Secretário-geral da ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten (arquivo)

O nono secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

De acordo com a Carta das Nações Unidas, o secretário-geral é o “chefe administrativo” da Organização e deve cumprir “outras funções que lhe são confiadas” pelo Conselho de Segurança, Assembleia Geral, Conselho Econômico e Social e outros órgãos das Nações Unidas.

 

A Carta também diz que o secretário-geral tem o dever de “levar à atenção do Conselho de Segurança qualquer assunto que em sua opinião possa ameaçar a manutenção da paz e segurança internacional”. Saiba mais sobre o tema clicando aqui e confira todas as notícias relacionadas abaixo.

VÍDEO: México um mês após os terremotos

Há um mês, no dia 19 de setembro de 2017, um terremoto de de magnitude 7.1 sacudiu o centro do México, 12 dias depois após outro movimento telúrico ter atingido o sudeste do país, especialmente as regiões de Oaxaca e Chiapas – e exatos 32 anos depois do terrível terremoto de 1985.

Os terremotos recentes deixaram um saldo de pelo menos 400 pessoas mortas, danos a mais de 150 mil habitações, 12 escolas e 1,5 mil monumentos históricos. Os tremores foram seguidos de um imenso impulso de solidariedade – por parte da população, da comunidade internacional e das Nações Unidas. Confira nesse vídeo do Centro de Informação da ONU na região.

Meninas da África do Sul. Foto: Banco Mundial/Trevor Samson

África deve focar nos jovens e no empoderamento de mulheres e meninas, diz Guterres

A África deve se concentrar nos jovens, empoderar as mulheres e meninas e ser inovadora para alavancar recursos e financiar o desenvolvimento, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, na segunda-feira (16) ao lançar a semana da África nas Nações Unidas.

“A África é a terra da resiliência e, acima de tudo, de oportunidades”, disse ele, ressaltando o recente progresso do continente em reduzir a pobreza, diversificar suas economias, construir uma classe média e cultivar o crescimento em uma variedade de setores.

Menina aguarda mãe coletar água próximo à cidade de Jowhar, na Somália. Foto: ONU/Tobin Jones.

Chefe da ONU lembra que conflitos são grande causa da fome no mundo

Até que os conflitos tenham fim e o desenvolvimento crie raízes no mundo, comunidades e regiões inteiras continuarão a enfrentar a fome, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, ao Conselho de Segurança em Nova Iorque na semana passada (12), lembrando a conexão entre guerras e fome.

Cerca de 80% dos recursos do Programa Mundial de Alimentos (PMA) estão sendo direcionados a regiões afetadas por conflitos. Cerca de 60% das 815 milhões de pessoas que sofrem com a fome atualmente vivem em regiões de guerra. Três quartos das crianças desnutridas do mundo também estão em países afetados por confrontos, alertou as Nações Unidas.

Um observador da Missão de Verificação da ONU na Colômbia conversa com moradores. Foto: Missão da ONU na Colômbia

ONU manifesta preocupação por ataques contra defensores dos direitos humanos na Colômbia

Em visita à Colômbia no início de outubro (9), o assistente do secretário-geral da ONU para direitos humanos, Andrew Gilmour, cumprimentou os avanços na desmobilização e desarmamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), mas expressou preocupação com os contínuos ataques contra defensores dos direitos humanos e líderes comunitários.

“O conflito armado com as FARC pode ter acabado, mas os incrivelmente corajosos defensores dos direitos humanos do país continuam sendo ameaçados e assassinados num ritmo alarmante”, disse Gilmour. “Estes ataques ameaçam a estabilidade de longo prazo da qual a Colômbia tanto precisa”, complementou.

Bandeiras do lado de fora da sede da ONU em Nova Iorque. Foto: ONU/Rick Bajornas

Nações Unidas propõem orçamento 4% menor para biênio 2018-2019

O secretário-geral da ONU, António Guterres, apresentou na semana passada (11) ao comitê administrativo e orçamentário da Assembleia Geral uma proposta de orçamento para o biênio 2018-2019 de 5,4 bilhões de dólares, que representa uma redução de 4%, ou de 200 milhões de dólares, frente ao orçamento do biênio atual.

“Ao prestar juramento (para assumir o cargo), em dezembro do ano passado, prometi trabalhar junto aos Estados-membros para reformar as Nações Unidas de forma completa e contínua”, disse Guterres ao comitê.

Jovens palestinos reúnem-se em prédio abandonado de Gaza. Foto: ONU/Shareef Sarhan

Com ‘otimismo cauteloso’, oficial da ONU cita desenvolvimentos positivos no conflito Israel-Palestina

O secretário-geral assistente da ONU para assuntos políticos, Miroslav Jenca, reportou na quarta-feira (18) ao Conselho de Segurança alguns desenvolvimentos positivos no conflito entre Israel e Palestina, especialmente em relação aos esforços de reconciliação intra-palestinos.

Sob o acordo, a Autoridade Nacional Palestina deve assumir o controle das fronteiras da Faixa de Gaza a partir de 1º de novembro. Uma declaração divulgada pelo Egito, que facilitou o acordo, destacou que o governo palestino deve assumir todas as suas responsabilidades na gestão do enclave a partir de 1º de dezembro.

A Somália sofreu no último 14 de outubro dois atentados que representam a pior perde humana devido ao terrorismo de toda a história do país. Os atentados, ocorridos na capital Mogadíscio, deixaram um saldo de mais de 300 mortos e muitos mais feridos. O comandante do contingente militar de Uganda na Missão da União Africana na Somália (AMISOM), Kayanja Muhanga, disse que esse foi um “ato de covardia” dos terroristas e tem o objetivo de colocar medo na população. Ele afirmou, no entanto, que a missão internacional continuará apoiando o país na luta contra o terrorismo.

‘É um ato de covardia dos terroristas’, diz comandante na missão da União Africana na Somália

A Somália sofreu no último 14 de outubro dois atentados que representam a pior perde humana devido ao terrorismo de toda a história do país. Os atentados, ocorridos na capital Mogadíscio, deixaram um saldo de mais de 300 mortos e muitos mais feridos.

O comandante do contingente militar de Uganda na Missão da União Africana na Somália (AMISOM), Kayanja Muhanga, disse que esse foi um “ato de covardia” dos terroristas e tem o objetivo de colocar medo na população. Ele afirmou, no entanto, que a missão internacional continuará apoiando o país na luta contra o terrorismo.

Membros da Missão Integrada Multidimensional de Estabilização da ONU na República Centro-Africana (MINUSCA) em patrulha em Bambari. Foto: MINUSCA

Missão da ONU na República Centro-Africana recebe nova denúncia de abuso sexual

O porta-voz das Nações Unidas disse na quarta-feira (11) que a Missão da ONU na República Centro-Africana (MINUSCA) recebeu nova denúncia de abuso sexual de um menor que teria sido cometido por soldados das forças de paz em Bambari.

O Escritório de Serviços de Supervisão Interna da ONU realizou uma verificação das informações e evidências para que a questão possa ser encaminhada ao Estado-membro para posterior investigação e tomada de ações.

Bandeira da ONU é erguida durante cerimônia de lançamento da Missão das Nações Unidas para o Apoio à Justiça no Haiti (MINUJUSTH). Foto: MINUJUSTH/Logan Abassi

Secretário-geral da ONU elogia criação de nova missão no Haiti

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, elogiou na segunda-feira (16) o estabelecimento da nova Missão das Nações Unidas para o Apoio à Justiça no Haiti (MINUJUSTH), após o encerramento da missão predecessora de manutenção da paz.

A MINUJUSTH apoiará o governo haitiano para fortalecer as instituições do Estado de direito, desenvolver as capacidades da polícia nacional e promover os direitos humanos.

Crianças na fila para refeição diária no Equador. Foto: Banco Mundial/Jamie Martin

ONU pede ação internacional para enfrentar as causas da pobreza

Lembrando a importância da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável no sentido de garantir uma vida digna a todos, o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu esforços redobrados para erradicar inteiramente a pobreza no mundo.

“Esta agenda globalmente acordada prevê garantir um planeta saudável e construir sociedades pacíficas e inclusivas para garantir vidas dignas para todos”, disse o secretário-geral em mensagem de vídeo para o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza. “Sua promessa de não deixar ninguém para trás exigirá abordagens inovadoras, parcerias e soluções”, completou.

O chefe da Missão da ONU, MONUSCO, diz que é preciso reduzir as tensões políticas. Foto: MONUSCO/Sylvain Liechti

Enviado da ONU alerta para perseguições ligadas a processo político na RD Congo

A ONU está preocupada com a intimidação, o assédio e a violência a pessoas na República Democrática do Congo, “principalmente em conexão com suas atividades e a expressão de opiniões em relação ao processo político”.

Falando ao Conselho de Segurança, o representante especial do secretário-geral no país, Mamadou Sidikou, citou jornalistas, opositores políticos e ativistas da sociedade civil “que continuam sujeitos” a essas ações.

Chefe da ONU condena ataques na Somália e elogia resposta local

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, elogiou os primeiros socorros e a resposta dos moradores de Mogadíscio, capital da Somália, após os atentados que ocorreram na cidade. Este foi o pior ataque terrorista já ocorrido no país africano.

Guterres pediu que todos os somalis “se unam na luta contra o terrorismo e o extremismo violento e trabalhem juntos na construção de um Estado federal funcional e inclusivo”.

Secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Acordo nuclear com Irã é marco para avançar paz e segurança globais, defende chefe da ONU

Em pronunciamento na sexta-feira (13), o secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu o acordo nuclear com o Irã, descrito como um marco “muito importante para avançar a paz e a segurança global”. Declaração foi feita após o presidente norte-americano Donald Trump ter afirmado sua intenção de não certificar o tratado. Segundo a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o Irã está sujeito ao regime de verificação nuclear mais sólido do mundo.

Foto: ONU/Martine Perret

Pena de morte não tem lugar no século 21, diz secretário-geral da ONU

A pena de morte faz pouco para deter os criminosos ou ajudar as vítimas, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, nesta terça-feira (10), pedindo que todos os países que ainda não proibiram a prática o façam urgentemente.

Elogiando os cerca de 170 países que aboliram ou colocaram uma moratória na pena de morte — os mais recentes foram Gâmbia e Madagascar —, o chefe da ONU lembrou que atualmente apenas quatro Estados respondiam por 87% de todas as execuções realizadas.

O secretário-geral António Guterres (centro) observa o esforço local de socorro em Salybia, na Dominica, e se reúne com as autoridades locais e membros da comunidade. Ao seu lado está Roosevelt Skerrit (de pé, à direita), primeiro-ministro da Dominica. Foto: ONU/Rick Bajornas

Mundo deve pôr fim a ‘desenvolvimento suicida’, diz chefe da ONU após visita ao Caribe

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visitou dois países do Caribe – Antígua e Barbuda e Dominica – para ver de perto os danos causados pelo mais recente furacão que passou pelo Caribe. “O vínculo entre as mudanças climáticas e a devastação que estamos testemunhando é clara, e existe uma responsabilidade coletiva por parte da comunidade internacional de dar um basta a esse desenvolvimento suicida”, disse.

Crianças refugiadas sírias em acampamento no Líbano. Foto: ACNUR/Sam Tarling

Mais de 8 mil crianças foram mortas ou mutiladas em conflitos armados em 2016, diz ONU

Mais de 8 mil crianças foram mortas ou mutiladas em situações de conflito armado no ano passado, de acordo com novo relatório do secretário-geral da ONU, António Guterres, divulgado nesta quinta-feira (5), em Nova Iorque.

Crianças de países como Afeganistão, República Democrática do Congo, Iraque, Somália, Sudão do Sul, Síria e Iêmen sofreram um nível alarmante de violações durante conflitos no ano passado, com ao menos 4 mil violações cometidas por forças governamentais e mais de 11,5 mil por grupos armados não estatais nos 20 países analisados pelo relatório.

Menino de sete anos observa destruição promovida pelo furacão Irma na República Dominicana. Foto: UNICEF

Chefe da ONU alerta para recentes eventos climáticos: ‘cientistas previram’

António Guterres anunciou que visitará a região e lembrou que não se deve vincular “qualquer evento climático com as mudanças climáticas”, acrescentando: “Mas os cientistas sabem que esse clima extremo é precisamente o que seus modelos preveem, e eles preveem que será o novo normal de um mundo que está se aquecendo”.

O secretário-geral agradeceu o apoio humanitário aos países do Caribe, mas classificou a resposta da comunidade internacional como “fraca”.

A ONU forneceu 18 toneladas de alimentos; 3 milhões de comprimidos de purificação de água; 3 mil tanques de água; 2,5 mil tendas; 2 mil mosquiteiros e kits escolares; 500 cartões de débito para assistência em dinheiro. As Nações Unidas dependem, no entanto, da ampliação do financiamento para manter ajuda.

Meninos recolhem água imprópria para o consumo em Al-Tabqa. Em maio de 2017, a cidade estava sem eletricidade e os sistemas de bombeamento de água operavam em sua capacidade mínima. Foto: UNICEF/Souleiman

Partes no conflito sírio precisam negociar ‘sem pré-condições’, diz enviado da ONU

As Nações Unidas devem realizar a próxima etapa de negociações entre as partes envolvidas no conflito sírio em Genebra, na Suíça, no fim de outubro ou início de novembro, disse o mediador da ONU ao Conselho de Segurança na quarta-feira (27).

“É hora de focar no retorno a Genebra e às negociações sob os auspícios das Nações Unidas”, disse o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, pedindo que o governo e a oposição abordem a situação com realismo e responsabilidade e se preparem para participar das conversas “sem pré-condições”.

ACNUR distribui suprimentos às famílias rohingya que se refugiam na aldeia de Hindu Par, em Bangladesh. Foto: ACNUR / Roger Arnold

Refugiados muçulmanos de Mianmar já somam meio milhão, alertam agências da ONU

A minoria muçulmana rohingya protagoniza hoje a crise de refugiados que mais cresce em todo mundo. Segundo estimativas, já são pelo menos meio milhão de civis fugindo de suas casas no estado de Rakhine, norte de Mianmar, na busca por proteção em Bangladesh.

O grupo é vítima de perseguições e de graves violações de direitos humanos, que as Nações Unidas descrevem como uma “limpeza étnica”.

Para o secretário-geral da ONU, António Guterres, esta crise humanitária não só fornece um “terreno fértil” para a radicalização, mas também coloca pessoas já em situação de vulnerabilidade – incluindo crianças pequenas – em grave risco. Ele pediu “ação rápida” para evitar mais instabilidade e encontrar uma solução duradoura.

Expansão de assentamentos prejudica esforços de paz entre Israel e Palestina, alerta enviado da ONU

A expansão contínua dos assentamentos está tornando a solução de dois Estados entre Israel e Palestina cada vez mais inatingível, disse um alto funcionário das Nações Unidas ao Conselho de Segurança nesta semana.

“Além dos assentamentos ilegais, a prática de demolir estruturas palestinas na Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, e o deslocamento de palestinos prejudicam as perspectivas de paz”, disse Nickolay Mladenov.

Vítimas de violência sexual em abrigo de Goma, República Democrática do Congo. Foto: ONU/Marie Frechon (arquivo)

Mais de 90 países apoiam pacto para acabar com a violência sexual em operações da ONU

Setenta e dois países, incluindo o Brasil, já assinaram o Pacto Voluntário do secretário-geral da ONU sobre Prevenção e Enfrentamento do Abuso e Exploração Sexuais. Documento prevê a implementação plena da política de tolerância zero que as Nações Unidas adotaram para combater casos de violações em suas missões de paz. Outros 19 Estados-membros já anunciaram formalmente a sua intenção de assinar o texto.

O número de nações apoiando o Pacto foi divulgado nesta sexta-feira (29) pelo escritório de António Guterres.

Países que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) se comprometeram a combater o tráfico de pessoas. Foto: EBC

Secretário-geral da ONU pede união dos países contra o tráfico de pessoas

Em conferência sobre o tráfico de pessoas, o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu na quarta-feira (27) que a comunidade internacional se una para eliminar essa “prática abominável”.

O dirigente máximo das Nações Unidas participou de um encontro com representantes dos Estados-membros e alertou que esse tipo de violação ocorre em todos os cantos do planeta — o que exige parcerias entre países para o enfrentamento do crime.

Mulheres sauditas caminham em shopping de Riade. Foto: Tribes of the World/Flickr (CC)

Secretário-geral da ONU elogia decisão da Arábia Saudita de autorizar mulheres a dirigir

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, elogiou nesta quarta-feira (27) a decisão da Arábia Saudita de permitir que mulheres conduzam carros. De acordo com a nova lei do país, as mulheres podem legalmente obter uma carta de condução sem pedir permissão a um tutor masculino.

Em um tweet, o chefe da ONU observou que o fim das restrições representa um “passo importante na direção certa”.

Mulheres palestinas andam perto do muro que separa a Cisjordânia de Israel. Foto: IRIN/Shabtai Gold

Enviado da ONU condena assassinato de oficiais de segurança israelenses na Cisjordânia

O enviado das Nações Unidas para os esforços de paz entre Israel e Palestina condenou o ataque de um palestino contra oficiais de segurança israelenses na Cisjordânia, afirmando que tal ato mina as perspectivas de um futuro pacífico para as duas partes.

De acordo com informações preliminares, um policial israelense e dois guardas foram assassinados e outro ficou seriamente ferido em um ataque ocorrido na manhã desta terça-feira (26) no assentamento de Har Adar, no território palestino ocupado.

Mulher iraquiana de Mossul carrega filho no campo de Garmava, localizado perto de uma rodovia entre Mossul e Duhok, no Curdistão iraquiano. Foto: ACNUR/S. Baldwin

ONU manifesta preocupação com efeitos ‘potencialmente desestabilizadores’ de referendo curdo

O secretário-geral da ONU, António Guterres, manifestou preocupação com os efeitos “potencialmente desestabilizadores” do referendo desta segunda-feira (25) na região do Curdistão no Iraque.

“O secretário-geral respeita a soberania, a integridade territorial e a unidade do Iraque, e considera que todas as questões pendentes entre o governo federal e o governo regional do Curdistão devem ser resolvidas por meio de um diálogo estruturado e de um compromisso construtivo”, disse o porta-voz do secretário-geral, Stéphane Dujarric, em comunicado.

Migrantes e refugiados se deslocam por rota nos Bálcãs. Foto: ACNUR/Mark Henley

Dirigentes da ONU defendem novos acordos globais sobre refúgio e migração

Em meio ao encontro de chefes de Estado na sede da ONU, dirigentes das Nações Unidas defenderam novos acordos globais sobre fluxos migratórios. Tratados devem oferecer garantias para proteger as pessoas que se deslocam pelo mundo. Em pronunciamento para marcar um ano da adoção da Declaração de Nova Iorque para os Refugiados e Migrantes, na quarta-feira (20), oficiais do organismo internacional explicam o desdobramento político desse documento.

À esquerda, o secretário-geral da ONU, António Guterres. À direita, o presidente da França, Emmanuel Macron. Foto: ONU/Kim Haughton

Secretário-geral da ONU pede apoio a pacto ambiental proposto pela França

Em encontro paralelo ao debate de chefes de Estado, na Assembleia Geral da ONU, o presidente da França, Emmanuel Macron, apresentou na terça-feria (19) a proposta do país de criar um pacto global ambiental. Documento seria primeiro acordo legalmente vinculante sobre o meio ambiente que reuniria todas as convenções e diretrizes do direito internacional para o tema. Proposta recebeu forte apoio do secretário-geral António Guterres.

Jovens participam de cerimônia pelo Dia Internacional da Paz na sede da ONU em Nova Iorque na semana passada (15). Foto: ONU/Kim Haughton

Secretário-geral da ONU pede engajamento da juventude na prevenção de conflitos

Os jovens precisam ser parceiros significativos na prevenção de conflitos e na manutenção da paz, e as Nações Unidas precisam pensar “fora da caixa” sobre como se relacionar com a juventude globalmente, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, durante evento ministerial realizado nesta quinta-feira (21) paralelamente ao debate geral da Assembleia Geral.

Na semana passada (15), a sede das Nações Unidas em Nova Iorque comemorou o Dia Internacional da Paz com com o toque anual do sino da paz, pedindo que combatentes em todo o mundo derrubassem suas armas e cumprissem um dia de cessar-fogo e não violência.

Cerca de 275 refugiados e migrantes aguardam para o desembarque no porto de Pozzalo, na Itália, após serem resgatados alguns dias antes. Foto: ACNUR/F.Malavolta

Contribuição dos migrantes é ‘esmagadoramente positiva’, diz secretário-geral da ONU

Durante um encontro na sede da ONU em Nova Iorque nesta quarta-feira (20), representantes das Nações Unidas destacaram a necessidade de continuar trabalhando em conjunto para promover formas mais justas de compartilhar a responsabilidade dos refugiados, bem como alcançar uma migração segura e ordenada.

“A migração não é um fenômeno novo; nem está criando a ameaça dramática de que muitos falam. A maioria dos migrantes se move de forma ordenada entre os países e dá uma contribuição esmagadoramente positiva para seus países anfitriões e seus países de origem”, destacou o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares foi assinado por vários chefes de Estado e ministros. Foto: ONU/Kim Haughton

Chefes de Estado assinam tratado sobre armas nucleares na sede da ONU

Na sede da ONU, em Nova Iorque, o Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares foi aberto nesta quarta-feira (20) para receber assinaturas dos Estados-membros. Esse é o primeiro acordo legalmente vinculante sobre restrições ao uso de armamentos atômicos. Em cerimônia para marcar a abertura do documento a compromissos de cada nação, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, lembrou que existem 15 mil armas nucleares espalhadas pelo mundo.

Em Oaxaca, no México, voluntários ajudam a remover destroços de ruas de San Mateo del Mar, afetada por terremoto no início deste mês. Foto: ONU

ONU está pronta para ajudar México, afirma secretário-geral após terremoto

O secretário-geral da ONU, António Guterres, expressou tristeza pela destruição e pelas mortes causadas pelo terremoto que atingiu o México na terça-feira (19). Em pronunciamento feito após os tremores, o dirigente máximo das Nações Unidas afirmou que o organismo internacional “está pronto para dar assistência” ao país e à população. Segundo noticiado pela imprensa, o abalo de intensidade 7,1 na escala Richter já deixou mais de 220 mortos.

Letreiro do lado de fora do prédio da Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque para promover a 72ª sessão do debate geral. Foto: ONU/Kim Haughton

Debate anual da Assembleia Geral da ONU começa nesta terça-feira (19) com foco nas pessoas

Líderes globais reúnem-se na sede da ONU em Nova Iorque nesta semana para o encontro diplomático anual de alto nível conhecido como debate geral, que irá focar nas necessidades das populações mundiais e em discussões sobre questões vitais como desenvolvimento sustentável e mudanças climáticas.

O tema dos debates da 72ª sessão da Assembleia Geral da ONU é “focar nas pessoas — lutar pela paz e pela vida decente para todos em um planeta sustentável” e, nesse espírito, monarcas, presidentes e premiês devem lançar discussões que definirão respostas internacionais para muitos dos atuais desafios globais, incluindo conflitos prolongados, extrema pobreza e fome e a crise de refugiados.