Arquivo da tag: Assembleia Geral da ONU

Acompanhe a cobertura completa em português do debate geral da 73ª Assembleia Geral da ONU, bem como os eventos paralelos de alto nível. Outras informações nas páginas oficiais (www.un.org/en/ga e gadebate.un.org), bem como pela hashtag #UNGA. Acompanhe ao vivo em webtv.un.org

Primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, durante o debate geral da Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Cia Pak

Primeira-ministra britânica alerta para ascensão da extrema direita na Europa e no mundo

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, alertou na quarta-feira (26) para “tendências preocupantes” na Europa e no mundo envolvendo a ascensão de movimentos de extrema direita e esquerda. A dirigente esclareceu ainda que o Brexit — a saída do Reino Unido da União Europeia — “não foi uma rejeição do multilateralismo ou da cooperação internacional”, mas uma demanda para que as decisões e a prestação de contas “ficassem mais perto” dos britânicos.

Equipe escoltada da Seção de Governança e Estabilização da UNAMID, a missão da ONU em Darfur, a caminho da região de Birka, para conduzir uma conferência de paz para agricultores e pastores, em 2 de fevereiro de 2018. Foto: UNAMID/Mohamad Almahady

Expectativas para as forças de paz ‘superam em muito os recursos’, diz ONU

“As expectativas de manutenção da paz ultrapassaram os seus recursos até agora”, disse nessa terça-feira (25) o secretário-geral da ONU, António Guterres, ao abrir uma reunião de alto nível para assinalar o 70º aniversário das operações de manutenção da paz da ONU, na sede do organismo em Nova Iorque.

Guterres detalhou, durante o evento, a Iniciativa de Ação pela Manutenção da Paz (A4P), lançada em março deste ano, citando o número tragicamente alto de mortes por pacificadores observado durante seus primeiros meses no cargo.

Crianças observam uma cópia da Declaração Universal dos Direitos Humanos em Nova Iorque quando o documento tinha apenas dois anos, em 1950. Foto: ONU

ONU defende direitos humanos como ferramenta para prevenção de conflito e pobreza

Enquanto o mundo celebra o 70º aniversário da adoção da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) este ano, a Assembleia Geral da ONU dedicou um evento de alto nível nesta quarta-feira (26) para discutir como o respeito aos direitos humanos nas sociedades pode ajudar a avançar na paz e no desenvolvimento sustentável.

Adotada em Paris em 1948, a DUDH foi desenhada logo depois da Segunda Guerra Mundial e do Holocausto. O texto descreve cada um dos direitos inalienáveis dos indivíduos, por meio de 30 artigos cuidadosamente escritos.

Presidente do Irã, Hassan Rouhani, discursa na plenária de chefes de Estado e Governo da 73ª sessão da Assembleia Geral. Foto: ONU/Cia Pak

Atual governo dos EUA tenta paralisar instituições internacionais, denuncia presidente do Irã

Em discurso no debate da Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, o presidente do Irã, Hassan Rouhani, criticou na terça-feira (25) a decisão de Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo nuclear com o país do Oriente Médio.

Durante seu pronunciamento, o líder iraniano afirmou que considerava “infeliz” o fato de que líderes mundiais estavam encorajando tendências racistas, xenofóbicas e extremistas, “não muito distantes do Nazismo”.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, fala na abertura do debate geral da 73ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas. Foto: ONU/Cia Pak

Mudanças climáticas e multilateralismo são destaque no primeiro dia da Assembleia Geral da ONU

Os temas recorrentes nesta terça-feira (25) no primeiro dia do debate geral da Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, foram os potencialmente catastróficos impactos das mudanças climáticas. O secretário-geral da ONU, António Guterres, alertou em seu discurso inaugural que a velocidade do aquecimento global tem provocado emergências no mundo todo, enquanto líderes dos países enfatizaram suas vulnerabilidades no que se refere a esse tema.

Diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva. Foto: FAO/Giuseppe Carotenuto

Graziano: ‘Conflitos estão aumentando e número de pessoas que passam fome também’

FAO promove ações em várias frentes para enfrentar o problema.

“Os conflitos estão aumentando e o número de pessoas que passam fome também, porque há uma estreia relação entre paz e segurança alimentar. Toda a vez que nós vemos aumentar a insegurança alimentar devido às guerras, principalmente, e ao impacto das mudanças climáticas, à seca sobretudo, o número de pessoas também aumenta”, disse o chefe da agência das Nações Unidas, o brasileiro José Graziano da Silva.

A FAO nomeou a viúva de Nelson Mandela, a ativista Graça Machel, como membro honorária da Aliança dos Laureados pela Paz.

Graça Machel (centro), viúva de Nelson Mandela, durante a Cúpula da Paz Nelson Mandela na Assembleia Geral, em 24 de setembro de 2018. Também estão na foto (da esquerda para a direita): secretário-geral da ONU, António Guterres; a presidente da Assembleia Geral, María Fernanda Espinosa Garcés; e a subsecretária-geral da ONU para a Departamento a Assembleia Geral e a Gestão de Conferências, Catherine Pollard. Foto: ONU/Cia Pak

Na ONU, países prometem se guiar por legado de Mandela

A Assembleia Geral das Nações Unidas homenageou nesta segunda-feira (24) Nelson Mandela com a promessa de construir um mundo justo, pacífico e próspero, bem como reviver os valores pelos quais o ex-presidente sul-africano e ativista anti-apartheid se posicionou.

No início do dia, uma estátua de Mandela foi inaugurada na sede da ONU.

Graça Machel, ativista de direitos humanos e viúva de Nelson Mandela, afirmou à ONU News que sua vida e obra é um lembrete sobre as razões que levaram à constituição das próprias Nações Unidas: “Prevenir conflitos, resolver e acabar com conflitos. E ele [Mandela] representa o exemplo de como isso se pode fazer, mesmo nas condições mais difíceis”.

Presidente da Assembleia Geral, María Fernanda Espinosa, conversa com a jornalista Monica Grayley, da ONU News. Foto: ONU News

ENTREVISTA: María Fernanda Espinosa, primeira latino-americana a presidir a Assembleia Geral da ONU

Teve início nessa semana o debate geral da 73ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas. María Fernanda Espinosa, que substituirá o eslovaco Miroslav Lajcák, é a quarta mulher a presidir este que é o maior e mais democrático órgão da ONU. Pela primeira vez na história, o posto é ocupado por uma mulher da América Latina e Caribe. Confira essa entrevista especial com Espinosa.

Presidente norte-americano Donald Trump durante pronunciamento no debate geral da 73ª sessão da Assembleia Geral. Foto: ONU/Cia Pak

Na ONU, Trump defende soberania norte-americana em detrimento de acordos e fóruns globais

Em pronunciamento no debate geral da ONU, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira (25) que o país “sempre escolherá a independência” no lugar da governança global.

O chefe do Estado norte-americano disse que não dará apoio nem reconhecimento ao Tribunal Penal Internacional (TPI), responsável por julgar crimes de guerra e genocídio.

Trump também criticou o Conselho de Direitos Humanos, que descreveu como um “grave constrangimento” para as Nações Unidas. O governante reiterou a decisão de não participar do novo pacto da ONU sobre migração.

O presidente brasileiro, Michel Temer, abriu nesta terça-feira (25) o debate geral da 73ª reunião da Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque. Foto: UN Web TV/Reprodução

Na ONU, Temer defende pacto global para refugiados e migrantes

O presidente brasileiro, Michel Temer, abriu nesta terça-feira (25) o debate geral da 73ª reunião da Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, no qual destacou os desafios para a defesa da integridade da ordem internacional e a necessidade de um pacto global para migrantes e refugiados.

Para Temer, o diálogo e a solidariedade estão na origem do Pacto Global sobre Migração, já aprovado e cujo objetivo é gerenciar melhor a migração internacional, enfrentar seus desafios, fortalecer os direitos dos migrantes e contribuir para o desenvolvimento sustentável.

“Agora, cabe-nos concluir as negociações do Pacto Global sobre Refugiados. Na América do Sul, estamos em meio a uma onda migratória de grandes proporções. Estima-se que mais de 1 milhão de venezuelanos já deixaram seu país em busca de novas condições de vida.”

Secretário-geral da ONU, António Guterres, apresenta seu relatório anual sobre o trabalho da Organização antes da abertura dos debates gerais da Assembleia Geral. Foto: ONU/Cia Pak

Mundo precisa se comprometer com ordem baseada em regras, diz chefe da ONU à Assembleia Geral

Em um mundo em que a confiança — nas instituições nacionais, entre Estados e na ordem global baseada em regras — está em ruptura, o secretário-geral da ONU, António Guterres, preparou nesta terça-feira (25) o terreno para o 73º debate geral das Nações Unidas com um apelo para reconstruir a solidariedade, reparar a confiança e revigorar o espírito do multilateralismo.

“Como guardiões do bem comum, também temos o dever de promover e apoiar um sistema multilateral reformado, revigorado e fortalecido”, disse o secretário-geral da ONU, dirigindo-se ao encontro anual dos líderes mundiais na sede das Nações Unidas nesta terça-feira.

“Precisamos de compromisso com uma ordem baseada em regras, com as Nações Unidas em seu centro e com as diferentes instituições e tratados que trazem a Carta à vida. Não há nenhum caminho a seguir, a não ser pela ação coletiva de consenso para o bem comum.”

Evento de lançamento em Nova York da estratégia "Juventude 2030" da ONU, em setembro de 2018. No centro, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres. Foto: ONU

ONU lança nova estratégia para jovens liderarem conquista da Agenda 2030

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, lançou nesta segunda-feira (24) uma nova estratégia de parceria com 1,8 bilhão de jovens do mundo com o objetivo de ajudar a colocar “suas ideias em ação”.

Notando que foi uma satisfação ver tantos rostos jovens na ONU para lançar a nova estratégia “Juventude 2030”, Guterres destacou uma lista de desafios que “a maior geração jovem da história” enfrenta hoje.

Ele observou que “globalização, novas tecnologias, deslocamento, encolhimento do espaço cívico, mudanças nos mercados de trabalho e impactos climáticos” pressionam a juventude em toda parte.

Foco global no problema mundial das drogas ‘não é questão abstrata’, diz chefe da ONU

As Nações Unidas colocaram um foco mundial no problema mundial de drogas durante um evento de alto nível sobre o combate a narcóticos, nesta segunda-feira (24).

O secretário-geral da organização, António Guterres, disse que a dependência de drogas é “mais do que apenas uma questão política. É pessoal”, observando que “a realidade é que as drogas e o vício não são questões abstratas”.

ONU anuncia Pacto Global de Mídia para conscientizar sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

As Nações Unidas anunciaram o lançamento do Pacto de Mídia dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), uma iniciativa para marcar um novo rumo para avançar na conscientização dos ODS, unanimemente adotados por todos os líderes do mundo na ONU em 2015.

O Pacto busca inspirar empresas de mídia e entretenimento de todo o mundo a alavancar seus recursos e talento criativo para promover o avanço das metas.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, falou nas redes sociais sobre o debate Geral da 73ª Assembleia Geral. Foto: ONU

Nas redes sociais, jovens brasileiros conversam com António Guterres sobre Assembleia Geral

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, falou nas redes sociais sobre o debate Geral da 73ª Assembleia Geral que tem início nesta terça-feira (25). Dois brasileiros participaram no evento ao vivo, no qual o chefe da ONU destacou haver razões para esperar que a geração mais jovem faça melhor que a dele.

Guterres defendeu que os jovens precisam de união, bem como mostrar que a democracia, a liberdade e os direitos humanos são extremamente importantes para as sociedades.

Às vésperas da Assembleia Geral, chefe da ONU busca compromisso renovado com regras e valores globais

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu nesta quinta-feira (20) um “compromisso renovado com uma ordem global baseada em regras” e com as Nações Unidas, destacando os principais temas a serem discutidos durante as reuniões de alto nível da Assembleia Geral, a partir de segunda-feira (24), em Nova Iorque.

Em coletiva de imprensa para jornalistas da sede da ONU, Guterres disse que, com 84 chefes de Estado e 44 chefes de governo participando dos debates gerais na semana que vem, a ONU mostra que ainda é “o fórum indispensável para a cooperação internacional”.

Assembleia Geral da ONU - Foto: Kim Haughton/UN Photo

Seis coisas que você precisa saber sobre a Assembleia Geral da ONU

Todos os anos, em setembro, líderes globais se reúnem na sede das Nações Unidas em Nova Iorque, durante duas semanas, para discutir assuntos importantes do nosso tempo e estabelecer uma agenda global para o ano seguinte. A 73ª sessão da Assembleia Geral da ONU começou nesta semana e o segmento de alto nível anual – formalmente conhecido como “debate geral” – começa em 25 de setembro, quando líderes de todos os países discursam para o mundo.

Você sabe por que o Brasil é o primeiro país a falar? Quantas vezes a Assembleia Geral foi presidida por uma mulher? Qual o tema do debate geral deste ano? Saiba um pouco mais sobre o encontro que movimenta a política internacional.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi estabelecida pelos países-membros da ONU no fim de 2015. Foto: ONU

Rede Brasil do Pacto Global apresenta em NY projetos de sustentabilidade do setor privado

A Rede Brasil do Pacto Global apresentará 19 projetos do setor privado brasileiro relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), na próxima quarta-feira (26).

O SDGsinBrazil – The Role of the Private Sector ocorre em Nova Iorque, em programação paralela à Assembleia Geral da ONU. O evento será uma oportunidade para que signatários da Rede Brasil mostrem suas ideias inovadoras de sustentabilidade empresarial a investidores internacionais e nacionais e a representantes de agências das Nações Unidas.

Sede da ONU em NY. Foto: ONU/Rick Bajornas.

Acordo latino-americano sobre proteção de defensores ambientais recebe assinaturas a partir de 27/9

O acordo regional sobre acesso à informação, à participação pública e à Justiça em assuntos ambientais na América Latina e no Caribe (Acordo de Escazú) será aberto à assinatura de todos os países da região na quinta-feira (27) na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, no marco do debate geral do 73º período de sessões da Assembleia Geral da ONU.

O chamado “Acordo de Escazú” — por ter sido adotado em 4 de março passado no município de Escazú, na Costa Rica — é o primeiro acordo ambiental da região e o único de seu tipo no mundo, já que contém disposições específicas sobre proteção de defensores de direitos humanos em assuntos ambientais. Trata-se do primeiro instrumento legal que emergiu até agora da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

A equatoriana María Fernanda Espinosa, presidente da 73ª sessão da Assembleia Geral da ONU, fala ao plenário no primeiro dia de reunião em Nova Iorque. Foto: ONU/Loey Felipe

Nova presidente da Assembleia Geral pede ONU mais próxima das pessoas

A nova sessão da Assembleia Geral da ONU foi aberta nesta terça-feira (18) com sua presidente prometendo usar seu mandato de um ano para levar a organização global para mais perto das pessoas, fortalecendo o apoio e o sentido de pertencimento às Nações Unidas.

Em seu primeiro discurso como presidente da Assembleia Geral, ocorrido durante sua 73ª sessão, a equatoriana María Fernanda Espinosa disse que a necessidade de uma liderança global mais forte a serviço do multilateralismo, para garantir sociedades mais pacíficas, igualitárias e sustentáveis, permeará seu trabalho.

Espinosa, que foi eleita presidente da Assembleia Geral em junho, sucede Miroslav Lajčák, presidente da 72ª sessão. Ela é a quarta mulher a ocupar o cargo na história da organização internacional, e a primeira mulher latino-americana.

Foto: ONU/Rick Bajornas

Evento em NY destaca iniciativas de empresas brasileiras pelos objetivos globais

Histórias do setor privado brasileiro na implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) receberão destaque durante o evento SDG in Brazil – Private Sector Role, organizado pela Rede Brasil do Pacto Global durante a 73ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, em setembro.

Com a iniciativa, a Rede Brasil quer promover as boas práticas empresariais conduzidas no país e incentivar o engajamento internacional das empresas brasileiras com os temas da Agenda 2030.

Miroslav Lajcák é presidente da 72ª sessão da Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Kim Haughton

ARTIGO: Uma nova abordagem para a paz

Em artigo, o presidente da Assembleia Geral da ONU, Miroslav Lajčák, afirma que, quando a ONU foi criada, seus fundadores imaginaram um mundo no qual disputas seriam resolvidas em salas de reunião e não em campos de batalha. Porém, conflitos violentos continuam a ocorrer em todo o planeta — prolongam-se, tornam-se mais complexos e mortais.

Segundo ele, essa é a razão pela qual a ONU necessita de uma nova abordagem para a paz. Dessa forma, a Organização convocou o Encontro de Alto Nível sobre Construção e Sustentação da Paz, em Nova Iorque, nos dias 24 e 25 de abril. Leia o artigo completo.

Por meio de uma resolução adotada por 128 votos a favor, nove contra e 35 abstenções, a Assembleia expressou seu “profundo pesar” após recentes decisões em relação ao status da cidade de Jerusalém. Foto: ONU/Manuel Elias

Assembleia Geral exige que todos os Estados sigam resoluções da ONU sobre status de Jerusalém

Por uma expressiva maioria, os Estados-membros reunidos na Assembleia Geral da ONU nesta quinta-feira (21) em Nova Iorque exigiram que todos os países sigam as resoluções do Conselho de Segurança no que se refere ao status de Jerusalém, após a decisão dos Estados Unidos de reconhecer a cidade como capital de Israel.

Por meio de uma resolução adotada por 128 votos a favor, nove contra e 35 abstenções, a Assembleia de 193 membros expressou seu “profundo pesar” após recentes decisões em relação ao status de Jerusalém, e enfatizou que a Cidade Santa “é uma questão de status final a ser resolvida por meio de negociações em linha com as resoluções da ONU”.

Ri Yong Ho, chanceler da Coreia do Norte, em discurso no debate geral da 72ª sessão da Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Cia Pak

Coreia do Norte condena comentários ‘imprudentes e violentos’ de Trump

O ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, condenou, no último sábado (23), as “palavras imprudentes e violentas” do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, dizendo que o próprio líder norte-americano está em uma “missão suicida”.

Na última semana (19), Trump afirmou que os EUA são obrigados a se defender e a defender seus aliados. Ele chegou a dizer que “não teria escolha a não ser destruir totalmente a Coreia do Norte”.

Família de refugiadas reassentadas em Portugal há mais de um ano. Foto: ACNUR/Bruno Galan Ruiz

Ministro português diz que país poderá receber mais 8,5 mil refugiados

Portugal está de portas abertas para receber mais 8,5 mil refugiados, disse na sexta-feira (22) o ministro dos Negócios Estrangeiros do país, Augusto Santos Silva, em entrevista à ONU News sobre a participação de seu país na Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque.

Atualmente, o país acolhe cerca de 1,5 mil refugiados. Silva afirmou que a decisão de dobrar o número de refugiados recebidos, estabelecido inicialmente em 5 mil conforme acordado com a União Europeia, foi tomada pelo país para cumprir um direito humanitário.

Primeiro-ministro de Dominica, Roosevelt Skerrit. Foto: ONU/Cia Pak

Líderes do Caribe criticam ceticismo sobre as mudanças climáticas e pedem recursos para prevenir desastres

Em pronunciamento na Assembleia Geral da ONU, o primeiro-ministro de Dominica, Roosevelt Skerrit, criticou no sábado (23) aqueles que insistem em negar as mudanças climáticas. Como prova de que se trata de um fenômeno verdadeiro e em curso, o chefe de Estado lembrou a devastação deixada pelos furacões Irma e Maria em seu país. Território atingido pela tempestade foi descrito como “zona de guerra”. Posicionamento do dirigente foi semelhante ao de outros líderes do Caribe.

Primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau. Foto: ONU/Cia Pak

Na ONU, Canadá reconhece que país falhou historicamente em proteger direitos dos indígenas

Em pronunciamento na Assembleia Geral da ONU, o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, reconheceu na quinta-feira (21) que governos sucessivos de seu país foram incapazes de respeitar os direitos dos indígenas. Para muitos integrantes dos povos originários, abusos persistem até hoje, afirmou o dirigente. Segundo Trudeau, erros históricos e um legado negativo do colonialismo privaram o Canadá das contribuições que essas populações poderiam ter dado para o desenvolvimento da nação.

Ministra da Cooperação para o Desenvolvimento, Ulla Tøernæs, da Dinamarca. Foto: ONU/ Cia Pak

Na Assembleia Geral, UE reforça compromissos com a prevenção de conflitos e proteção de refugiados

Na Assembleia Geral das Nações Unidas, presidentes e ministros europeus discursaram em favor de formas estruturadas e justas de prevenção de conflitos. As preocupações em comum foram os ataques terroristas e a ameaça do uso de armas nucleares.

Diante da maior crise migratória desde a segunda guerra mundial, os líderes pediram tratamento humano para centenas de milhares de refugiados que chegam ao continente, bem como a gestão ordenada dos fluxos de migrantes.

Sigmar Gabriel, ministro das Relações Exteriores da Alemanha. Foto: ONU/Cia Pak

Alemanha critica nacionalismo ‘egoísta’ e pede mais cooperação entre países durante debate na ONU

Representando a Alemanha no debate anual da Assembleia Geral da ONU, o ministro das Relações Exteriores, Sigmar Gabriel, alertou na quinta-feira (21) para uma crescente onda de nacionalismo radical, que pode gerar novos conflitos no mundo. Lembrando que a cooperação internacional não equivale à perda de soberania, o dirigente criticou quem usa o lema “nosso país primeiro”.

Migrantes e refugiados se deslocam por rota nos Bálcãs. Foto: ACNUR/Mark Henley

Dirigentes da ONU defendem novos acordos globais sobre refúgio e migração

Em meio ao encontro de chefes de Estado na sede da ONU, dirigentes das Nações Unidas defenderam novos acordos globais sobre fluxos migratórios. Tratados devem oferecer garantias para proteger as pessoas que se deslocam pelo mundo. Em pronunciamento para marcar um ano da adoção da Declaração de Nova Iorque para os Refugiados e Migrantes, na quarta-feira (20), oficiais do organismo internacional explicam o desdobramento político desse documento.

Primeira-ministra Sheikh Hasina, de Bangladesh, durante pronunciamento no debate anual de chefes de Estado na Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Cia Pak

Bangladesh pede criação de zonas sob supervisão da ONU para proteger rohingyas em Mianmar

Em pronunciamento na Assembleia Geral da ONU, a primeira-ministra de Bangladesh, Sheikh Hasina, criticou na quinta-feira (21) as violações de direitos humanos enfrentados pelo povo Rohingya em Mianmar. Denunciando o que chamou de limpeza étnica na província mianmarense de Rakhine, a dirigente pediu ao chefe da ONU que crie, dentro de Mianmar, zonas supervisionadas pelas Nações Unidas, a fim de garantir a segurança dos rohingyas.