Vírus zika e condições associadas

Especial ONU Brasil

Confira todas as informações da ONU sobre a doença do vírus zika; o que a Organização Mundial da Saúde e a ONU Brasil estão fazendo sobre o tema; e as investigações sobre a possível relação da zika com a microcefalia e outras condições neurológicas.

 

BOLETINS GLOBAIS | BOLETINS NACIONAIS | OPAS/OMS | SITUAÇÃO DO FUNDO FINANCEIRO | CONTEXTO | VÍDEOS

 

Acesse aqui a Sala de Situação – Infecção pelo vírus Zika

Criada em 15 de fevereiro de 2016, a Sala de Situação de Saúde sobre vírus Zika da OPAS/OMS no Brasil foi concebida como um instrumento para centralizar, articular e sistematizar informações sobre a infecção pelo vírus Zika e suas consequências no Brasil e a nível internacional. O objetivo primordial desta iniciativa consiste em qualificar informações para subsidiar decisões aos níveis federal, estadual e municipal, assim como a outros departamentos da OPAS/OMS, Sistemas das Nações Unidas e outras instituições interessadas.

 

Atualização epidemiológica sobre o vírus zika

Até o momento, 38 países e territórios confirmaram a transmissão local vetorial do vírus zika na Região das Américas desde 2015. Alguns países na Região das Américas continuam a registrar uma tendência decrescente nos novos casos da doença do vírus zika (suspeitos e confirmados). Acesse a última atualização epidemiológica da OPAS/OMS, de 12 de maio de 2016, clicando aqui.

Abaixo, confira todas as notícias.

Maior parte dos casos de microcefalia está concentrada no Nordeste do país. Foto: EBC

UNICEF distribui kits em Recife para estimular crianças afetadas pelo zika

Em Recife, o projeto Redes de Inclusão — do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros — distribuiu na terça-feira (29) kits para estimular o desenvolvimento de crianças com a síndrome congênita do zika. A ação é uma das diversas iniciativas promovidas pela agência da ONU para levar atenção humanizada a gestantes, famílias e cuidadores de crianças que foram afetadas neurologicamente pelo vírus.

Bebês que nascem com microcefalia requerem atendimento específico e continuado. Foto: UNICEF/BRZ/Ueslei Marcelino

Agências da ONU lançam campanha ‘Mais Direitos, Menos Zika’

Um ano depois do início do surto de vírus zika no Brasil, é lançada nesta quarta-feira (16) a campanha nacional “Mais Direitos, Menos Zika”, que coloca as pessoas no centro da resposta ao vírus, com um enfoque de direitos humanos.

A campanha é uma iniciativa do Fundo de População da ONU (UNFPA), em parceria com Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), ONU Mulheres, entre outros apoiadores.

Foto: Agência Brasil / Marcello Casal

OPAS completa um ano de assistência ao Brasil na resposta a surto de microcefalia

Em outubro de 2015, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) recebeu notificações do governo brasileiro sobre o aumento expressivo de casos de microcefalia entre recém-nascidos. Um ano depois, 2.001 casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso já foram confirmados como sugestivos de infecção congênita. Organismo regional da ONU se uniu às autoridades para desenvolver políticas de assistência a profissionais de saúde e famílias afetadas.

Atualmente, mais de metade da população de 10 anos está em países com altos níveis de desigualdade de gênero. Foto: UNFPA Brasil/Tatiana Almeida

A vida de uma menina muda quando ela completa 10 anos

A vida de Maria* mudou quando ela tinha 10 anos. A morte dos pais fez com que ela e as irmãs fossem criadas por outros familiares. Primeiro a avó, depois os tios e, finalmente, um tio mais afastado se encarregou das meninas.

Atualmente, mais de metade da população de 10 anos está em países com altos níveis de desigualdade de gênero, segundo o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Violência, acesso limitado à educação, obstáculos econômicos, proteção desigual de direitos humanos são alguns dos empecilhos à saúde e ao bem-estar das meninas.

Mosquito Aedes aegypti é principal vetor do vírus zika. Foto: UNICEF/BRZ/Ueslei Marcelino

Autoridades das Américas reunidas em Cuba debatem combate a zika, dengue e chikungunya

Autoridades de saúde de mais de 30 países concordaram sobre uma série de ações conjuntas para monitorar, diagnosticar e tratar um grupo de vírus transmitidos por mosquitos — como zika, dengue e chikungunya — durante reunião realizada esta semana em Havana e convocada pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) e pelo Ministério de Saúde Pública de Cuba.

Políticas de atendimento de saúde à população negra foi tema de oficina de trabalho em Salvador. Foto: Agência Brasil

Países aprovam estratégias de combate a Aids, malária e zika nas Américas

O 55º Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) foi concluído no fim de setembro (30) após uma semana de debates sobre as prioridades da saúde das Américas. Após os encontros, os países aprovaram uma série de novas estratégias e planos de ação para eliminar o HIV/Aids, a malária e as doenças infecciosas desatendidas.

O plano também inclui responder ao vírus zika e outras arboviroses, facilitar o acesso aos medicamentos de alto custo, proteger a saúde dos migrantes e fortalecer os sistemas de saúde frente a desastres, entre outros temas.

Amanda Oliveira, de Campina Grande (PB), foi uma das mães entrevistadas no documentário da TV Brasil. Foto: Reprodução

Documentário sobre direitos das mulheres e zika vence Prêmio Vladimir Herzog

Produzido pela TV Brasil, o documentário “Mulheres do Zika” teve o apoio da ONU Mulheres, do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e da Secretaria de Políticas para as Mulheres, além de assessoria técnica da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS). A entrega dos prêmios ocorrerá na semana que vem (25), em São Paulo, e terá transmissão ao vivo pelo site www.tvpuc.com.br.

Maior parte dos casos de microcefalia está concentrada no Nordeste do país. Foto: EBC

Agências da ONU reúnem-se para abordar risco de aumento do zika com chegada das chuvas

O representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Jaime Nadal, disse que o vírus tem hoje um impacto social e na saúde muito significativo, e que “vamos entrar numa fase em que o mais provável é que tenhamos um novo surto epidêmico”, com a chegada da época de chuvas e as deficiências dos serviços de saneamento e água tratada para as populações mais pobres do país.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, confirmou que o vírus zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, danifica o sistema nervoso central de adultos e dos fetos. O vírus pode provocar problemas no nascimento, incluindo uma malformação congênita chamada microcefalia, e já se espalhou por mais de 70 países e territórios.

REPORTAGEM ESPECIAL: Vírus zika é um desafio à saúde pública

A Organização Mundial da Saúde, OMS, confirmou que o vírus zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, danifica o sistema nervoso central de adultos e dos fetos. O vírus pode provocar problemas no nascimento, incluindo uma malformação congênita chamada microcefalia, e já se espalhou por mais de 70 países e territórios.

Só no Brasil mais de 190 mil pessoas foram infectadas e cerca de 2 mil casos confirmados de microcefalia foram registrados. Os cientistas estão correndo para desenvolver uma vacina, com testes clínicos programados para o final desse ano. Confira nessa matéria especial da TV ONU, produção do Centro de Informação da ONU para o Brasil (UNIC Rio).

Crianças fizeram campanha no município de Tracuateua (PA) para conscientizar população sobre o zika. Foto: UNICEF

Crianças lideram campanha contra mosquito do zika em Tracuateua (PA)

Escolas e postos de saúde da comunidade rural paraense de Tracuateua decidiram unir esforços para combater o mosquito transmissor do zika: levaram o problema para as salas de aula e transformaram estudantes em agentes de mudança.

Tracuateua é um dos municípios da Amazônia que participam do Selo UNICEF Município Aprovado, uma iniciativa para melhorar as condições de vida das crianças e dos adolescentes no Semiárido e na Amazônia Legal Brasileira.

Bebês que nascem com microcefalia requerem atendimento específico e continuado. Foto: UNICEF/BRZ/Ueslei Marcelino

UNICEF dá apoio a famílias de bebês com microcefalia em Campina Grande (PB)

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros anunciaram nova iniciativa para apoiar mulheres gestantes, famílias e cuidadores de crianças com síndrome congênita do zika, conhecida como microcefalia, em Campina Grande. A Paraíba é o terceiro estado do país com o maior número de casos confirmados (163 crianças) de microcefalia, tendo outros 198 sob investigação e um total de 902 notificados.

Phumzile Mlambo-Ngcuka é subsecretária geral da ONU e diretora executiva da ONU Mulheres. Foto: ONU

ONU Mulheres: intersecção entre gênero e raça é central na luta por igualdade

Em visita ao Brasil, a diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, elogiou a organização das mulheres negras brasileiras no combate ao racismo. Para a representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, a intersecção entre gênero e raça é central na luta pela igualdade de direitos. As declarações foram feitas durante o 13º Fórum Internacional da Associação para os Direitos das Mulheres e o Desenvolvimento (AWID) Futuros Feministas, ocorrido na Bahia.

Casas à beira da Via Estrutural, no Distrito Federal: saneamento deve chegar aos mais pobres, diz relator da ONU. Foto: Elza Fiúza/ABr

Privatização do saneamento já se mostrou inadequada em muitos países, diz relator da ONU

Segundo estudo citado pelo relator das Nações Unidas para água e saneamento, o brasileiro Leo Heller, nos últimos 15 anos houve ao menos 180 casos de reestatização do fornecimento de água e esgoto em 35 países, em cidades como Paris (França), Berlim (Alemanha), Buenos Aires (Argentina), Budapeste (Hungria), La Paz (Bolívia) e Maputo (Moçambique).

As quebras ou não renovações dos contratos ocorreram por falhas das empresas em atingir metas de universalização, além de problemas com transparência e dificuldade de monitoramento do serviço pelo setor público.

1114671102_043bc2f4f9_z

UNFPA e Fiocruz ampliarão parceria para promover direitos reprodutivos e inclusão da juventude

Organismos já tem atuado de forma conjunta para orientar comunidades afetadas pela epidemia de zika. Cooperação vai se estender pelos próximos cincos anos e vai desenvolver iniciativas em diferentes partes do país para mobilizar mulheres, homens e jovens em torno de temas como contracepção, planejamento da gravidez e acesso à saúde. Oportunidades de desenvolvimento para a juventude também estão na pauta.