especial para o Líbano “pretende acabar com a impunidade para crimes terríveis”.

A situação no Líbano tem sido marcada por tensões nos últimos meses. Na última quarta-feira (12/01) o Governo da unidade nacional entrou em colapso após 11 ministros do grupo Hezbollah e de grupos aliados deixarem o poder após as negociações, mediadas pela Arábia Saudita e pela Síria, não produzirem um compromisso sobre o Tribunal.