Arquivo da tag: Secretário-geral da ONU

O secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten (arquivo)

O nono secretário-geral da ONU, António Guterres. Foto: ONU/Mark Garten

De acordo com a Carta das Nações Unidas, o secretário-geral é o “chefe administrativo” da Organização e deve cumprir “outras funções que lhe são confiadas” pelo Conselho de Segurança, Assembleia Geral, Conselho Econômico e Social e outros órgãos das Nações Unidas.

 

A Carta também diz que o secretário-geral tem o dever de “levar à atenção do Conselho de Segurança qualquer assunto que em sua opinião possa ameaçar a manutenção da paz e segurança internacional”. Saiba mais sobre o tema clicando aqui e confira todas as notícias relacionadas abaixo.

O secretário-geral da ONU, António Guterres (à esquerda), informa a reunião da Assembleia Geral sobre suas prioridades para 2020 e para o trabalho da Organização. Foto: ONU/Mark Garten

Chefe da ONU lista quatro principais ameaças para futuro global

O novo ano começa com quatro ameaças iminentes ao progresso humano no mundo: tensões geopolíticas crescentes, crise climática, desconfiança global e impactos negativos da tecnologia, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, nesta quarta-feira (22).

Em 2015, os líderes mundiais adotaram uma agenda para criar um planeta mais justo para todos. Este ano, a ONU lançou a Década de Ação para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até o prazo de 2030.

A exposição "75 anos após Auschwitz - Educação e Memória do Holocausto para Justiça Global" reflete a importância contínua da ação coletiva contra o antissemitismo e outras formas de preconceito para garantir o respeito pela dignidade e pelos direitos humanos de todas as pessoas em todos os lugares. Foto: Foto: ONU/Elizabeth Scaffidi

Exposição na sede da ONU lembra 75 anos da libertação de Auschwitz

Há 75 anos, quando soldados do exército soviético entraram no campo de concentração e extermínio de Auschwitz, na Polônia, eles ficaram “atordoados e silenciados” pelo que viram, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Apontando para o “assustador crescimento de ataques antissemitas” nos últimos anos, Guterres afirmou: “não poderemos nunca baixar nossa guarda”.

Para o secretário-geral da ONU, isso ocorre por conta “de um aumento preocupante de casos de xenofobia, homofobia, discriminação e ódio de todos os tipos”. Ele acrescentou que até o próprio nazismo muitas vezes ameaça ressurgir, “às vezes abertamente, às vezes disfarçado”.

Desigualdade ameaça progresso social - Foto: Aamir Mohd Khan/Pixabay

ONU: desigualdade fecha as portas para avanço econômico e social no mundo

A crescente desigualdade em países desenvolvidos e em desenvolvimento pode exacerbar as divisões e desacelerar o desenvolvimento econômico e social, de acordo com o Relatório Social Mundial 2020 das Nações Unidas, lançado globalmente nesta terça-feira (21). Mais de dois terços da população mundial vivem em países onde a desigualdade aumentou e o impacto é sentido em níveis pessoais e nacionais. O documento aponta que no Brasil, onde a desigualdade havia sido reduzida nas últimas décadas, ela está aumentando novamente.

De acordo com o relatório, produzido pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU, sociedades muito desiguais são menos efetivas na redução da pobreza, crescem mais vagarosamente, dificultam que as pessoas quebrem o ciclo da pobreza e fecham as portas para o avanço econômico e social. Além disso, o aumento da desigualdade reprime o crescimento econômico e pode aumentar a instabilidade política.

O chefe da ONU visitou o memorial intitulado "A Breath" (um suspiro), que saiu de Porto Príncipe e agora fica na sede da ONU no centro de Manhattan. Foto: ONU

Vítimas de terremoto no Haiti são homenageadas na sede da ONU em Nova Iorque

Mais de 200 mil haitianos que morreram no devastador terremoto que atingiu a nação insular há dez anos foram homenageados nesta sexta-feira (17) em uma cerimônia solene na sede da ONU, em Nova Iorque. A homenagem incluiu os 102 funcionários das Nações Unidas vitimados pela tragédia.

Os haitianos estavam começando um novo ano com otimismo, lembrou o secretário-geral da ONU, António Guterres, durante a cerimônia, mas “em alguns segundos, suas esperanças se transformaram em pó”.

“Nunca esquecerei o choque e a tristeza em todo o mundo e nas Nações Unidas quando a escala da tragédia ficou clara”, acrescentou.

Porto de Kwai Chung em Hong Kong. Região administrativa da China está entre os dez países onde é mais fácil fazer negócios. Foto: Flickr (CC) / uituit

ONU: tensões comerciais e geopolíticas devem afetar crescimento global em 2020

Afetada por prolongadas disputas comerciais, a economia global teve seu menor crescimento da década no ano passado, desacelerando para 2,3%. Para este ano, as Nações Unidas preveem leve aceleração da atividade econômica se os riscos forem mitigados, de acordo o relatório “Situação Econômica Mundial e Perspectivas 2020” (WESP 2020, na sigla em inglês), lançado globalmente nesta quinta-feira (16). No Brasil, a expectativa é de recuperação da demanda doméstica, com crescimento de 1,7% neste ano.

Colômbia avança rumo à paz integrada, diz enviado da ONU ao Conselho de Segurança

A Colômbia continuou a ter “progressos significativos em seu processo de paz”, disse o principal enviado das Nações Unidas no país sul-americano ao Conselho de Segurança nesta segunda-feira (13).

O representante especial Carlos Ruiz Massieu, que também chefia a Missão de Verificação da ONU na Colômbia, destacou que mesmo diante de “sérios desafios” — particularmente em termos de segurança para comunidades afetadas por conflitos —, a maior participação e a segurança nas eleições regionais de outubro passado “demonstraram o impacto positivo do processo de paz na democracia colombiana”.

Destruição em um bairro pobre de Porto Príncipe, Haiti, depois do terremoto de 2010. Foto: ONU/Logan Abassi

Há 10 anos: Guterres presta homenagem às vítimas do terremoto do Haiti

O secretário-geral da ONU, António Guterres, divulgou uma mensagem em tributo às vítimas do terremoto no Haiti, ocorrido há 10 anos, lamentando a tragédia que deixou milhares de vítimas.

Em 12 de janeiro de 2010, mais de 222 mil pessoas morreram, incluindo 102 funcionários das Nações Unidas. Entre eles, o vice-chefe da Missão da ONU no Haiti, o brasileiro Luiz Carlos da Costa.

Na mensagem, o secretário-geral renovou o compromisso das Nações Unidas em ajudar o Haiti e o seu povo na construção de um futuro melhor.

Secretário-geral defende valor da Carta da ONU para um mundo em turbulência

Em uma era de crescentes tensões geopolíticas e declínio da confiança, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, incentivou os países a se voltar para um documento definitivo da comunidade internacional — a Carta da ONU.

Guterres discursou no Conselho de Segurança, que realizou nesta quinta-feira (9) um debate sobre a manutenção do tratado fundador da ONU, quase 75 anos desde a sua adoção.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, fala à imprensa na sede da ONU em Nova Iorque (foto de arquivo). Ele disse nesta quarta-feira (8) que é "dever comum" de todos evitar uma guerra no Golfo. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Irã-EUA: Guterres promete ‘engajamento ativo’ em esforços para reduzir tensões

Após um ataque iraniano de mísseis balísticos às bases aéreas que abrigam forças norte-americanas no Iraque, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse nesta quarta-feira (8) que “continua seu engajamento ativo” para diminuir as tensões e evitar uma guerra em grande escala.

“É nosso dever comum fazer todos os esforços para evitar uma guerra no Golfo que o mundo não pode pagar. Não devemos esquecer o terrível sofrimento humano causado pela guerra. Como sempre, as pessoas comuns pagam o preço mais alto”, concluiu Guterres.

Trípoli, Líbia. Foto: UNSMIL/Abbas Toumi

Líbia: missão da ONU condena ataque a academia militar que deixou 30 mortos

A Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (UNSMIL) condenou no último domingo (5) o ataque realizado no sábado (4) contra uma academia militar na capital do país, Trípoli.

No momento do atentado, cadetes se reuniam em um desfile na academia Hadaba, distrito sul da capital. De acordo a mídia local, pelo menos 30 pessoas foram mortas e outras 30 ficaram feridas.

O ataque ocorreu um dia depois do secretário-geral da ONU, António Guterres, reforçar seu pedido de cessar-fogo imediato na Líbia e a retomada de diálogo político.

António Guterres pede retomada do diálogo e renovação da cooperação internacional

O ano novo começou com o mundo em turbulência. Precisamos retomar o diálogo e renovar a cooperação internacional. Não se pode esquecer o terrível sofrimento humano causado pela guerra. Estas declarações foram feitas nesta segunda-feira (6) pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, em conversa com jornalistas, em Nova Iorque.

Ele disse que sua mensagem é clara: “Parem a escalada. Exercitem o máximo da moderação. Recomecem o diálogo. Renovem a cooperação internacional. Não esqueçamos do terrível sofrimento humano causado pela guerra. Como sempre, pessoas comuns pagam o preço mais alto. É nossa obrigação mútua evitar isso”.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, ressaltou que violência de gênero é pandemia global. Foto: ONU/Loey Felipe

Coreia do Norte: ONU manifesta preocupação com fim da moratória de testes nucleares

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse estar “profundamente preocupado” com o fato de a Coreia do Norte ter encerrado a moratória sobre testes nucleares e de mísseis, disse seu porta-voz em comunicado divulgado na quarta-feira (1).

“O secretário-geral (da ONU) espera que os testes não sejam retomados, de acordo com as resoluções relevantes do Conselho de Segurança”, afirmou o comunicado.

Jovens são maior fonte de esperança em tempos de turbulência, diz secretário-geral da ONU

A juventude global é atualmente a maior fonte de esperança no mundo, em um cenário de crescentes incertezas e inseguranças. A declaração foi feita no domingo (29) pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, em sua mensagem para a virada do ano.

Diante de desigualdades persistentes, ódio crescente, um mundo em guerra e as mudanças climáticas como um problema de longo prazo e um perigo claro e presente, Guterres afirmou que “não podemos nos dar ao luxo de ser a geração que brinca enquanto o planeta queima”.

Mas “também há esperança”, continuou ele, prestando homenagem ao poder da juventude em todo o planeta.

A Convenção contra a Corrupção, com 186 Estados Partes, é o único instrumento anticorrupção universal juridicamente vinculativo. Foto: PNUD

Conferência em Abu Dhabi amplia esforços de combate à corrupção no mundo

A principal conferência anticorrupção do mundo foi realizada em dezembro em Abu Dhabi com um apelo para se avançar nos esforços para prevenir e combater esse crime de forma a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“Ao entrarmos na Década de Ação para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, devemos nos unir contra a corrupção para impedir o esgotamento de recursos causado por fluxos financeiros ilícitos”, disse o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, em reunião com o papa Francisco na Cidade do Vaticano, em Roma. Foto: ONU/Rein Skullerud

Defenda paz e harmonia, diz Guterres em encontro com papa Francisco

Em um cenário de turbulências e dificuldades, todas as pessoas do mundo devem se unir para defender a paz e a harmonia. A afirmação foi feita pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, em encontro nesta sexta-feira (20) no Vaticano com o papa Francisco, a quem agradeceu pelo apoio à Organização.

A decisão do papa Francisco de abolir a política de sigilo da Igreja Católica Romana em casos de abuso sexual infantil é um passo bem-vindo — agora o Vaticano deve agir para garantir justiça e reparação para todas as vítimas, disse na quinta-feira (19) um relator especial da ONU.

“O véu de sigilo que cercava esses crimes abomináveis ​​e que impedia as vítimas de obter justiça e reparação foi levantado”, disse Maud de Boer-Buquicchio, relator especial sobre a venda e exploração sexual de crianças.

Foto: UNIC Rio/Joana Berwanger

Evento no Rio destaca maior atuação de sociedade civil e empresas na COP25

O resultado da Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP25) foi frustrante no que se refere ao compromisso dos países de assumir metas mais ambiciosas para a redução das emissões, mas a maior atuação da sociedade civil e do setor privado foi um fator positivo do evento realizado até o último fim de semana em Madri, na Espanha, sob a presidência do Chile.

A avaliação é de representantes do corpo diplomático de Espanha e Chile, assim como de membros da academia presentes em encontro que reuniu em torno de 30 pessoas na sede do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), na capital fluminense, na última terça-feira (17). A intenção do evento foi compartilhar reflexões e discutir desafios para o futuro do combate às mudanças do clima.

Família venezuelana reconstrói vida no Chile. Foto: ACNUR

ONU pede que países implementem Pacto Global para Migração

Enquanto políticas moldadas mais pelo medo do que pelos fatos provocam sofrimento incalculável entre os migrantes, o secretário-geral da ONU pediu nesta quarta-feira (18) que os países façam mais para atingir os objetivos estabelecidos por um acordo global que promove uma maior cooperação internacional sobre migrações.

Antônio Guterres fez o chamado em sua mensagem para o Dia Internacional dos Migrantes, lembrado anualmente em 18 de dezembro. “Uma migração segura, ordenada e regular é do interesse de todos. E prioridades nacionais para a migração são mais bem atingidas por meio da cooperação internacional”, declarou.

Sua mensagem foi repetida por dois especialistas independentes em direitos humanos da ONU, que também pediram uma ação maior para conter o discurso de ódio contra migrantes.

Refugiados de Darfur, no Sudão, buscam segurança no vizinho Chade. Foto: ACNUR/H. Caux

Mundo precisa transformar forma como responde à situação dos refugiados, diz Guterres

O mundo precisa transformar a maneira como responde à situação dos refugiados e fazer mais pelos países que abrigam a maioria deles, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, na terça-feira (17), no primeiro Fórum Global sobre Refugiados. Realizado em Genebra, o encontro busca soluções para uma década de aumento dos fluxos migratórios.

“É o momento de deixar para trás um modelo de apoio que muitas vezes deixou refugiados por décadas com suas vidas em espera: confinados em acampamentos, apenas sobrevivendo, incapazes de progredir ou contribuir. É o momento de construir uma resposta mais igualitária através da partilha de responsabilidades”, declarou.

Demonstração durante a COP 25 - Foto: UNFCCC

António Guterres lamenta fim da COP 25 sem consenso

Desapontado com os resultados da Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP25), o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que a comunidade internacional perdeu uma importante oportunidade de mostrar maior ambição em atenuar, adaptar e buscar financiamento no enfrentamento da crise climática.

Finalizadas no último domingo (15), as negociações da COP25 encerraram um evento que viu muito progresso feito pelo setor privado e pelos governos nacionais, regionais e locais. No entanto, a conferência terminou sem um consenso geral sobre as ambições climáticas, gerando um sentimento de desapontamento nos participantes.

O secretário-geral da ONU, António Guterres (centro), em discurso na reunião de alto nível Cuidando do Clima, na Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP25), em Madri. Foto: UNFCCC

COP25: ONU pede esforços do setor empresarial na luta contra mudanças climáticas

Em discurso na reunião anual Cuidando do Clima, realizada nesta quarta-feira (11) durante a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP25), em Madri, o secretário-geral da ONU, António Guterres, mobilizou líderes empresariais a implementar e recomendar soluções e políticas para vencermos as mudanças climáticas.

“Estou encontrando cada vez mais líderes do setor empresarial que reclamam que não podem fazer mais porque os governos não permitem, devido ao ambiente que ainda é criado nas estruturas burocráticas, administrativas, regulatórias de impostos e outras normas sob controle governamental”, afirmou Guterres.

No último mês de março, milhares de jovens foram às ruas em 123 países para pedir medidas urgentes contra as mudanças climáticas. O Brasil não ficou de fora da paralisação, conhecida pelo nome “Fridays for Future” (Sextas pelo futuro).

No Dia dos Direitos Humanos, Nações Unidas celebram ativismo de jovens do mundo todo

As Nações Unidas estão enfatizando a importância dos jovens em liderar o caminho para um futuro melhor para todos no Dia dos Direitos Humanos deste ano, celebrado nesta terça-feira (10).

Os jovens estão “dando vida aos direitos humanos”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em mensagem para a data.

“Globalmente, os jovens estão protestando, se organizando e se manifestando: em defesa do direito a um ambiente saudável, pela igualdade de direitos de mulheres e meninas, de participar da tomada de decisões e de expressar suas opiniões livremente”, afirmou.

A Convenção contra a Corrupção, com 186 Estados Partes, é o único instrumento anticorrupção universal juridicamente vinculativo. Foto: PNUD

ONU reforça importância da luta contra corrupção em dia internacional

Em sua declaração para o Dia Internacional de Combate à Corrupção, celebrado anualmente em 9 de dezembro, o diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Yury Fedotov, lembrou que “a corrupção afeta as pessoas no seu dia a dia”.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, também se pronunciou: “as pessoas têm razão em ficar com raiva. A corrupção ameaça o bem-estar de nossas sociedades, o futuro de nossos filhos e a saúde de nosso planeta. Deve ser combatida por todos, para todos”.

A situação de insegurança em Mianmar para a minoria muçulmana rohingya está gerando uma das maiores crises humanitárias do mundo. Foto: ACNUR

Nações Unidas pedem US$29 bilhões para ajuda humanitária em 2020

Uma em cada 45 pessoas do planeta precisará de proteção humanitária em 2020. Para isso, são necessários 29 bilhões de dólares. O apelo está no Panorama Global Humanitário, lançado simultaneamente nesta quarta-feira (4) em Genebra, Berlim, Bruxelas, Londres e Washington.

As Nações Unidas, em colaboração com centenas de organizações humanitárias não governamentais, apresentou o resumo de seus planos para assistir 109 milhões de pessoas mais vulneráveis vivendo em crises humanitárias em todo o mundo.

São pessoas que precisam de comida, abrigo, atendimento médico, educação emergencial, proteção ou outra assistência básica em 53 países, do Afeganistão à Zâmbia.

Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUSCO) em patrulha. Foto: MONUSCO / Sylvain Liechti

Brasileiro assume Missão da ONU no Congo

O secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou a nomeação do general brasileiro Ricardo Augusto Ferreira Costa Neves como comandante do componente militar da Missão de Estabilização da ONU na República Democrática do Congo (MONUSCO). Ele sucede o general Elias Rodrigues Martins Filho, também brasileiro, que concluiu seu mandato em 31 de outubro.

Atualmente Diretor de Avaliação e Promoção no Comando do Exército Brasileiro, Costa Neves tem uma destacada carreira militar de mais de 30 anos, incluindo o Comando da Academia Militar.

Menina de 9 anos em cadeira de rodas brinca em gangorra no playground inclusivo construído em sua escola, no campo de refugiados de Zaatari, na Jordânia. Foto: UNICEF | Christopher Herwig.

Guterres: ONU está determinada a dar o exemplo sobre direitos de pessoas com deficiência

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, afirmou que a ONU está determinada a dar o exemplo quando se trata dos direitos de pessoas com deficiência.

A mensagem visa marcar o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, observado anualmente pela organização em 3 de dezembro desde 1992. Neste ano, o foco da data é a relação entre o empoderamento de pessoas que vivem com alguma deficiência e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Na sede da ONU, em Nova Iorque, o Dia foi lembrado com um painel de discussão sobre novas iniciativas para a inclusão dessa população e um evento com o tema “Esporte para todos, pela paz e pelo desenvolvimento”. Em fala na abertura da celebração, o presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande, encorajou os Estados-membro da ONU, o setor privado e a sociedade civil a usarem o esporte como um “meio de promover a dignidade de todas as pessoas”.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, na abertura da Conferência Climática da ONU (COP25) em Madri. Foto: ONU

Economia verde é oportunidade que precisa ser aproveitada pelos países, diz chefe da ONU na COP25

Uma economia verde “não deve ser temida, mas (encarada como) uma oportunidade a ser aproveitada”, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, nesta segunda-feira (2), em uma palestra aos delegados na abertura da Conferência Climática da ONU (COP25) em Madri.

Guterres delineou o programa de trabalho para o que será um evento de duas semanas, cobrindo vários aspectos da crise climática, incluindo capacitação, desmatamento, povos indígenas, cidades, finanças, tecnologia e gênero. “As tarefas são muitas”, disse ele, “nossos prazos são apertados e todos os itens são importantes”.

António Guterres interage com os alunos da ReDI School for Digital Integration. Sem fins lucrativos, a escola facilita a integração e busca de trabalho por refugiados na indústria de TI. Foto: ONU / Tobias Hofsaess

Guterres destaca papel da ONU para garantir uma Internet gratuita e segura

O secretário-geral da ONU, António Guterres, participou na última terça-feira (26) do 14º Fórum de Governança da Internet das Nações Unidas. Organizado pelo governo da Alemanha, o tema deste ano “Um mundo. Uma rede. Uma visão” marcou o trigésimo aniversário da queda do Muro de Berlim.

O secretário-geral destacou a ONU como a “plataforma apropriada” para enfrentar esses desafios globais e encorajou os participantes do fórum a compartilhar conhecimentos sobre políticas e a concordar com alguns princípios comuns básicos, entre outras recomendações.

COP25 ocorrerá em Madri, na Espanha, até 13 de dezembro. Foto: ifema feria de madrid

COP25: conferência da ONU começa em Madri com objetivo de ampliar ambição climática

Governos de todo o mundo reúnem-se a partir desta segunda-feira (2) em Madri, na Espanha, para participar na Conferência da ONU sobre o Clima (COP25), que ocorre até 13 de dezembro com o objetivo de ampliar a ambição dos países no combate às mudanças climáticas.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, discursará na cerimônia de abertura. Segundo seu porta-voz, ele deve fazer um apelo aos líderes mundiais para que aumentem sua ambição para alcançar as metas estabelecidas no Acordo de Paris. Guterres também deve pedir que adotem as mais novas regras sobre a implementação desse acordo.

ONU condena ataque que matou um funcionário da organização no Afeganistão

Um funcionário das Nações Unidas foi morto e duas outras pessoas ficaram feridas quando o veículo em que estavam foi atacado na capital afegã, Cabul, no domingo (24).

A Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (UNAMA) e o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, condenaram o ataque e pediram investigação rápida para levar os responsáveis à Justiça.

O ataque ocorre em um momento de recrudescimento da violência no Afeganistão, que tem deixado alto número de vítimas fatais entre a população civil.

Vista de La Paz, Bolívia. Foto: Carakan/Flickr/CC

ONU elogia avanços na Bolívia para chegar a solução pacífica e democrática à crise

O secretário-geral da ONU, António Guterres, elogiou os avanços positivos anunciados este fim de semana para uma solução pacífica e democrática da crise na Bolívia, informou seu porta-voz na terça-feira (25). Ele, no entanto, pediu o fim da retórica de intolerância no país.

Guterres deu boas-vindas à aprovação unânime da legislação para estabelecer um novo Tribunal Supremo Eleitoral que convocará eleições gerais o mais rápido possível. Segundo ele, as Nações Unidas estarão prontas para apoiar esse processo.

Procissão em Copenhague, na Dinamarca, alerta para violência contra a mulher. Foto: ONU Mulheres/Nicolai Zoffmann

Luta contra o estupro é tema de Dia Internacional para Eliminação da Violência contra Mulheres

A violência contra mulheres e meninas é a violação de direitos humanos mais comum no mundo. Muitas vezes, casos não são denunciados por conta de impunidade, vergonha e desigualdades de gênero, destacou a ONU em mensagem para o Dia Internacional para Eliminação da Violência contra Mulheres, lembrado nesta segunda-feira (25).

Os números mostram uma realidade assustadora: um terço de todas as mulheres e meninas no mundo enfrentaram violência física ou sexual durante a vida. Metade das mulheres mortas em todo o mundo foram assassinadas por seus parceiros ou familiares, e a violência perpetuada contra mulheres é a causa de morte e geração de incapacidade mais comum entre mulheres em idade reprodutiva.

Casas palestinas e assentamentos israelenses na área H2 em Hebron, na Cisjordânia. Foto: ONU/Reem Abaza

ONU lamenta decisão dos EUA de legitimar assentamentos israelenses

O posicionamento de longa data da ONU em relação aos assentamentos de Israel nos Territórios Palestinos Ocupados se mantém o mesmo: eles violam as leis internacionais. A afirmação foi feita pelo porta-voz da ONU Stéphane Dujarric durante coletiva de imprensa na terça-feira (19), em Nova Iorque, na qual abordou a decisão do governo norte-americano de tentar legitimar esses assentamentos.

Dujarric afirmou que a ONU “lamenta muito” o anúncio da nova posição dos Estados Unidos, comunicada na segunda-feira (18), e que a Organização se mantém “comprometida com uma solução de dois Estados, com base nas resoluções das Nações Unidas”.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, em discurso no Fórum da Paz de Paris - Foto: Christelle Alix/UNESCO

Guterres: multilateralismo deve resistir aos desafios de hoje e do futuro

Em discurso no Fórum da Paz de Paris, na segunda-feira (11), o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que o multilateralismo deve se adaptar para responder aos desafios de hoje e de amanhã, lembrando que “os conflitos persistem, criando sofrimento e deslocamento”. Sua fala aconteceu enquanto celebrações do fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, aconteciam em diversos países.

Para ele, o multilateralismo deve estar em rede e próximo às pessoas, trabalhando de mãos dadas com organizações regionais, mas também com instituições financeiras internacionais, bancos de desenvolvimento e agências especializadas. Também deve ser inclusivo com a plena participação da sociedade civil, incluindo jovens, empresas, círculos acadêmicos e filantrópicos, e combater a desigualdade de gênero, com uma estratégia para alcançar a paridade bem antes de 2030.

ARTIGO: Progresso rumo ao desenvolvimento sustentável está fora dos eixos

Em artigo publicado no jornal Financial Times nesta semana, o secretário-geral da ONU, António Guterres, lembra que metade da população mundial não tem acesso à educação e a cuidados de saúde; mulheres enfrentam discriminação e o número de pessoas com fome aumenta no mundo. Ele pede maior engajamento da iniciativa privada para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até 2030. Leia a íntegra abaixo.