Arquivo da tag: Secretário-geral da ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten (arquivo)

O nono secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

De acordo com a Carta das Nações Unidas, o secretário-geral é o “chefe administrativo” da Organização e deve cumprir “outras funções que lhe são confiadas” pelo Conselho de Segurança, Assembleia Geral, Conselho Econômico e Social e outros órgãos das Nações Unidas.

 

A Carta também diz que o secretário-geral tem o dever de “levar à atenção do Conselho de Segurança qualquer assunto que em sua opinião possa ameaçar a manutenção da paz e segurança internacional”. Saiba mais sobre o tema clicando aqui e confira todas as notícias relacionadas abaixo.

Mulher vende toranjas asiáticas em mercado flutuante. Foto: Biodiversidade Internacional

Dia da Diversidade Biológica lembra efeitos da negligência ambiental na segurança alimentar

A alimentação está se tornando cada vez mais homogênea no mundo todo, apesar do crescente acesso a uma ampla variedade de alimentos nutritivos. A advertência foi feita pelas Nações Unidas nesta quarta-feira (22), Dia Internacional para a Diversidade Biológica. A data lembra este ano os impactos da negligência ambiental na segurança alimentar e na saúde pública.

A biodiversidade na fauna e na flora – em termos de espécies, habitats e genética – leva a ecossistemas mais saudáveis, mais produtivos e mais capazes de se adaptar a desafios como mudança climática. A atividade humana está ameaçando o destino de espécies como nunca antes, de acordo com um novo relatório, divulgado neste mês.

A política sueca Gunilla Carlsson foi nomeada diretora-executiva interina do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS). Foto: UNAIDS

Secretário-geral da ONU nomeia política sueca como diretora-executiva interina do UNAIDS

O secretário-geral da ONU, António Guterres, nomeou a política sueca Gunilla Carlsson diretora-executiva interina do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), informou a organização no sábado (18).

Antes de ingressar no UNAIDS, em fevereiro do ano passado, Gunilla atuou como representante eleita no Parlamento Sueco e como ministra da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento em seu país.

A nação insular de baixa altitude de Tuvalu, no Oceano Pacífico, é particularmente suscetível ao aumento do nível do mar causado pela mudança climática. Foto: PNUD Tuvalu/Aurélia Rusek

ONU alerta para impactos do aumento do nível dos oceanos sobre ilhas do Pacífico

Em visita a Fiji pela primeira vez como secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres destacou dois “desafios fundamentais” enfrentados por líderes presentes no Fórum de Ilhas do Pacífico. Segundo Guterres, estes desafios são a mudança climática e o aumento do nível dos oceanos, que ameaçam submergir nações de baixa altitude.

“A região do Pacífico está na linha de frente da mudança climática”, disse. “Isso significa que vocês são nossos aliados mais importantes para combatê-la”.

Em visita à Nova Zelândia, Guterres pede solidariedade para acabar com discursos de ódio

Em visita de três dias à Nova Zelândia, o secretário-geral das Nações Unidas prestou homenagem às vítimas dos ataques contra mesquitas em Christchurch, onde dezenas de muçulmanos foram mortos a tiros em dois incidentes separados durante orações em 15 de março.

Pedindo solidariedade e tolerância para conter o recente surto em discursos de ódio, António Guterres visitou a mesquita de Linwood, onde depositou uma coroa de flores, e a mesquita de Al Noor.

Assessores da ONU condenam ataques contra minorias religiosas no Sri Lanka

Dois assessores especiais das Nações Unidas pediram nesta terça-feira (14) o fim de “ataques de ódio” contra a minoria muçulmana do Sri Lanka, após o aumento de casos de violência com base em religião.

Em retaliação à violência mortal no domingo de Páscoa contra igrejas cristãs e hotéis em diversas partes do país, ataques ocorreram contra mesquitas e casas de famílias muçulmanas na segunda-feira (13), segundo relatos. Os ataques deixaram mais de 200 mortos e centenas de feridos.

Conta do secretário-geral da ONU, António Guterres, no Instagram. Foto: ONU/Patrick Newman

Mirando os mais jovens, secretário-geral da ONU abre conta no Instagram

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, há tempos enfatiza a importância dos jovens para enfrentar os desafios globais. Em 4 de maio, ele se inspirou neles para abrir uma conta na rede social Instagram, reforçando seu papel de principal influenciador da ONU.

A iniciativa teve resposta imediata. Em cinco dias, a nova conta atraiu mais de 32 mil seguidores; a maior parte de Estados Unidos, México, Índia, Brasil e Reino Unido.

Jacinda Ardern, primeira-ministra da Nova Zelândia, cumprimenta o secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

Chefe da ONU elogia liderança da primeira-ministra da Nova Zelândia após ataques contra mesquitas

Em passagem pela Nova Zelândia, no domingo (12), o secretário-geral da ONU, António Guterres, elogiou a primeira-ministra do país, Jacinda Ardern, por sua liderança após os ataques contra mesquitas em Christchurch, em março último. Em coletiva de imprensa na capital neozelandesa, Auckland, o chefe das Nações Unidas expressou solidariedade às vítimas da violência, que deixou 51 mortos.

Chefe da ONU destaca quatro ações climáticas que devem ser tomadas pelos países

Em conversa nesta segunda-feira (13) com jovens das Ilhas do Pacífico na Nova Zelândia, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou que a “natureza não negocia” e enfatizou quatro medidas essenciais que governos devem priorizar para alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

Reconhecendo o papel dos jovens para avançar ações climáticas no mundo todo, Guterres relembrou os presentes de que o “objetivo central é não ter mais de 1,5°C de aumento de temperatura no final do século”.

A jogadora brasileira Marta. Foto: ONU Mulheres/Ryan Brown

Secretário-geral da ONU nomeia jogadora Marta como defensora dos objetivos globais

O secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou na quinta-feira (9) a nomeação da jogadora de futebol Marta Vieira da Silva como uma das novas defensoras dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para 2019-2020.

A jogadora brasileira está entre as 17 personalidades públicas encarregadas pelo secretário-geral das Nações Unidas de promover os ODS, aumentar a conscientização com novos públicos, manter o compromisso global e pedir maior ambição e ação em escala para alcançar os objetivos globais até 2030.

Clínica em Mbandaka, na República Democrática do Congo, onde pacientes com ebola são tratados. Foto: Federação Internacional da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho

Em décimo mês, surto de ebola na República Democrática do Congo deixa 1 mil mortos

Em seu décimo mês, a epidemia de ebola na República Democrática do Congo (RDC) deixou mais de 1 mil mortos, levando o secretário-geral da ONU, António Guterres, a disponibilizar apoio de todo o Sistema das Nações Unidas para impedir a propagação do vírus mortal.

Guterres expressou na quarta-feira (8) preocupação com o número de novos casos de ebola no leste da RDC, reiterando o apoio da ONU “aos esforços para acabar com o surto”.

Crianças e suas famílias que vivem em um campo improvisado em uma área de difícil acesso na zona rural ocidental de Alepo, na Síria. Foto: UNICEF/Watad

Aumento da violência em região da Síria é ‘grande preocupação’, diz chefe da ONU

O chefe das Nações Unidas, António Guterres, disse nesta terça-feira (7) que está acompanhando “com grande preocupação” a intensificação dos confrontos no noroeste da Síria, que provocaram ainda mais perdas de vidas e deslocaram milhares nos últimos dias.

Os comentários do secretário-geral vêm em meio a relatos de ataques aéreos em centros populacionais e prédios civis dentro de uma zona desmilitarizada, desde setembro do ano passado sob a guarda da Rússia e da Turquia, no sul de Idlib e no norte rural de Hama.

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, ao lado das chefes das comissões regionais das Nações Unidas: Rola Dashti (ESCWA), Alicia Bárcena (CEPAL), Armida Alisjahbana (ESCAP), Oľga Algayerová (UNECE) e Vera Songwe (UNECA). Foto: ONU/Eskinder Debebe

Pela primeira vez, mulheres ocupam chefia de todas as comissões regionais da ONU

As comissões regionais das Nações Unidas existem há mais de 70 anos. Mas, pela primeira vez, cada uma delas está sendo comandada por uma mulher nomeada pelo secretário-geral da ONU, António Guterres.

Esta conquista destaca que, desde o dia que assumiu, o chefe da ONU está determinado a alcançar a paridade de gênero até 2030, como parte da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável.

A ONU News conversou com estas líderes sobre os passos que estão sendo dados para tornar realidade o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 5 (ODS 5), sobre empoderamento de mulheres.

Escombros das casas palestinas demolidas em Beit Hanina, em Jerusalém Oriental, com vista para o assentamento de Pisgat Ze'ev. Foto: UNRWA/Marwan Baghdadi

Ausência de solução política para Israel-Palestina prejudica esforços da ONU para encerrar crise

A chefe de Assuntos Políticos das Nações Unidas afirmou que, apesar das contínuas respostas à crise humanitária, econômica e política no Território Palestino Ocupado, esforços estão sendo continuamente enfraquecidos pela falta de progresso político em direção a uma solução de dois Estados.

Em atualização ao Conselho de Segurança sobre a situação mais recente no Oriente Médio, Rosemary DiCarlo disse que esperanças para dois Estados vivendo lado a lado em paz “continuam sendo substituídas por crescentes temores de futura anexação”.

Jornalistas em serviço. Foto: EBC

Responsabilização e exposição da ‘verdade para o poder’ dependem de imprensa livre, diz ONU

Em um momento em que a desinformação e a desconfiança na mídia estão crescendo, a liberdade de imprensa é “essencial para a paz, a justiça, o desenvolvimento sustentável e os direitos humanos”, disse o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em mensagem para o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, lembrado nesta sexta-feira (3).

A chefe da UNESCO, Audrey Azoulay, disse em mensagem para o dia que é essencial “garantir liberdade de opinião através da livre troca de ideias e de informações, com base em verdades factuais”. Ela afirmou que sociedades que valorizam a liberdade de expressão precisam ser constantemente vigilantes.

Migrantes venezuelanos na Colômbia em abril de 2019; cerca de 5 mil pessoas têm cruzado a fronteira venezuelana todos os dias, segundo a ONU. Foto: ACNUR/Vincent Tremeau

ONU expressa preocupação após relatos de uso excessivo de força na Venezuela

O escritório de direitos humanos das Nações Unidas expressou preocupação nesta quarta-feira (1) com relatos de uso excessivo de força, na Venezuela, por parte de forças da segurança leais ao presidente Nicolás Maduro, um dia após um levante malsucedido liderado pela oposição.

O líder da oposição, Juan Guaidó, que se declarou presidente interino em janeiro, apareceu nas redes sociais cercado de membros das forças armadas na terça-feira (30), pedindo ação para retirar Maduro do poder. O presidente eleito acusou seu rival de uma “tentativa de golpe”.

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Manuel Elias

Venezuela: ONU pede medidas ‘imediatas’ para restaurar a calma

O secretário-geral da ONU, António Guterres, está acompanhando os últimos acontecimentos na Venezuela “de muito perto e com preocupação”, informou nesta terça-feira (30) seu porta-voz. Segundo ele, a ONU está em contato “com as partes” em “diferentes níveis” dentro das Nações Unidas e no país.

O porta-voz esclareceu que “não cabe ao secretário-geral dar seu apoio a uma ou outra parte” e que se concentra no bem-estar do povo venezuelano, fazendo todo o possível para evitar a violência. Guterres disponibilizou mais uma vez apoio às partes, se assim fosse solicitado.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, falou na abertura de fórum de cooperação internacional em Pequim, China. Foto: ONU China/Zhao Yun

Em fórum na China, chefe da ONU pede desenvolvimento ‘inclusivo, sustentável e durável’

O plano da China para comércio internacional e desenvolvimento econômico, conhecido como a Iniciativa do Cinturão e Rota, pode contribuir para um mundo mais equitativo e próspero, além de reverter o impacto negativo da mudança climática. A afirmação foi feita nesta sexta-feira (26), em Pequim, pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Em discurso na presença do presidente chinês, Xi Jinping, e dezenas de outros líderes estatais no segundo fórum da iniciativa, Guterres pediu para a comunidade internacional se juntar para mobilizar recursos para implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O distrito de Macomia, em Cabo Delgado, Moçambique, foi duramente atingido pelo ciclone Kenneth, que chegou ao porto em 25 de abril. Foto: OCHA/Saviano Abreu

Novo ciclone atinge Moçambique seis semanas após o primeiro; ONU pede mais apoio

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, lamentou neste domingo (28) os relatos de mortes e destruição em Moçambique e em Comores como resultado do ciclone tropical Kenneth, seis semanas após o ciclone Idai atingir Moçambique, Malauí e Zimbábue.

Guterres pediu à comunidade internacional mais recursos para uma resposta imediata e a médio e longo prazo. Guterres afirmou que as Nações Unidas e parceiros humanitários estão apoiando autoridades nacionais para avaliar necessidades e fornecer assistência.

Já o chefe humanitário da ONU destacou que o ciclone Kenneth marca a primeira vez que dois ciclones atingiram Moçambique durante a mesma temporada, comprometendo ainda mais os limitados recursos do governo. Malauí e Zimbábue também devem passar por fortes chuvas e enchentes.

Mosaico de imagens de fiéis e lideranças religiosas de diferentes credos. Foto: ONU/Rick Bajornas

Chefe da ONU alerta para avanço do discurso de ódio e da intolerância religiosa no mundo

Em pronunciamento nesta segunda-feira (29), o secretário-geral da ONU, António Guterres, alertou para o avanço dos crimes de intolerância religiosa no mundo, com a proliferação de atentados contra fiéis e locais de adoração.

Chefe das Nações Unidas vê “momento crucial” na luta contra o discurso de ódio e contra o extremismo – o que exigirá a mobilização de líderes políticos em prol da coexistência pacífica.

Crianças caminham por uma parte do centro de Craiter, em Aden, no Iêmen. A área foi seriamente danificada pelos ataques aéreos em 2015, quando os houthi foram expulsos da cidade pelas forças da coalizão. Foto: OCHA / Giles Clarke

Iêmen: plano para retirada de tropas de porto é aceito, mas confrontos aumentam em outras áreas

Um plano de retirada de forças de linhas da frente dentro e em torno do porto iemenita de Hodeida foi aceito por forças pró-governo e por rebeldes houthis, afirmou na semana passada (15) ao Conselho de Segurança o enviado especial das Nações Unidas para o país.

No entanto, a guerra que deixou 80% da população iemenita em necessidade de ajuda humanitária não mostra sinais de diminuição em outras partes do país, alertou Martin Griffiths.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi estabelecida pelos países-membros da ONU no fim de 2015. Foto: ONU

‘Histórico comprovado’ de sucessos do multilateralismo é foco de data especial na ONU

O Dia Internacional do Multilateralismo e da Diplomacia para a Paz “destaca os valores da cooperação internacional para o bem comum”, afirmou o secretário-geral das Nações Unidas na quarta-feira (24), na primeira celebração da data.

Citando o direito internacional, os avanços em igualdade de gênero, a proteção ambiental e a limitação da proliferação de armas letais e doenças mortais, António Guterres afirmou que “o multilateralismo e a diplomacia têm um histórico comprovado de serviços às pessoas em todos os lugares”.

À direita, o Vórtice Polar fotografado pelo astronauta Scott Kelly, da Estação Espacial Internacional. Foto: Flickr (CC)/NASA

No Dia da Terra, chefe da ONU pede compromisso com combate às mudanças climáticas

Em tweet para marcar o Dia da Terra, celebrado nesta segunda-feira (22), o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu que todos se envolvam, da maneira que puderem, em ações contra as mudanças climáticas.

Na sede da ONU, em Nova Iorque, dirigentes da Organização e de seus países-membros alertaram para os riscos trazidos pelo aquecimento global e pela destruição do meio ambiente.

Catedral na capital do Sri Lanka, Colombo. Foto: Bevan/Wikipedia/CC

Comunidade internacional condena ataques que deixaram pelo menos 290 mortos no Sri Lanka

Pelo menos 290 pessoas foram mortas e mais de 500 ficaram feridas em uma série de explosões dentro de igrejas e hotéis no Sri Lanka, conforme cristãos se reuniam para celebrar a Páscoa.

Em comunicado, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse estar “chocado com os ataques terroristas” e pediu que os responsáveis sejam “rapidamente levados à justiça”.

De acordo com a imprensa internacional, três igrejas foram alvos, nas cidades de Batticaloa, Negombo e na capital, Colombo. Quatro hotéis, todos na capital, também foram atingidos.

Criança vai à escola em dia chuvoso no sudoeste da China. Foto: Banco Mundial

Crescimento desigual e tensões comerciais prejudicam desenvolvimento sustentável, diz Guterres

Crescimento desigual, níveis crescentes de dívidas, possíveis saltos na volatilidade financeira e acentuadas tensões comerciais globais estão prejudicando o progresso para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A avaliação foi feita na segunda-feira (15) pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, durante o Fórum sobre Financiamento para Desenvolvimento, realizado em Nova Iorque.

Em discurso, Guterres declarou que mudança climática, emissões de gases causadores do efeito estufa e tecnologias que abalam mercados de trabalho são um grande desafio. “Estamos aqui hoje como parte de um esforço para coordenar uma urgente resposta global para reverter estas tendências”, disse.

Esther Mujawayo-Keiner, sobrevivente do genocídio de 1994 em Ruanda, conta sua história durante evento em Nova Iorque. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Sobrevivente do genocídio em Ruanda reconta sua história 25 anos depois

“Milagrosamente não tenho marcas de machete”, disse uma sobrevivente do genocídio contra os tutsis em Ruanda, 25 anos depois do sistemático massacre de mais de 1 milhão de pessoas em cerca de três meses. Em evento solene nesta sexta-feira (12) em Nova Iorque, no salão da Assembleia Geral das Nações Unidas, Esther Mujawayo-Keiner disse que “a maior parte dos sobreviventes que temos hoje foi quebrada em seus corpos ou em suas almas”.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, se referiu ao genocídio como “um dos capítulos mais sombrios da história humana recente”, que mirou em grande parte a etnia tutsi, mas também hutus moderados e outros grupos que se opuseram.

Manifestantes protestam do lado de fora da sede das Forças Armadas na capital do Sudão, Cartum, em 11 de abril de 2019. Foto: ONU Sudão/Ayman Suliman

Desejos democráticos do povo sudanês devem ser atendidos, diz Guterres

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou na quinta-feira (11) que as “aspirações democráticas do povo sudanês” precisam ser transformadas em realidade através de um processo de transição apropriado, após a queda do presidente Omar al-Bashir, preso por ordens do novo conselho militar que passou a governar o país.

Em comunicado emitido em Nova Iorque por seu porta-voz, Guterres disse que irá continuar monitorando de perto os desdobramentos da situação no Sudão, e reiterou seu pedido de calma.

Mais de 20 pessoas foram assassinadas e mais de 100 ficaram feridas desde 6 de abril em protestos no país, segundo relatores independentes da ONU. Eles acrescentaram ter recebido informações de prisões disseminadas e ataques contra jornalistas cometidos pelas forças de segurança.

Sede da OIT iluminada para celebrar os cem anos da Organização. Foto: OIT/M. Crozet

ONU celebra 100 anos da Organização Internacional do Trabalho

Em pronunciamento para marcar o centenário da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o chefe da ONU, António Guterres, afirmou na quarta-feira (10) que o organismo chega aos 100 anos como uma “voz confiável” para “garantir justiça social em cada canto do nosso mundo”.

Secretário-geral ressaltou a relevância da primeira agência especializada das Nações Unidas diante das atuais transformações tecnológicas e digitais das atividades produtivas.

Crianças são as vítimas mais vulneráveis de conflitos. A ONU e o governo internacionalmente reconhecido da Líbia lançaram um plano de resposta humanitária para o país que pretende arrecadar 202 milhões de dólares. Foto: UNOCHA/Giles Clarke

Milhares de civis fogem na Líbia após novo agravamento de confrontos

Mais de 3.400 pessoas fugiram de confrontos perto da capital da Líbia, Trípoli, nos últimos dias, alertaram as Nações Unidas nesta segunda-feira (8), pedindo para partes conflitantes cessarem atividades militares para que serviços de emergência possam resgatar civis.

De acordo com relatos, ao menos 32 pessoas foram mortas e 50 ficaram feridas desde os confrontos na quinta-feira (4) entre forças do governo reconhecido internacionalmente e forças do comandante Khalifa Haftar no leste do país.

Bandeira da Argélia (centro), na sede da ONU em Nova Iorque. Foto: ONU/Loey Felipe

Chefe da ONU elogia argelinos por natureza pacífica de atos pela renúncia de presidente

O secretário-geral das Nações Unidas elogiou na quarta-feira (3) a “natureza madura e calma” de protestos envolvendo centenas de milhares de cidadãos da Argélia que foram às ruas nas últimas semanas para pedir a saída do então presidente Abdelaziz Bouteflika. O líder, que havia anunciado no fim de fevereiro que iria buscar seu quinto mandato, deixou o cargo na terça-feira (2).

Em comunicado emitido por seu porta-voz, António Guterres destacou a decisão do presidente de 82 anos de renunciar, após 20 anos no poder. Bouteflika era raramente visto em público desde que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), em 2013.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, cumprimenta pessoal nacional e internacional em sua chegada à sede da UNSMIL, na Líbia, em abril de 2019. Foto: ONU/Mohamed Alalem

Na Líbia, chefe da ONU expressa preocupação com relatos de avanços militares no país

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, expressou profunda preocupação com relatos de avanço de forças militares em direção à capital da Líbia, Trípoli, declarando que “não há solução militar” para restaurar paz e estabilidade no país.

Guterres está em visita à Líbia, em apoio aos esforços do governo internacionalmente reconhecido para unir líderes rivais em todo o país para uma conferência nacional de reconciliação. Eleições democráticas serão realizadas posteriormente este ano.

António Guterres na mesquita de al-Azhar, no Cairo, capital do Egito. Foto: ONU/Mahmoud Abd ELLatiff

Chefe da ONU alerta para avanço do discurso de ódio nas democracias

Em passagem pelo Egito, o chefe da ONU, António Guterres, pediu na terça-feira (2) que os cidadãos do mundo rejeitem líderes políticos e religiosos que fomentam a intolerância. Durante visita à histórica mesquita de al-Azhar, na capital Cairo, o secretário-geral alertou para o avanço do discurso de ódio e da polarização nas democracias, onde mulheres, minorias, refugiados e migrantes têm sido cada vez mais estigmatizados.

Crianças com autismo em escola na Espanha. Foto: Observatorio de la Infancia en Andalucía/Creative Commons

Em dia mundial, ONU pede mais acesso das pessoas com autismo a tecnologias assistivas

Em mensagem para o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo, lembrado nesta terça-feira (2), o secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu o uso da tecnologia para promover a inclusão e independência de pessoas que vivem com essa condição neurológica. O dirigente máximo das Nações Unidas enfatizou a necessidade de tornar as chamadas tecnologias assistivas acessíveis para todos.

Secretário-geral da ONU faz discurso durante Cúpula da Liba Árabe em Túnis no fim de março (31). Foto: Reprodução

Secretário-geral pede mais cooperação entre ONU e Estados árabes

Na Cúpula da Liga Árabe, na Tunísia, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, reconheceu no domingo (31) a importância da região para o cenário internacional, e pediu cooperação ainda maior entre a ONU e os Estados árabes.

“O Norte da África e o Oriente Médio são lar de memorável dinamismo e potencial. É uma região que há tempos busca construir paz e prosperidade. Acredito ser vital para esta região assumir este destino”, disse ao salão repleto de líderes políticos dos 22 Estados-membros da Liga. “As Nações Unidas não têm outra agenda além de apoiar estas aspirações, em espírito de solidariedade e união”.

Protestos na Faixa de Gaza no dia 14 de maio de 2018. Foto: OCHA

No aniversário de protesto na Faixa de Gaza, oficiais da ONU pedem fim da violência

No aniversário de um ano dos grandes protestos iniciados em Gaza e depois da morte de quase 200 palestinos por tiros das forças da segurança de Israel em 2018, o oficial das Nações Unidas para os Territórios Palestinos Ocupados (TPO), Jamie McGoldrick, pediu na sexta-feira (29) para todas as partes evitarem maior derramamento de sangue.

Quase um ano depois de manifestações começarem – conhecidas como a “Grande Marcha do Retorno e a Quebra do Cerco” – 195 palestinos, incluindo em torno de 40 crianças, foram mortos por fogo israelense perto da cerca fronteiriça, disse McGoldrick.

A militar brasileira Marcia Andrade Braga recebe das mãos do secretário-geral da ONU, António Guterres, o prêmio de Defensora Militar da Igualdade de Gênero da ONU. Foto: ONU/Cia Pak

Forças Armadas comemoram prêmio da ONU sobre igualdade de gênero para militar brasileira

Em torno de 40 representantes das Forças Armadas, academia, sociedade civil e missões diplomáticas celebraram nesta sexta-feira (29), no Rio de Janeiro (RJ), a premiação da militar brasileira Marcia Andrade Braga, que recebeu em Nova Iorque uma condecoração da ONU por promover a igualdade de gênero em missões de paz. A capitão de corveta da Marinha trabalha desde abril de 2018 na operação das Nações Unidas na República Centro-Africana (MINUSCA).

Foto: ONU

Situação do clima em 2018 mostrou aumento dos efeitos da mudança climática, diz relatório

Os sinais físicos e os impactos socioeconômicos deixados pela mudança climática são cada vez maiores devido às concentrações de gases de efeito estufa sem precedentes, que provocam um aumento das temperaturas mundiais a níveis perigosos, segundo o relatório mais recente da Organização Meteorológica Mundial (OMM).

A 25ª edição da Declaração da OMM sobre o estado do clima mundial, correspondente a 2018, destacou a elevação recorde do nível do mar, assim como das temperaturas terrestres e oceânicas, que ficaram excepcionalmente altas nos últimos quatro anos. Esta tendência de aquecimento começou no início do século e deve continuar.

Mulher alimenta filho de dois anos após terem sido obrigados a deixar sua casa após enchentes em Buzi, Moçambique. Foto: UNICEF/Prinsloo

Ações climáticas são necessárias para conter ciclones fatais como Idai, diz Guterres

O crescente número de mortos provocado pelo ciclone Idai é “outro sinal alarmante dos perigos da mudança climática”, disse na terça-feira (26) o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, alertando que países vulneráveis como Moçambique serão atingidos com mais força se ações urgentes não forem tomadas pela comunidade internacional.

“Tais eventos estão se tornando mais frequentes, mais severos e mais amplos, e isto só irá piorar se não agirmos agora”, disse o chefe da ONU. “Perante tempestades fortes, precisamos acelerar a ação climática”, acrescentou a correspondentes na sede da ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral convocou uma Cúpula sobre Ação Climática para setembro, para tentar mobilizar países em torno da necessidade urgente de reduzir aquecimento global para abaixo de 2°C acima de níveis pré-industriais, em linha com o Acordo de Paris, de 2015.