Secretário-geral da ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten (arquivo)

O nono secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

De acordo com a Carta das Nações Unidas, o secretário-geral é o “chefe administrativo” da Organização e deve cumprir “outras funções que lhe são confiadas” pelo Conselho de Segurança, Assembleia Geral, Conselho Econômico e Social e outros órgãos das Nações Unidas.

 

A Carta também diz que o secretário-geral tem o dever de “levar à atenção do Conselho de Segurança qualquer assunto que em sua opinião possa ameaçar a manutenção da paz e segurança internacional”. Saiba mais sobre o tema clicando aqui e confira todas as notícias relacionadas abaixo.

Observadores da ONU removem armas das FARC na Colômbia. Foto: Missão da ONU na Colômbia

Observadores da ONU concluem processo de remoção de armas na Colômbia

Mais de 8 mil armas e mais de 1 milhão de cartuchos queimados foram transportados para um armazém central na Colômbia, enquanto a missão política das Nações Unidas no país concluiu o processo de recolhimento de armas individuais de combatentes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

“Em 15 de agosto, a ONU concluiu o processo de recolhimento de todos os armamentos e munições nos 26 campos das FARC”, disse Jean Arnault, representante especial do secretário-geral da ONU e chefe da Missão das Nações Unidas na Colômbia, em comunicado.

Imagem: ONU/OCHA

Chefe da ONU pede compromisso com proteção de civis em zonas de guerra

Em mensagem para o Dia Mundial Humanitário, lembrado no próximo sábado, 19 de agosto, o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu a lideranças políticas que façam tudo a seu alcance para proteger pessoas inocentes em zonas de conflito.

Chefe do organismo internacional chamou cidadãos de todo o mundo a participar da campanha da ONU lançada especialmente para a data. A iniciativa “Não É Alvo” — do original em inglês, #NotATarget — busca alertar o público sobre os riscos enfrentados por civis em situações de guerra. É possível assinar uma petição em prol da segurança e da vida de pessoas inocentes.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, durante encontro com a imprensa na sede da ONU em Nova Iorque. Foto:ONU/Mark Garten

Racismo e xenofobia estão envenenando nossas sociedades, diz Guterres

Pedindo que as pessoas em todos os lugares denunciem discursos e crimes de ódio, o secretário-geral da ONU, António Guterres, reiterou nesta quarta-feira (16) seu chamado por tolerância e respeito ao próximo, enfatizando a importância de se reconhecer a diversidade.

Para Guterres, racismo, xenofobia, antissemitismo ou islamofobia estão envenenando nossas sociedades. “É absolutamente essencial que nos posicionemos contra isso em todos os lugares, o tempo todo”, acrescentou.

Protesto estudantil em 2014 na Venezuela. Foto: Kira Kariakin/Flickr/CC

América Latina deve preservar conquistas contra autoritarismo, defende secretário-geral da ONU

Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (16), o secretário-geral da ONU, António Guterres, foi questionado sobre seu posicionamento quanto à repressão do governo da Venezuela a manifestações. Dirigente máximo das Nações Unidas afirmou que “a América Latina lutou com sucesso, nas últimas décadas, para libertar-se tanto da intervenção estrangeira, quanto do autoritarismo”. Esse legado, segundo Guterres, tem de ser preservado.

A enviada especial do secretário-geral da ONU para a juventude, Jayathma Wickramanayake, durante evento em Bagdá, no Iraque. Foto: UNAMI/Ivan Djordjevic

Jovens são força mais valiosa para construção de futuro melhor, diz enviada especial da ONU

No marco dos eventos de comemoração do Dia Internacional da Juventude, a enviada especial do secretário-geral das Nações Unidas para a juventude, Jayathma Wickramanayake, comprometeu-se durante visita a Bagdá, no Iraque, a fazer todo o possível para assegurar que as vozes dos jovens sejam ouvidas, incluindo daqueles que trabalham para a construção da paz.

“Hoje, milhares de jovens mulheres e homens trabalham incansavelmente, muitas vezes sob condições muito perigosas e com pouco apoio ou reconhecimento, pela construção da paz e da segurança para todos”, disse a enviada especial em evento sediado pelo Ministério da Juventude e do Esporte do Iraque.

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres. Foto: ONU/Manuel Elias

Secretário-geral da ONU pede resolução de disputas eleitorais no Quênia por via institucional

Em pronunciamento após as eleições gerais no Quênia, realizadas na semana passada, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, fez um apelo a lideranças do país para que todas as disputas e contestações em torno dos resultados da votação sejam feitas pelas vias institucionais.

Em 2007, violações e confrontos registrados durante o último processo eleitoral provocaram mais de mil mortes e deixaram 600 mil pessoas deslocadas.

Participantes ouvem palestrantes durante evento para o Dia Internacional da Juventude na sede da ONU em Nova Iorque. Foto: ONU/Kim Haughton

Jovens têm importante papel na criação de um mundo pacífico, diz secretário-geral da ONU

Na ocasião do Dia Internacional da Juventude, lembrado neste sábado (12), as Nações Unidas realizaram um evento comemorativo em sua sede em Nova Iorque com uma mensagem do secretário-geral da ONU, António Guterres, que enfatizou seu compromisso com os jovens.

“Os governos precisam trabalhar com os jovens para atingir com sucesso os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Meninas e meninos empoderados têm um papel crítico na prevenção dos conflitos e na garantia de uma paz sustentável”, declarou Guterres na mensagem de vídeo.

Secretário-geral da ONU nomeou a jornalista britânica Alison Smale para dirigir o Departamento de Informação Pública da Organização. Foto: YouTube/Hertie School of Governance

Secretário-geral nomeia jornalista britânica como chefe de comunicação global da ONU

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, nomeou a jornalista britânica Alison Smale para a direção do Departamento de Informação Pública da Organização, sob o cargo de secretária-geral adjunta para a comunicação global.

Chefe de departamento do jornal The New York Times em Berlim desde 2013, Alison Smale traz ao cargo quase 40 anos de experiência em jornalismo, acumulada com uma carreira internacional que inclui a criação de algumas publicações prestigiadas.

Mãe segura panela vazia ao lado de sua filha em acampamento perto da cidade de Ainabo, na Somália, em março de 2017. Foto: UNICEF/Kate Holt

Conflitos são uma das principais causas de fome no mundo, diz Conselho de Segurança da ONU

Expressando profunda preocupação com a ameaça de fome enfrentada por cerca de 20 milhões de pessoas em áreas de conflito em Iêmen, Somália, Sudão do Sul e nordeste da Nigéria, o Conselho de Segurança das Nações Unidas pediu na quarta-feira (9) que o secretário-geral alertasse o órgão com antecedência sobre casos de conflitos que possam levar a crises de fome.

Por meio de um comunicado, o órgão de 15 membros pediu que o secretário-geral forneça um relato oral em outubro deste ano sobre os desafios para uma resposta efetiva ao risco de fome nesses países, e que faça recomendações específicas sobre como enfrentar esses desafios com o objetivo de viabilizar uma ação mais firme no curto e no longo prazo.

Bandeira venezuelana. Foto: EBC

Eventuais sanções à Venezuela podem piorar sofrimento da população, diz relator da ONU

As sanções não são a resposta para a crescente crise na Venezuela, e a comunidade internacional não deve seguir por esse caminho, disse o relator especial das Nações Unidas Idriss Jazairy nesta sexta-feira (11).

“As sanções podem piorar a situação da população venezuelana, que já está sofrendo com a inflação paralisante e a falta de acesso adequado a alimentos e remédios”, disse Jazairy.

David Shearer, representante especial do secretário-geral e chefe da Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul (UNMISS, na sigla em inglês) em Juba na chegada da força regional mandatada pela ONU no país. Foto: ONU/Isaac Billy

Sudão do Sul: iniciada fase de mobilização de força de proteção autorizada pela ONU

Foi iniciada a implantação progressiva da Força de Proteção Regional autorizada pelas Nações Unidas no Sudão do Sul. A chegada de novas tropas permite que forças de paz existentes ampliem sua presença às áreas afetadas pelo conflito para além da capital, Juba.

Apesar do acordo de paz de agosto de 2015, o Sudão do Sul voltou a entrar em conflito devido a confrontos entre forças rivais — o braço do Exército Popular de Libertação do Sudão (SPLA, na sigla em inglês), fiel ao presidente Salva Kiir, e o braço do SPLA na oposição, apoiando o antigo primeiro vice-presidente, Riek Machar.

Vista de Busan, segunda maior cidade da Coreia do Sul. Foto: ONU/Kibae Park

Secretário-geral recebe propostas para reforma e fortalecimento do ONU-Habitat

Um painel independente propôs a remodelação do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) e a criação de um mecanismo de coordenação para complementar seu trabalho e reunir todas as agências da ONU e parceiros em torno da sustentabilidade urbana.

O painel, nomeado pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, recomenda que seja criada a “UN Urban”, um mecanismo de coordenação similar à ONU-Água ou à ONU-Energia, como parte de uma reforma mais ampla do Sistema das Nações Unidas.

Crianças se alimentam em uma escola no Timor-Leste, com refeições fornecidas pelo Programa Mundial de Alimentos da ONU, PMA, e o Ministério da Educação do país asiático. Foto: ONU/Martine Perret

Na ONU, países reafirmam compromisso com Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Em Nova Iorque, líderes de mais de 70 países se reuniram no Fórum Político de Alto Nível da ONU para debater os progressos e desafios da Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável.

Relatório do secretário-geral da organização sobre os progressos realizados em prol dos ODS mostrou que, apesar de o progresso global ter sido evidente em muitos casos, foi desigual nos países e regiões. Além disso, os avanços foram considerados insuficientes em diversos objetivos.

Nelson Mandela. Foto: Fundação Nelson Mandela

Ensinamentos de Nelson Mandela são mensagem ‘poderosa’ contra o medo e o cinismo, diz chefe da ONU

‘Nelson Mandela foi conhecido como o prisioneiro 46664 por 18 anos. Mas ele nunca se tornou um prisioneiro do seu passado. Sentenciado a trabalho pesado e ao encarceramento em solitária em Robben Island, ele se ergueu do sofrimento e da falta de dignidade para levar seu país, e o nosso mundo, a dias melhores’, lembrou o secretário-geral da ONU, António Guterres, neste 18 de julho, Dia Internacional Nelson Mandela.

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura. Foto: ONU/Violaine Martin

Rodada de negociações sobre Síria termina com ‘crescente progresso’, afirma enviado da ONU

Enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, afirmou que a última rodada de negociações sobre o país do Oriente Médio terminou com “crescente progresso”.

“Fizemos, assim como esperávamos, maior progresso. Sem avanços, sem interrupções, sem desistências”, disse Staffan de Mistura em uma coletiva de imprensa, seguida da conclusão da rodada de negociações facilitadas pela ONU com o objetivo de pôr fim ao conflito de seis anos na Síria.

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Violaine Martin

Acordo nuclear do Irã é ‘conquista da diplomacia multilateral’ e deve resistir a transições, diz chefe da ONU

Para marcar os dois anos de assinatura do acordo nuclear do Irã, firmado em 14 de julho de 2015, o secretário-geral da ONU, António Guterres, elogiou no último sábado (15) os esforços do país para implementar os compromissos assumidos no âmbito do tratado. O dirigente máximo das Nações Unidas defendeu que os Estados-membros que integram a negociação devem continuar dando apoio ao mecanismo.

Crianças aguardando a refeição em uma escola em Bandarero, no norte do Quênia. Foto: OCHA/Daniel Pfister

Relatório da ONU pede ‘esforços acelerados’ para alcançar Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Se o mundo quiser erradicar a pobreza, enfrentar as mudanças climáticas e construir sociedades pacíficas e inclusivas para todos até 2030, são necessários mais esforços para acelerar o progresso em relação aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A informação consta em um relatório das Nações Unidas apresentado nessa segunda-feira (17) pelo secretário-geral da organização, António Guterres.

Porto de Tema, em Gana. Foto: Banco Mundial/Jonathan Ernst

Recomendações econômicas da ONU mostram-se exatas e aplicáveis ao desenvolvimento, diz relatório

Análises econômicas feitas pelas Nações Unidas nos últimos 70 anos mostraram-se precisas e úteis para ajudar países a enfrentar a atual situação econômica mundial e implementar os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), concluiu novo relatório da Organização.

Publicado pela primeira vez em janeiro de 1948, após a Segunda Guerra Mundial, a Pesquisa Econômica e Social Mundial (‘World Economic and Social Survey’) é o mais antigo relatório econômico e social anual do tipo e promove uma ampla compreensão do conceito de desenvolvimento.

Protesto ocorrido no início de 2014 na Venezuela. Foto: EBC

ONU pede diálogo urgente entre governo e oposição na Venezuela

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse nesta sexta-feira (14) que um diálogo nacional entre governo e oposição é urgentemente necessário na Venezuela para atingir dois importantes objetivos: erradicação da violência, abusos e fanatismo; e a preservação de um pacto constitucional consensual.

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) também pediu nesta sexta-feira (14) que autoridades venezuelanas respeitem o desejo daqueles que desejarem participar do plebiscito convocado pela oposição no domingo (16) e garantam o direito à liberdade de expressão, associação e reunião pacífica.

Em 1995, um soldado do governo lê os nomes de soldados sobreviventes ou que conseguiram fugir de Srebrenica. Foto: UNICEF/LeMoyne

Srebrenica 22 anos depois: ONU pede reconhecimento de genocídio e garantia de não repetição

No vigésimo segundo aniversário do massacre de Srebrenica – a maior atrocidade em solo europeu desde a Segunda Guerra Mundial –, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, instou todos a “olhar com honestidade” para o passado, reconhecendo os crimes e a falta de ação que permitiu esses crimes ocorressem. Ele também pediu a garantia de que tais atrocidades nunca mais se repitam. A data é lembrada no dia 11 de julho.