Arquivo da tag: Secretário-geral da ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten (arquivo)

O nono secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

De acordo com a Carta das Nações Unidas, o secretário-geral é o “chefe administrativo” da Organização e deve cumprir “outras funções que lhe são confiadas” pelo Conselho de Segurança, Assembleia Geral, Conselho Econômico e Social e outros órgãos das Nações Unidas.

 

A Carta também diz que o secretário-geral tem o dever de “levar à atenção do Conselho de Segurança qualquer assunto que em sua opinião possa ameaçar a manutenção da paz e segurança internacional”. Saiba mais sobre o tema clicando aqui e confira todas as notícias relacionadas abaixo.

Casas palestinas e assentamentos israelenses na área H2 em Hebron, na Cisjordânia. Foto: ONU/Reem Abaza

ONU lamenta decisão dos EUA de legitimar assentamentos israelenses

O posicionamento de longa data da ONU em relação aos assentamentos de Israel nos Territórios Palestinos Ocupados se mantém o mesmo: eles violam as leis internacionais. A afirmação foi feita pelo porta-voz da ONU Stéphane Dujarric durante coletiva de imprensa na terça-feira (19), em Nova Iorque, na qual abordou a decisão do governo norte-americano de tentar legitimar esses assentamentos.

Dujarric afirmou que a ONU “lamenta muito” o anúncio da nova posição dos Estados Unidos, comunicada na segunda-feira (18), e que a Organização se mantém “comprometida com uma solução de dois Estados, com base nas resoluções das Nações Unidas”.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, em discurso no Fórum da Paz de Paris - Foto: Christelle Alix/UNESCO

Guterres: multilateralismo deve resistir aos desafios de hoje e do futuro

Em discurso no Fórum da Paz de Paris, na segunda-feira (11), o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que o multilateralismo deve se adaptar para responder aos desafios de hoje e de amanhã, lembrando que “os conflitos persistem, criando sofrimento e deslocamento”. Sua fala aconteceu enquanto celebrações do fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, aconteciam em diversos países.

Para ele, o multilateralismo deve estar em rede e próximo às pessoas, trabalhando de mãos dadas com organizações regionais, mas também com instituições financeiras internacionais, bancos de desenvolvimento e agências especializadas. Também deve ser inclusivo com a plena participação da sociedade civil, incluindo jovens, empresas, círculos acadêmicos e filantrópicos, e combater a desigualdade de gênero, com uma estratégia para alcançar a paridade bem antes de 2030.

ARTIGO: Progresso rumo ao desenvolvimento sustentável está fora dos eixos

Em artigo publicado no jornal Financial Times nesta semana, o secretário-geral da ONU, António Guterres, lembra que metade da população mundial não tem acesso à educação e a cuidados de saúde; mulheres enfrentam discriminação e o número de pessoas com fome aumenta no mundo. Ele pede maior engajamento da iniciativa privada para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até 2030. Leia a íntegra abaixo.

António Guterres defende mediação para reduzir conflitos

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que a mediação e o diálogo estão tendo resultados positivos na redução de conflitos, sobretudo no continente africano. Nesta quinta-feira (31), ele participou da abertura da 6ª Conferência de Mediação de Istambul, na Turquia, onde citou como exemplos os casos do Sudão, Sudão do Sul, Etiópia, Eritreia, Madagáscar e República Centro-Africana.

O secretário-geral destacou, porém, os muitos desafios ainda existentes, como divisões na comunidade internacional, que contribuem para a imprevisibilidade e a insegurança; além de nacionalistas e extremistas que estão explorando divisões entre pessoas para aumentar o risco de confrontos violentos.

Tóquio é a maior cidade do mundo, com 37 milhões de habitantes. Foto: Banco Mundial | Antony Tran.

No Dia Mundial das Cidades, ONU propõe debate acerca dos desafios da urbanização global

Concentrando mais de 70% das emissões globais de dióxido de carbono, os centro urbanos “são onde a batalha climática será amplamente vencida ou perdida”, afirmou o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em sua mensagem oficial para o Dia Mundial das Cidades, celebrado anualmente em 31 de outubro.

Sob o tema “Mudando o mundo: inovações e uma vida melhor para as gerações futuras”, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) sediará hoje (31) uma conferência em Paris para debater com representantes de cerca de 24 municípios de todas as partes do mundo os desafios e as oportunidades trazidos com o processo de urbanização.

Segundo o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (UN Desa), até 2050, cerca de 6,7 bilhões de pessoas estarão vivendo em cidades – tornando o mundo quase 70% urbano.

Mylena Pereira, Brenda Ramos e Vitor Terra, alunos da pós-graduação em Oceanografia, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), falaram sobre os ODS. Foto: UNIC Rio | Naiara Azevedo.

Jovens demandam desenvolvimento sustentável com inclusão social no aniversário da ONU

O futuro que desejamos é baseado em crescimento econômico acompanhado de inclusão social e proteção do meio ambiente. Esta é a avaliação de jovens universitários que se reuniram nesta quinta-feira (24) na sede do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) na capital fluminense para lembrar o aniversário de 74 anos da Organização.

O evento com a presença de 17 estudantes da Faculdade de Oceanografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) debateu formas de os países alcançarem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nos próximos 11 anos, prazo estabelecido pela comunidade internacional para atingir metas como erradicação da pobreza, redução das desigualdades e combate às mudanças climáticas.

Capacetes-azuis da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL) durante patrulha em Rumaysh, sul do país, em dezembro de 2017. Foto: UNIFIL/Pasqual Gorriz

Carta da ONU permanece como âncora em meio às turbulências globais, diz secretário-geral

Em sua mensagem anual para o Dia da ONU nesta quinta-feira (24), o secretário-geral António Guterres lembrou o papel que a Organização deve desempenhar, concentrando-se nos problemas reais das pessoas reais, como uma “âncora moral compartilhada” em meio a “mares globais tempestuosos”.

“Estamos trabalhando para uma globalização justa e uma ação climática ousada”, disse o chefe da ONU. “Estamos pressionando pelos direitos humanos e pela igualdade de gênero — e dizendo ‘não’ ao ódio de qualquer tipo. E estamos nos esforçando para manter a paz — ao mesmo tempo em que levamos ajuda para salvar vidas a milhões de pessoas envolvidas em conflitos armados.”

Foto: José Manuel Infante / Unsplash

Diálogo universal sobre o futuro do mundo marcará 75 anos da ONU em 2020

O Dia da ONU – 24 de outubro – foi marcado com o anúncio do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, de que a comemoração dos 75 anos das Nações Unidas terá um grande e inclusivo diálogo sobre o papel da cooperação global na construção do futuro que queremos.

Com início em janeiro de 2020, as Nações Unidas promoverão diálogos ao redor do mundo e através de todas as fronteiras, setores e gerações. O objetivo é alcançar o público global, ouvir suas esperanças e medos e aprender com suas experiências.

Vista de La Paz, Bolívia. Foto: Carakan/Flickr/CC

ONU manifesta preocupação com atos de violência na Bolívia após eleições

A ONU anunciou nesta terça-feira (22) estar acompanhando de perto os últimos acontecimentos na Bolívia, e manifestou preocupação com relatos de uso da violência após o pleito de domingo (20) que reelegeu o presidente Evo Morales.

Durante seu encontro diário com a imprensa em Nova Iorque, o porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, instou todos os líderes políticos bolivianos e seus seguidores a reduzir as tensões no país. Pediu o fim de atos violentos e a utilização de meios legais para a resolução de disputas eleitorais.

A Missão das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH) trabalha com membros do Conselho Eleitoral Provisional do Haiti para transportar as urnas de votação de todo o país para a capital, Porto Princípe, para contagem – Foto: Logan Abassi/ UN Photo

Haiti: secretário-geral da ONU promete compromisso contínuo para a paz

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, prometeu compromisso contínuo para apoiar os haitianos no caminho para a paz e o desenvolvimento. Este compromisso seria uma nova parceria, afirmou, ao reconhecer a substancial contribuição dada ao país caribenho ao longo dos 15 anos da Missão de Estabilização das Nações Unidas, MINUSTAH, e a Missão das Nações Unidas para Apoio à Justiça no Haiti (MINUJUSTH).

Guterres afirmou que o novo Escritório Integrado das Nações Unidas no Haiti (BINUH), que iniciou suas atividades na última quarta-feira (16), trabalhará ao lado da equipe de país da ONU em atividades integradas “para apoiar os esforços nacionais para assegurar estabilidade duradoura e a implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.”

As crianças sentam-se em frente à sua nova escola, feita de tijolos de plástico reciclado em Sakassou, no centro da Costa do Marfim. Foto: UNICEF/Frank Dejongh

Fim da pobreza extrema é crucial para um futuro sustentável, diz chefe da ONU

Um futuro sustentável para todos é improvável, a menos que a globalização beneficie todas as crianças, suas famílias e comunidades, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, em sua mensagem para o Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza, nesta quinta-feira (17).

Observado a cada 17 de outubro, a data reconhece o esforço e a luta de mais de 700 milhões de pessoas em todo o mundo que vivem com menos de 1,90 dólar por dia.

“O fim da pobreza extrema está no centro dos esforços do mundo para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e construir um futuro sustentável para todos. Mas o sucesso em não deixar ninguém para trás permanecerá ilusório se não atingirmos as pessoas que estão mais atrás primeiro”, afirmou o secretário-geral.

Foto: Gerd Altman/Pixabay

ONU: 30 líderes empresariais se comprometem a mobilizar recursos para objetivos globais

As Nações Unidas anunciaram nesta quarta-feira (16) que 30 líderes do mundo corporativo trabalharão juntos pelos próximos dois anos numa tentativa de obter trilhões de dólares em recursos do setor privado para financiar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Convocada pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, a Aliança dos Investidores para o desenvolvimento Sustentável é co-presidida pelo CEO da Allianz, Oliver Bäte, e a CEO da Bolsa de Valores de Joanesburgo, Leila Fourie, e inclui dirigentes do Bank of America, Citigroup, Investec, Santander, UBS e importantes corporações internacionais, como a brasileira Sul América.

Em 11 de outubro de 2019. na Síria, mulher e criança sentam debaixo de caminhão enquanto população deslocada de Ras al-Ain chega a Tal Tamer, fugindo da violência. Foto: UNICEF/Delil Souleiman

Operação militar turca no nordeste da Síria pode libertar membros do Estado Islâmico

A incursão militar turca em andamento no nordeste da Síria pode, involuntariamente, levar à libertação de dezenas de pessoas associadas ao grupo terrorista Estado Islâmico, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Guterres pediu uma redução imediata dos combates, que deixaram muitas vítimas civis e deslocaram até 160 mil pessoas em menos de uma semana.

“Ele também observa com séria preocupação o fato de que as operações militares atuais possam levar à libertação não intencional de indivíduos associados ao Estado Islâmico, com todas as conseqüências que isso pode acarretar”, segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira (14) por seu porta-voz.

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: TASS/UN DPI

Secretário-geral da ONU elogia iniciativa de diálogo no Equador

O secretário-geral da ONU, António Guterres, fez um apelo para que todos os envolvidos na crise equatoriana se comprometam com um diálogo inclusivo e eficaz e trabalhem em busca de uma solução pacífica para os importantes desafios que o Equador enfrenta.

Em comunicado emitido por seu porta-voz, o chefe da ONU também pediu que todas as partes reduzam as tensões, evitem atos de violência e ajam com o máximo de moderação.

Menina interage com colegas de classe em Uganda. Foto: UNICEF/Zahara Abdul

Dia Internacional das Meninas lembra 25 anos de progressos e desafios no horizonte

As mais de 1 bilhão de meninas do mundo estão sendo celebradas nesta sexta-feira (11) como uma força de mudança “sem roteiro e irrefreável” para a humanidade.

Todos os dias, meninas com menos de 18 anos desafiam estereótipos, quebram barreiras e lideram movimentos para lidar com problemas que as afetam e afetam outras pessoas, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem para o Dia Internacional das Meninas.

O premiê etíope, Abiy Ahmed, fala durante fórum sobre liberdade de imprensa em Addis Ababa. Foto: UNESCO/Vintage Pixels

Secretário-geral da ONU elogia escolha de premiê etíope para Nobel da Paz

O secretário-geral da ONU, António Guterres, elogiou nesta sexta-feira (11) a escolha do premiê etíope, Abiy Ahmed, como vencedor do prêmio Nobel da Paz por seus esforços para resolver duas décadas de conflito com a Eritreia.

“Eu afirmei muitas vezes que ventos de esperança estão soprando cada vez mais fortemente em toda a África. O primeiro-ministro Abiy Ahmed é uma das principais razões para isso”, afirmou o chefe da ONU, em comunicado.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, ressaltou que violência de gênero é pandemia global. Foto: ONU/Loey Felipe

ONU diz estar disposta a apoiar diálogo em meio às manifestações no Equador

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse na quinta-feira (10) estar preocupado com os recentes acontecimentos no Equador e instou todas as partes a reduzir as tensões, evitar atos de violência e exercer a máxima moderação.

A ONU confirmou ter recebido solicitação por parte do governo equatoriano para facilitar o diálogo com os diferentes setores da sociedade civil, após os protestos iniciados na semana passada por conta da alta dos preços dos combustíveis anunciada pelo presidente Lenín Moreno.

Guterres alerta que ONU pode ficar sem dinheiro até o fim do mês

As Nações Unidas estão enfrentando uma grave escassez de recursos e, a menos que mais governos paguem suas contribuições anuais, “nosso trabalho e nossas reformas estão em risco”, disse o chefe da ONU, António Guterres, aos Estados-membros nesta terça-feira (8).

De acordo com seu porta-voz, o secretário-geral disse ter comunicado os Estados-membros “sobre a pior crise de caixa que a ONU enfrenta em quase uma década”. “A Organização corre o risco de esgotar suas reservas de liquidez até o final do mês e deixar de pagar funcionários e fornecedores.”

Gêmeos de nove meses, junto com sua mãe e dois irmãos, fugiram da violência no vilarejo de Susa, no nordeste da Síria. Foto: UNICEF/Hasen

Secretário-geral da ONU manifesta preocupação com situação no nordeste da Síria

O secretário-geral da ONU, António Guterres, manifestou nesta terça-feira (8) “grande preocupação” com as recentes declarações políticas a respeito da situação no nordeste da Síria, após o anúncio dos Estados Unidos no início da semana de que retirará tropas da área próxima à fronteira com a Turquia.

Guterres pediu a todas as partes que exercitem o máximo de contenção, segundo comunicado divulgado por seu porta-voz. Ele enfatizou sua preocupação com os riscos que possíveis ações militares na região possam ter para civis, após anúncio no Twitter feito no domingo (6) pelo presidente norte-americano, Donald Trump.

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visita Vanuatu em última parada de missão ao Pacífico para ver os efeitos da mudança climática. Foto: ONU/Mark Garten

ARTIGO: O combate às alterações climáticas — um movimento que não para

Em artigo de opinião publicado nesta quinta-feira (3), o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirma que Nações Unidas, empresas e pessoas de todo o mundo estão fazendo mais para combater a mudança climática, mas ele avisa que o que está sendo feito não é suficiente.

“O nosso planeta precisa de ação a uma escala verdadeiramente global. No entanto, tal não pode ser alcançado da noite para o dia e não pode acontecer sem o envolvimento total daqueles que mais contribuíram para esta crise”, disse Guterres. Leia o artigo completo.

Selo da ONU em homenagem a Mahatma Gandhi feito em 2009 para o Dia Internacional da Não Violência. Foto: ONU/Ryan Brown

ONU lembra aniversário do nascimento de Gandhi em Dia Internacional da Não Violência

A comunidade internacional lembra nesta quarta-feira (2) o Dia Internacional da Não Violência, que este ano coincidiu com o 150º aniversário de nascimento do ícone da paz global que levou a Índia à independência, Mahatma Gandhi.

Em 2007, a Assembleia Geral estabeleceu a data, marcada anualmente em 2 de outubro, para “disseminar a mensagem de não violência, inclusive através da educação e da conscientização pública” e reafirmar o desejo “de garantir uma cultura de paz, tolerância, compreensão e não violência “.

As três principais categorias de ação não violenta são protestos e persuasão, incluindo marchas e vigílias; não cooperação; e intervenção não violenta, como bloqueios e ocupações, de acordo com as Nações Unidas.

Crianças numa escola do Bronx, em Nova Iorque. Foto: ONU/Marcia Weistein

Encontro de Alto Nível marca 30 anos da Convenção dos Direitos da Criança

Desde a adoção da Convenção dos Direitos da Criança, há 30 anos, criou-se solidariedade “internacional sem precedentes”, afirmou o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em evento comemorando o aniversário do documento na sede da ONU em Nova Iorque nesta quarta-feira (25).

A Convenção é o acordo internacional de direitos humanos mais vastamente ratificado em toda a história e uma conquista emblemática.

O encontro de alto nível durante a 74ª sessão da Assembleia Geral da ONU foi organizado para celebrar o 30º aniversário dos Direitos da Criança, destacando o progresso feito em avançar para vidas saudáveis e sustentáveis e pedindo que os Estados-membros reforcem seus compromissos com a causa, ao mesmo tempo em que reconheçam novos desafios.

Totens ilustram os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na sede da ONU em Nova Iorque – Foto: Manuel Elias/UM Photo

Cúpula dos ODS: Brasil se compromete em reduzir mortalidade prematura em 1/3 até 2030

Quatro anos depois da adoção da Agenda 2030, líderes mundiais firmaram um acordo para uma década de ação ambiciosa para entregar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e anunciaram ações que estão sendo tomadas para avançar na Agenda.

Entre elas, o Brasil se comprometeu em reduzir a mortalidade prematura causada por doenças não transmissíveis para 1/3 até 2030; a Finlândia alcançará a neutralidade de carbono até 2035 e o México irá garantir acesso à internet para todos, incluindo pessoas em comunidades vulneráveis.

A declaração política foi adotada por unanimidade na apertura da Cúpula da ONU para os ODS.

Banners sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na frente da sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU/Conor Lennon

Chefe da ONU pede globalização justa em primeira cúpula dos objetivos globais

Precisamos de mais investimentos, mais ação política, mais prioridade para uma globalização justa, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em entrevista na quinta-feira (19), quando questionado sobre suas expectativas para a Cúpula dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que ocorre até quarta-feira (25) na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Guterres enfatizou que, com mais de 10 anos de prazo, o mundo não está no caminho de atingir as metas relativas ao desenvolvimento sustentável. Ele pediu aos líderes mundiais que “tomem as decisões necessárias para se unir de maneira mais efetiva e garantir que a Agenda 2030 seja implementada de forma bem sucedida”.

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, visita Vanuatu em última parada de missão ao Pacífico para ver os efeitos da mudança climática. Foto: ONU/Mark Garten

Saiba o que foi prometido durante a histórica Cúpula de Ação Climática da ONU

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, alertou aos líderes para que não fossem à Cúpula de Ação Climática deste ano somente discursar, mas que apresentassem tanto planos concretos para cortar emissões de gases de efeito estufa quanto estratégias para neutralizar as emissões de carbono até 2050.

Mas o que exatamente foi prometido durante a histórica Cúpula, que ocorreu na sede da ONU, em Nova Iorque, em 23 de setembro? Saiba mais nesta reportagem.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, abre os debates da 74a Assembleia Geralda ONU - Foto: Cia Pak/ONU

Em discurso, António Guterres lembra que diversidade é uma riqueza e não uma ameaça

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, abriu nesta terça-feira (24), em Nova Iorque, o debate de alto nível da Assembleia Geral afirmando que a diversidade é uma riqueza e não uma ameaça e defendendo o multilateralismo.

Os 193 Estados-membros da ONU participarão em sessões presididas pelo diplomata nigeriano Tijjani Muhammad-Bande. A 74ª sessão terá como prioridades paz e segurança, erradicação da pobreza, fome zero, educação de qualidade, ação climática e inclusão. As reuniões também darão ênfase aos direitos humanos e à paridade de gênero.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, e o presidente norte-americano, Donald Trump, participam de encontro sobre liberdade religiosa em Nova Iorque. Foto: ONU/Manuel Elias

Paralelamente à cúpula do clima, Trump pede proteção da liberdade religiosa

Enquanto líderes globais se reuniam na sede da ONU nesta segunda-feira (23) para apresentar seus planos de combate às mudanças climáticas, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, destacou a necessidade de salvaguardar a liberdade religiosa em todo o mundo, em evento com a presença do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

“Lamentavelmente, a liberdade religiosa de que gozam os cidadãos norte-americanos é rara no mundo. Aproximadamente 80% da população mundial vive em países onde a liberdade religiosa é ameaçada, restrita ou mesmo proibida”, afirmou Trump.

Guterres disse lamentar ver um número crescente de pessoas sendo humilhadas publicamente, assediadas e atacadas por causa de sua religião ou crença. “A melhor maneira de promover a liberdade religiosa internacional é unindo nossas vozes para o bem, combatendo mensagens de ódio com mensagens de paz, abraçando a diversidade e protegendo os direitos humanos em todos os lugares”, afirmou.

‘Vocês estão falhando conosco’, diz ativista Greta Thunberg a líderes mundiais

Falando no início da Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas nesta segunda-feira (23), em Nova Iorque, a aclamada ativista Greta Thunberg, de 16 anos, não poupou críticas aos líderes mundiais, dizendo que eles não estão sendo capazes de ver a realidade como ela é no que se refere às mudanças do clima.

Ela acrescentou, sem rodeios: “vocês estão falhando conosco, mas os jovens estão começando a entender sua traição”. “Os olhos de todas as gerações futuras estão em vocês, e se vocês escolherem falhar, eu digo que nunca os perdoaremos.”

O secretário-geral da ONU visita o assentamento de Mandruzi, em Moçambique. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Ação coletiva é única maneira de enfrentar desafios globais, diz Guterres

Os desafios globais de nosso tempo demandam soluções globais, e devemos demonstrar continuamente os méritos da cooperação multilateral, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, nesta segunda-feira (23), ao lançar o relatório anual de 2019 das Nações Unidas.

O relatório de 120 páginas documenta o progresso da Organização no ano passado no que se refere a desenvolvimento sustentável, paz e segurança; desenvolvimento da África, direitos humanos, assistência humanitária, direito internacional, desarmamento e prevenção ao crime, juntamente à luta contra o terrorismo.

Sede das Nações Unidas em Nova Iorque. Foto: ONU/Manuel Elias

Secretariado da ONU adota plano para cortar as próprias emissões pela metade até 2030

O Secretariado das Nações Unidas adotou um novo Plano de Ação pelo Clima para os próximos dez anos que pretende transformar suas operações para atingir 45% de redução de emissões de gases de efeito estufa e 80% de uso de energia elétrica de fontes renováveis.

O plano foi adotado pouco antes da Cúpula de Ação pelo Clima, que está sendo realizada pelo secretário-geral da ONU para incentivar metas globais mais ambiciosas e aumentar significativamente as ações para limitar as mudanças climáticas.

As operações globais do Secretariado da ONU representam aproximadamente 58% das emissões de gases de efeito estufa reportadas pelo Sistema ONU, de acordo com o mais recente relatório “Greening the Blue”, que apresenta ações ambientais da ONU e foi lançado pela ONU Meio Ambiente na última sexta-feira (20).

Secretário-geral da ONU, António Guterres (centro) e Greta Thunberg (a segunda à direita), na abertura da Cúpula da Juventude pelo Clima - Foto: Kim Haughton/UN Photo

Cúpula da Juventude pelo Clima da ONU: jovens pedem fim dos combustíveis fósseis

Um dia depois que milhares de pessoas marcharam pelo mundo – de Nova Iorque a Nova Deli, de Santiago a São Francisco – pedindo ações urgentes pelo clima, mais de 600 jovens participaram da Cúpula da Juventude para o Clima, no sábado (21), em Nova Iorque. Para eles, é necessário que os líderes políticos façam mudanças radicais no uso de combustíveis fósseis e rumo a energia limpa, proteção dos oceanos e promoção do consumo sustentável.

Organizada pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, a Cúpula da Juventude pelo clima reuniu jovens de mais de 140 países e territórios para que eles compartilhem as soluções num palco global e passem um recado claro aos líderes mundiais: é necessário agir agora para as mudanças climáticas.

Secretário-geral da ONU anuncia nova iniciativa de ação climática para o emprego

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, anunciou uma nova iniciativa que visa garantir que a criação de emprego decente e a proteção dos meios de subsistência estejam no centro dos esforços dos países para impulsionar a ação climática, e instou os países a aderir à iniciativa.

A “Ação Climática para o Emprego” será apresentada na Cúpula de Ação Climática do Secretário-Geral da ONU, a ser realizada na segunda-feira (23) na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.

A iniciativa foi desenvolvida pela Cúpula de Ação Climática, juntamente à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a outros membros da Área de Ação dos Impulsionadores Sociais e Políticos da Cúpula, co-liderada por Espanha e Peru.

Sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU/Rick Bajornas

Líderes de todo mundo se reúnem para cinco grande eventos na sede da ONU

Mais de uma centena de líderes de todo o mundo se reúnem na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova Iorque neste mês para sinalizar como irão acelerar ações para responder a temas de preocupação global.

Em cinco grandes eventos ocorrendo entre os dias 23 e 27 de setembro, chefes de Estado e de governo devem se comprometer e mobilizar ações que levarão à transformação necessária para assegurar vidas saudáveis, pacíficas e prósperas para todas e todos.

Os encontros deste ano devem ser o pontapé inicial da ambiciosa década de ação para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030.

Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Cia Pak

Guterres pede ambição e ação nas discussões da Assembleia Geral da ONU

Cinco cúpulas das Nações Unidas serão realizadas na próxima semana para discutir a crise do clima e outras preocupações globais.

Para o secretário-geral da Organização, António Guterres, não há tempo a perder frente às mudanças climáticas, ao aumento da desigualdade, do ódio e da intolerância, entre muitos desafios alarmantes nas áreas de segurança e paz.

Ele pediu ambição e ação durante as discussões dos próximos dias.

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: TASS/UN DPI

Secretário-geral da ONU enfatiza importância dos países lusófonos para a diplomacia global

As nações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) têm importante papel para a diplomacia global e como parceiras das Nações Unidas, disse o secretário-geral da ONU nesta quarta-feira (18), durante coletiva de imprensa para marcar abertura da 74ª sessão da Assembleia Geral, em Nova Iorque.

“A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, como a Commonwealth e a francofonia, tem um papel muito importante no quadro das Relações Internacionais, são parceiros das Nações Unidas”, disse Guterres.

Menino olha ruínas de escola destruída em junho de 2015 em Saada, no Iêmen. Foto: UNOCHA

Guterres pede ‘contenção máxima’ após ataques contra refinarias na Arábia Saudita

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu no domingo (15) “contenção máxima” após uma onda de ataques de drones reivindicados por rebeldes iemenitas houthis contra duas instalações de processamento de petróleo baseadas na Arábia Saudita.

Em comunicado emitido por seu porta-voz, Guterres disse “condenar os ataques de sábado às instalações de petróleo da Aramco na província oriental da Arábia Saudita reivindicados pelos houthis”.

Ele também pediu para todas as partes em conflito “exercerem restrição máxima, evitarem qualquer escalada em meio a tensões elevadas e cumprirem o Direito internacional humanitário”.